Iscas Intelectuais
Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

É tudo soda
É tudo soda
Isca intelectual de Luciano Pires lembrando que ...

Ver mais

A selhófrica da pleita
A selhófrica da pleita
Isca intelectual de Luciano Pires tratando do nonsense ...

Ver mais

Freestyle
Freestyle
Isca Intelectual de Luciano Pires dizendo que quando ...

Ver mais

Café Brasil Curto 12 – Viver do passado
Café Brasil Curto 12 – Viver do passado
Que triste sina. Em vez de aprender com o passado, ...

Ver mais

Café Brasil Curto 11 – Os mais vivos
Café Brasil Curto 11 – Os mais vivos
Os vivos serão sempre, e cada vez mais, governados ...

Ver mais

570 – LíderCast 6
570 – LíderCast 6
Hoje apresentamos nosso elenco de convidados da ...

Ver mais

Café Brasil Curto 10 – Os porquês
Café Brasil Curto 10 – Os porquês
Nestes tempos de novilíngua, de “mentiras simbólicas” e ...

Ver mais

LíderCast 073 Lucas Mendes
LíderCast 073 Lucas Mendes
LíderCast 073 Lucas Mendes está à frente da implantação ...

Ver mais

LíderCast 072 Oscar Maroni
LíderCast 072 Oscar Maroni
Oscar Maroni se identifica como “dono de uma empresa ...

Ver mais

LíderCast 071 Bene Barbosa
LíderCast 071 Bene Barbosa
LíderCast 071 Bene Barbosa é um dos mais ferrenhos ...

Ver mais

LíderCast 070 – Alexandre Barroso
LíderCast 070 – Alexandre Barroso
Hoje conversamos com Alexandre Barroso, num programa ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

A Era da Integração
Tom Coelho
Sete Vidas
“Eu sou eu mais as minhas circunstâncias.” (José Ortega y Gasset)   Um dia você apanha um velho álbum de fotografias e começa a revisitar seu passado. Entre as imagens registradas nas fotos ...

Ver mais

Nas redes sociais, você é o que publica
Mauro Segura
Transformação
A facilidade e a displicência com que publicamos algo numa rede social são incríveis. As vezes publicamos coisas que não entendemos bem e nem temos consciência do impacto que causamos.

Ver mais

Abaixo a polícia, viva o bandido!
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Não, pára. Tudo bem que nós, viventes dessa nau dos insensatos chamada Brasil, estamos com o couro grosso de tanta asneira, e achávamos que discursos de Dilma seriam o ápice da fronteira entre a ...

Ver mais

O Festival de Besteira que Assola a Esquerda Brasileira
Bruno Garschagen
Ciência Política
Diante da condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, intelectuais, professores, artistas, estudantes e os demais suspeitos de sempre negam que Lula tenha cometido os crimes pelos ...

Ver mais

A Dissolução e o Imaginário

A Dissolução e o Imaginário

Jorge De Lima - Iscas Olhos&Alma -

A construção da ilusão e do negativismo

A psicose política já por nós a anos citada impõe ao mercado a ilusão como forma básica de socialização. Aparentar tornou se mais importante que ter ou ser. A variante infindável de linhas de crédito, parcelamentos, carnês transformou o mercado de consumo no Brasil. Todo mundo, especialmente a classe política, falava de crescimento se transformando naquilo que jamais sonhou. “Ressurgiu” das cinzas uma classe média que não se contentava a pertencer a este grupo, e queria mais: mordomia, viagens ao exterior, todos bens de consumo antes distantes agora podiam ser adquiridos e  desejados.  A mesma coisa na classe D e… tudo é possível com uma linha de crédito ou carnê. Como é que vai se pagar tais dividas, outro problema, isto não se escreve no contrato assinado. O importante nisto tudo foi e é dar lucro a bancos, a empresas de empréstimo consignado,  telefonia, a grandes montadoras, a um pequeno segmento de empresas beneficiadas, as mais amigas dos que estão no poder. O discurso oficial da ilusão com isto toma forma: que o mercado cresceu, que existem mais empregos, a economia reconstrói o milagre econômico brasileiro e saímos do subdesenvolvimento chegando a possibilidade de dizer que nos tornamos um país de primeiro mundo. Ilusão e delírio, uma obsessão, ou fascinação que impede o individuo de perceber a realidade, apenas discurso, oratória, manipulação dos meios de comunicação ou das estatísticas, ou dos números dos balancetes da economia hoje contestados.

O imaginário é rei e senhor no processo da dissolução. A ideologia contaminada que outrora versava sobre  movimentos políticos com identidade, hoje faz da bolsa de valores e do crédito especulativo seu avatar. Produção real besteira, jogar com números, trocar cheques em várias contas e fingir mais presente que imaginamos. A propaganda vira a alma do negócio e o produto final… hoje é uma choradeira, falta de confiabilidade, corrupção, e o choque da observação que a realidade é bem diferente do apregoado pela classe política nos últimos 16 anos.

O movimento psicológico decorrente deste jogo social é o de um profundo pessimismo. Hoje é cena comum na vivência das pessoas não acreditar e ser negativo ao extremo em um processo que beira a obsessão. Sem a capacidade de perceber a realidade distorcida, em um ato de fé que não mensurou o auto-cuidado, o salutar desconfiar e ou ver as reais possibilidades. Este é o sentimento geral coletivo, quase à semelhança de um indivíduo que recém descobre o par de cornos que carrega posto pela eleita amada, digna de suas promessas de amor. chifre e traição. O traído que descobre que iludido laceou demais e descuidou, deu bobeira, em momentos estratégicos nos quais não poderia vacilar e se entregar. O dilema de Sancho Pança que seguia a loucura de Dom Quixote, seus delírios e que acomodado ou por mero interesse se viu imerso nos problemas…ah, malditos feitiços…

Nossa atualidade é regida por um amplo negativismo que nada mais é que a ressaca do período pós ilusão, no qual o sentimento de onipotência imperava. Mas o que é este ser negativo que não consegue perceber a realidade, mas tanto reclama, faz protestos e vota nos mesmos indivíduos que o expoliam?

Ver Todos os artigos de Jorge De Lima