Iscas Intelectuais
#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Se você se aproximar do Café Brasil, prepare-se para ...

Ver mais

Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Ao longo de 2018 o Café Brasil Premium decolou e ...

Ver mais

#Retrospectiva PodSumários
#Retrospectiva PodSumários
Comece 2019 praticando o Fitness Intelectual. A barriga ...

Ver mais

648 – Ethos, Logos, Pathos e o Diálogo Aberto
648 – Ethos, Logos, Pathos e o Diálogo Aberto
Neste cenário onde até “bom dia” leva patada, o que é ...

Ver mais

647 – Father Hunger
647 – Father Hunger
Quanta gente perdida e desorientada, quanta carência, ...

Ver mais

646 – Harry Nilsson
646 – Harry Nilsson
Mais um daqueles especiais musicais que você gosta ...

Ver mais

645 – O Brasil e a demanda por dar certo
645 – O Brasil e a demanda por dar certo
Estamos em período de mudanças ou apenas nos preparando ...

Ver mais

LíderCast 139 – Nívio Delgado
LíderCast 139 – Nívio Delgado
De carinha do Xerox a Diretor Superintendente da maior ...

Ver mais

LíderCast 138 – Ricardo Abiz
LíderCast 138 – Ricardo Abiz
Empreendedor também, um pioneiro em diversas áreas de ...

Ver mais

LíderCast 137 – Pedro Pandolpho
LíderCast 137 – Pedro Pandolpho
Empreendedor, sócio da Pronto Light, outro típico ...

Ver mais

LíderCast 136 – Paulo Farnese
LíderCast 136 – Paulo Farnese
Empreendedor, fundador da agência EAí?, envolvido com ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

O que move o ser humano é o desejo de não se mover um dia
Henrique Szklo
Tudo o que o homem criou e que deu certo desde o tempo em que vivíamos em cima das árvores, ou seja, desde os primórdios de nossa existência, está relacionado ao desejo de conquistar mais ...

Ver mais

Biografias para começar bem o ano
Mauro Segura
Transformação
Período de férias é sempre bom para ler livros. Aqui você encontra dezenas de recomendações de livros de biografias que foram referendados pelos usuários do LinkedIn.

Ver mais

O Trivium – Capítulo 1
Alexandre Gomes
Lembra do que foi dito no primeiro texto sobre as sete Artes Liberais? Pois bem, a Irmã Miriam Joseph expõe da maneira dela, e isso pode ajudar a entender o que foi dito antes. Bom, primeiro as ...

Ver mais

Da cor do racismo ESPANHOL
Jota Fagner
Origens do Brasil
Compartilho com vocês o depoimento de uma amiga, conterrânea, que foi discriminada ao tentar entrar na Espanha. A metodologia aplicada  para decidir quem pode e quem não pode entrar  parece de um ...

Ver mais

Cafezinho 142 – Renan Não
Cafezinho 142 – Renan Não
Eu não sei o que você está fazendo aí, cara, mas eu ...

Ver mais

Cafezinho 141 – Os cães de Pavlov
Cafezinho 141 – Os cães de Pavlov
Como cães de Pavlov, estamos condicionados a babar.

Ver mais

Cafezinho 140 – A Espiral do Silêncio
Cafezinho 140 – A Espiral do Silêncio
Não enxergar o que Temer fez de bom foi uma escolha à ...

Ver mais

Cafezinho 139 – O que não se vê
Cafezinho 139 – O que não se vê
Se o IVA passar pelo Inferno de Dante do Congresso, ...

Ver mais

Tempos alvissareiros

Tempos alvissareiros

Adalberto Piotto - Olhar Brasileiro -

Por Adalberto Piotto

Os partidos políticos estão perdendo o poder porque perderam a noção da realidade do Brasil. Lamentável e preocupante.
O poder absoluto em sociedades evoluídas é da lei, das instituições regradas por leis que as aplicam sob e sobre tudo e todos. Este poder já não parece mais ser dividido, como já foi neste país, com caciques deputados ou senadores.
A influência do parlamentar se resume, como deve ser, à discussão e aprovação da legislação. Uma vez existente, passa a domínio público e à aplicação pelos poderes constituídos.
Por isso a Justiça e o Ministério Público estão à frente das decisões que estão transformando o Brasil e chamam nossa atenção para este momento único e provavelmente nunca experimentado por nós brasileiros
Líderes partidários, quer governistas ou da oposição, estão reconhecendo seus limites ante a lei que eles mesmos aprovaram, o que é saudável.
Ao se imaginarem com poder de traficar influência permanentemente em decisões do poder judiciário perdem a legitimidade do comprometimento com o país e se afogam com verborragia indecente e, ao que se viu, comprometedora.
Tamanha essa desconexão com o legal e imagem ruim que se deram, até mesmo a discordância ou concordância deles com o pedido de prisão de Lula pelos promotores de São Paulo equivale a nada, dentro do vácuo de representatividade dos partidos políticos existente hoje na sociedade brasileira.
A lei é soberana.
A decisão de denunciar o ex-presidente e pedir sua prisão preventiva foi técnica, sob o olhar acusatório do Ministério Público de São Paulo.
A decisão de acolher a denúncia e decretar ou não a prisão do denunciado Luis Inácio Lula da Silva, como é referido no pedido, será igualmente técnica da moderadora Justiça.
Ao insistirem neste debate que visa descredenciar ações legais em curso, os partidos perdem relevância. Estão no caminho de perder a importância se não se reinventarem. Uma pena.
A democracia de representação no Brasil requer partidos fortes e conectados com a sociedade. Mas não esses aí tal como estão agindo.
A Justiça não está nem aí para o que pensam os partidos politicamente. E isso é bom.
Tem-se pautado legalmente pelo que rege a Constituição.
O momento atual do Brasil é o mais visível resultado da independência dos poderes e o fortalecimento das instituições de Estado neste renascimento da democracia e da República brasileira.
E o prazer de ver isso acontecer é de nós encher de orgulho.

Em tempo: vejo os colegas de imprensa tomando a opinião de juristas sobre o pedido de prisão de Lula ou outro assunto jurídico em voga – ainda mais quando vieram de alguma corte superior- como verdade absoluta.
Um erro grave.
Primeiro porque verdades absolutas são raras e normalmente provêm da Natureza.
Segundo porque a maioria dos juristas também atua como advogados em bancas e escritórios prestigiados. São exatamente algumas dessas bancas que prestam serviços aos acusados e condenados por corrupção mais terríveis deste país.
E advogado defende a parte acusada. Decisões ou condutas de extrito cumprimento e aplicação da lei por órgãos da Justiça ou do Ministério Público, chamados inadvertidamente de “linha dura”, decisões céleres. rigorosas e independentes como sempre sonhamos no país da impunidade, não agradam aos causídicos.
Sua retórica pomposa acerca dos direitos de defesa do acusado pode sempre oscilar entre a nobreza do fazer-se justiça e o mais espúrio interesse.
Prudência e ceticismo nestes casos fazem sempre bem.

Ver Todos os artigos de Adalberto Piotto