Iscas Intelectuais
#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Se você se aproximar do Café Brasil, prepare-se para ...

Ver mais

Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Ao longo de 2018 o Café Brasil Premium decolou e ...

Ver mais

#Retrospectiva PodSumários
#Retrospectiva PodSumários
Comece 2019 praticando o Fitness Intelectual. A barriga ...

Ver mais

648 – Ethos, Logos, Pathos e o Diálogo Aberto
648 – Ethos, Logos, Pathos e o Diálogo Aberto
Neste cenário onde até “bom dia” leva patada, o que é ...

Ver mais

647 – Father Hunger
647 – Father Hunger
Quanta gente perdida e desorientada, quanta carência, ...

Ver mais

646 – Harry Nilsson
646 – Harry Nilsson
Mais um daqueles especiais musicais que você gosta ...

Ver mais

645 – O Brasil e a demanda por dar certo
645 – O Brasil e a demanda por dar certo
Estamos em período de mudanças ou apenas nos preparando ...

Ver mais

LíderCast 139 – Nívio Delgado
LíderCast 139 – Nívio Delgado
De carinha do Xerox a Diretor Superintendente da maior ...

Ver mais

LíderCast 138 – Ricardo Abiz
LíderCast 138 – Ricardo Abiz
Empreendedor também, um pioneiro em diversas áreas de ...

Ver mais

LíderCast 137 – Pedro Pandolpho
LíderCast 137 – Pedro Pandolpho
Empreendedor, sócio da Pronto Light, outro típico ...

Ver mais

LíderCast 136 – Paulo Farnese
LíderCast 136 – Paulo Farnese
Empreendedor, fundador da agência EAí?, envolvido com ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

O que move o ser humano é o desejo de não se mover um dia
Henrique Szklo
Tudo o que o homem criou e que deu certo desde o tempo em que vivíamos em cima das árvores, ou seja, desde os primórdios de nossa existência, está relacionado ao desejo de conquistar mais ...

Ver mais

Biografias para começar bem o ano
Mauro Segura
Transformação
Período de férias é sempre bom para ler livros. Aqui você encontra dezenas de recomendações de livros de biografias que foram referendados pelos usuários do LinkedIn.

Ver mais

O Trivium – Capítulo 1
Alexandre Gomes
Lembra do que foi dito no primeiro texto sobre as sete Artes Liberais? Pois bem, a Irmã Miriam Joseph expõe da maneira dela, e isso pode ajudar a entender o que foi dito antes. Bom, primeiro as ...

Ver mais

Da cor do racismo ESPANHOL
Jota Fagner
Origens do Brasil
Compartilho com vocês o depoimento de uma amiga, conterrânea, que foi discriminada ao tentar entrar na Espanha. A metodologia aplicada  para decidir quem pode e quem não pode entrar  parece de um ...

Ver mais

Cafezinho 142 – Renan Não
Cafezinho 142 – Renan Não
Eu não sei o que você está fazendo aí, cara, mas eu ...

Ver mais

Cafezinho 141 – Os cães de Pavlov
Cafezinho 141 – Os cães de Pavlov
Como cães de Pavlov, estamos condicionados a babar.

Ver mais

Cafezinho 140 – A Espiral do Silêncio
Cafezinho 140 – A Espiral do Silêncio
Não enxergar o que Temer fez de bom foi uma escolha à ...

Ver mais

Cafezinho 139 – O que não se vê
Cafezinho 139 – O que não se vê
Se o IVA passar pelo Inferno de Dante do Congresso, ...

Ver mais

As batatas

As batatas

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

“O que é o que é: Tem dois quilômetros, e no final você compra um quilo de batatas pelo preço de vinte? Fila do açougue em país comunista.”

        A piada é tão velha quanto certeira. Quem duvidar, que vá à Venezuela, enquanto ainda existe. E, se a razão e a democracia não voltarem àquele lugar, o fim está próximo – isso se, numa falta aguda de final feliz pra essa novela macabra, o estúpido Nicolás Maduro não lançar seu país (não é figura de linguagem, o país é dele mesmo; dele e de sua quadrilha animalesca) numa guerra para esconder a miséria ou culpar algum incauto. Nós, por exemplo.

Essa gente não aprende. Não quer. Trata-se, positivamente, de uma doença. Não há alternativa razoável para diagnóstico. Junte-se todas as guerras do século XX e XXI, somadas a todas as desgraças naturais ocorridas no mesmo período, e chegar-se-á (agora pode-se usar mesóclise novamente, ufa, e escrever “presidente” também) a um número inferior à totalidade de mortes causadas pelo comunismo; tanto de morte matada (guerras, execuções, genocídios, julgamentos sumários) quanto de morte morrida (fome, doenças, miséria, privações). Raspe-se (ênclise também tá liberada, o Dilmês acabou) toda a geopolítica histórica contemporânea em lugares dominados por essa doença, como a antiga Albânia, Romênia, a ex-URSS, os satélites soviéticos, a imunda e podre Cuba, a pior ainda Coreia do Norte, e tantos outros lugares onde não havia liberdade, democracia ou direitos civis, e só restará um século de boçalidade sem limite, morte, tortura, agonia, e um legado zero em tecnologia ou qualquer outro ramo aproveitável. Isso foi (é) o comunismo. Mas a luta continua, camarada. O inferno é o limite.

No Brasil temos uma coisa muito parecida, um ornitorrinco sócio-político de cunho psicótico: O lulismo. Quem dessa seita participa não pode – jamais! – esquecer um de seus dogmas mais preciosos: A culpa é sempre dos outros. Não importa que tenhamos pastado com essa gente por 13 longos anos, vendo implantada sua ideologia comprovadamente insustentável. Não só implementaram seus planos absolutamente insanos como, ao colher o previsível desastre final, culparam todos os que dele não participaram.

Novidade? Nenhuma. Em 1989, logo em seguida à queda do Muro de Berlim e à bancarrota humilhante da União Soviética, Roberto Campos disse que, para essa gente, a queda do Muro e da URSS não foi um fracasso, mas apenas um sucesso mal explicado.

O preâmbulo, até aqui, foi mais longo que o cerne da questão. Grave, tanto quanto indecente, ou mesmo criminoso, que veio das páginas do site O Vermelho, espécie de porta-voz (involuntariamente cômico) do PCdoB. Em texto recente, o site veiculou “artigo” culpando os judeus pelos problemas brasileiros. Não, não é brincadeira. O texto, aparentemente, foi retirado do site, mas não calou as bocas que, com toda razão, reclamaram dessa calculada maluquice.

Como lembrou Carlos Brickmann, repetindo o texto original da indecência racista, “O portal Vermelho, do PCdoB, Partido Comunista do Brasil, fiel apoiador dos governos petistas, descobriu os responsáveis pelo afastamento de Dilma Rousseff da presidência da República: os judeus, naturalmente, lado a lado com os Estados Unidos. “Israel passou a controlar, com seus sionistas, três setores-chave do governo golpista: Defesa (Raul Jungmann), Inteligência (Sergio Etchegoyen) e BC (Ilan Goldfajn)”.Goldfajn é presidente do Banco Central, judeu. O general Sérgio Etchegoyen e Raul Jungmann são cristãos, sem ligação com Israel, judaísmo ou sionismo. E o portal do PCdoB mostra os ideais do partido.”

        Pois é. A missão do atual governo interino, e dos vindouros, é curar o País disso. Lembrando que os judeus, caçados, mortos às centenas de milhares por Stalin (só seu ex-sócio Adolfinho levou fama de antissemita genocida, olha que coisa interessante), ficariam muito felizes com algumas batatas mofadas para alimentar seus filhos meio mortos de fome.

E essa gente se intitula “progressista”. Taspariu, pelamor.

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes