Iscas Intelectuais
#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Se você se aproximar do Café Brasil, prepare-se para ...

Ver mais

Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Ao longo de 2018 o Café Brasil Premium decolou e ...

Ver mais

#Retrospectiva PodSumários
#Retrospectiva PodSumários
Comece 2019 praticando o Fitness Intelectual. A barriga ...

Ver mais

648 – Ethos, Logos, Pathos e o Diálogo Aberto
648 – Ethos, Logos, Pathos e o Diálogo Aberto
Neste cenário onde até “bom dia” leva patada, o que é ...

Ver mais

647 – Father Hunger
647 – Father Hunger
Quanta gente perdida e desorientada, quanta carência, ...

Ver mais

646 – Harry Nilsson
646 – Harry Nilsson
Mais um daqueles especiais musicais que você gosta ...

Ver mais

645 – O Brasil e a demanda por dar certo
645 – O Brasil e a demanda por dar certo
Estamos em período de mudanças ou apenas nos preparando ...

Ver mais

LíderCast 139 – Nívio Delgado
LíderCast 139 – Nívio Delgado
De carinha do Xerox a Diretor Superintendente da maior ...

Ver mais

LíderCast 138 – Ricardo Abiz
LíderCast 138 – Ricardo Abiz
Empreendedor também, um pioneiro em diversas áreas de ...

Ver mais

LíderCast 137 – Pedro Pandolpho
LíderCast 137 – Pedro Pandolpho
Empreendedor, sócio da Pronto Light, outro típico ...

Ver mais

LíderCast 136 – Paulo Farnese
LíderCast 136 – Paulo Farnese
Empreendedor, fundador da agência EAí?, envolvido com ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Liberte-se de sua profissão
Mauro Segura
Transformação
A profissão é uma espécie de carimbo, que nos identifica como profissional e sela nosso reconhecimento. Por outro lado, o carimbo de uma profissão pode ser extremamente limitante, fechando portas ...

Ver mais

Da cor do Racismo Espanhol 2: a luta por justiça continua…
Jota Fagner
Origens do Brasil
E a minha amiga, a professora que foi discriminada na Espanha, continua seu relato. Por: Stella da Silva Lima   Uma professora espanhola viaja até o Brasil para visitar a irmã, também ...

Ver mais

O que move o ser humano é o desejo de não se mover um dia
Henrique Szklo
Tudo o que o homem criou e que deu certo desde o tempo em que vivíamos em cima das árvores, ou seja, desde os primórdios de nossa existência, está relacionado ao desejo de conquistar mais ...

Ver mais

Biografias para começar bem o ano
Mauro Segura
Transformação
Período de férias é sempre bom para ler livros. Aqui você encontra dezenas de recomendações de livros de biografias que foram referendados pelos usuários do LinkedIn.

Ver mais

Cafezinho 144 – O mundo é um moinho
Cafezinho 144 – O mundo é um moinho
Cada um entende como quer. Ou como pode.

Ver mais

Cafezinho 143 – 13 dias
Cafezinho 143 – 13 dias
É pra descer a lenha mesmo, cobrar o que está errado, ...

Ver mais

Cafezinho 142 – Renan Não
Cafezinho 142 – Renan Não
Eu não sei o que você está fazendo aí, cara, mas eu ...

Ver mais

Cafezinho 141 – Os cães de Pavlov
Cafezinho 141 – Os cães de Pavlov
Como cães de Pavlov, estamos condicionados a babar.

Ver mais

2015

2015

Jorge De Lima - Iscas Olhos&Alma -

Tinha um ano quando a distopia de Stanley Kubrick em seu filme “2001 – Uma Odisséia no Espaço” anunciava uma nova existência nos acordes de “Assim Falou Zaratustra” de Richard Strauss. A conquista de um novo mundo, do espaço, do futuro. A maravilha do simbólico, do mistério, do enigma. O eterno estrangeiro que nos habita na essência do absurdo que somos, daria porre a Camus, todavia fez a promessa do futuro não ser tão previsível assim. E o que é nosso mundo hoje?

Hoje vivemos em um mundo totalmente instável. O permanente flutua sem rumo certo. 2015 é demarcado pelo burlar de regras, mutabilidade extrema, nada nem ninguém são eternos. O que vale é o agora e não vale a pena perder tempo com passado ou futuro. Ficar é mais importante que ser. Prudência e previdência palavras ermas em desuso. Hoje quem quer sobreviver tem de ser flexível e estar pronto a mudanças.

As ideologias em 2015 foram substituídas pelo capitalismo especulativo. Valem apenas quando o indivíduo quer se dar bem.  Esquerda e direita confundem se em uma orgia satânica. Sobreviver em 2015 implica em não se arraigar a nenhuma ideologia seja ela política, racial, religiosa. Para sobreviver é necessário desconfiar.

Em 2015 é vergonhoso ser honesto. A corrupção ganha regras claras que aviltam o juízo. Roubo torna se comum, naturalizado. O valor do trabalho relegado ao quanto o estado pode retirar do contribuinte, sempre visto como sonegador. Impostos em alta, usados para o enriquecimento lícito de políticos. Inflação escondida rouba a pujança. Sobreviver implica em rolar dívidas, aprender a viver na corda bamba, a apertar o cinto por que o piloto sumiu.

Os valores invertidos são a essência de 2015. O errado feito de certo e vice versa. O mundo feito de mutabilidade que cheira a volatilidade.”O pra sempre, sempre acaba” dá ao ar de 2015 uma eterna finitude, a certeza de que o fim esta próximo, fim este que jamais chega. Viver bem em 2015 é sair do negativismo, da apatia, do pessimismo.

Freud se vivo teria de reescrever sua teoria do desejo em 2015. O marketing e a vida plastificada, retirou do ser humano seu potencial criativo e de  desejo. A vontade é pensada nas estratégias de mercado. A escolha manipulada pela publicidade fazem a satisfação ter ar de comédia do absurdo. Ser feliz é propaganda de margarina. Viver bem em 2015 é resgatar a essência e reencontrar a própria identidade substituída pelo arbítrio e manipulação dos meios.

2015 é demarcado pelo fanatismo e superficialidade. A imagem documenta a realidade no extremo da ficção. Nada tem valor se não for registrado em aparência. Pose mais importante que ser. A essência em crise evidenciam o novo rumo dos anos vindouros: doença ou resgate da individualização…

(continua na próxima semana)

Ver Todos os artigos de Jorge De Lima