Iscas Intelectuais
O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

O impacto das mídias sociais nas eleições
O impacto das mídias sociais nas eleições
Baixe a pesquisa da IdeiaBigdata que mostra o impacto ...

Ver mais

Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - ...

Ver mais

622 – O Esfíncter Intelectual
622 – O Esfíncter Intelectual
Existe gente que não controla seu esfíncter intelectual ...

Ver mais

Café Brasil 621 – Orgulho de Ser Brasileiro
Café Brasil 621 – Orgulho de Ser Brasileiro
Em junho de 2018 realizamos o II Sarau Café Brasil, ...

Ver mais

Café Brasil 620 – Democracia, tolerância e censura
Café Brasil 620 – Democracia, tolerância e censura
"Se começarmos a cercar com paredes aquilo que alguns ...

Ver mais

619 – LíderCast 9
619 – LíderCast 9
Neste programa apresentamos os convidados da Temporada ...

Ver mais

LíderCast 116 – Roberto Motta
LíderCast 116 – Roberto Motta
Empreendedor, professor, engenheiro, mestre em gestão, ...

Ver mais

LíderCast 115 – Nailor Marques Jr
LíderCast 115 – Nailor Marques Jr
Professor, palestrante, uma das mentes mais divertidas ...

Ver mais

LíderCast 114 -Alexandre Ostrowiecki
LíderCast 114 -Alexandre Ostrowiecki
Empreendedor, com uma história incrível de como o ...

Ver mais

LíderCast 113 – Glaucimar Peticov
LíderCast 113 – Glaucimar Peticov
“Eu não tenho muros, só tenho horizontes” é a frase de ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

O elogio do vira-lata
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O elogio do vira-lata “Aquele que for somente um economista não tem condições de ser um bom economista, pois todos os nossos problemas tocam em questões de filosofia.” Friedrich von ...

Ver mais

É milagre, Crivella?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
O Rio de Janeiro continua lindo Gil, e complicado; mais do que isso, espantoso. Não dá pra entender a razão pela qual os fluminenses elegem gente (latu sensu, ófi córsi) como Anthony Garotinho, ...

Ver mais

O despertador intelectual e a origem das ideias
Jota Fagner
Origens do Brasil
Possivelmente você teve uma pessoa que, em determinado momento de sua vida, acendeu a faísca da sua curiosidade sobre determinado assunto ou área do conhecimento. Talvez tenha sido mais de uma ...

Ver mais

Os caminhos para editar um livro
Isqueiro isqueiro
Muitas pessoas investem um tempo considerável colocando suas histórias e lições de forma escrita, para se perpetuarem na forma de livros. Mas, ao concluírem o texto, muitas vezes o guardam em ...

Ver mais

Cafezinho 90 – Armadura Emocional
Cafezinho 90 – Armadura Emocional
Você tem que ser capaz de gerenciar suas próprias ...

Ver mais

Cafezinho 89 – Manifesto
Cafezinho 89 – Manifesto
Quero um mundo melhor, igualzinho a você. Talvez ...

Ver mais

Cafezinho 88 – A Teoria da Ilusão Fiscal
Cafezinho 88 – A Teoria da Ilusão Fiscal
Não existem soluções novas. O que existe é ignorância velha.

Ver mais

Cafezinho 87 – O que consome seu tempo de vida
Cafezinho 87 – O que consome seu tempo de vida
Se você não avaliar cada processo que consome seu tempo ...

Ver mais

2015 – Parte II

2015 – Parte II

Jorge De Lima - Iscas Olhos&Alma -

Quem somos em 2015? Ser conectado em 2015 é vital. O emprego da tecnologia em massa em redes sociais divide a opinião pública. O mundo físico foi suplantado pelo virtual e o plasma. O  conceito de Guy Debord sobre a cultura na sociedade do espetáculo evidenciam em 2015 a cultura imagética e midiática. A vida vira um espelho que distorce a essência da existência, e você só existe se presente em rede. A vida é feita em poses, e a imagem refletida não condiz com a energia que a criou. Como  sobreviver a isto?

Em 2015 torna se decadente viver na  cultura do espetáculo. Ser In é viver na  cultura do escândalo. Já não mais basta aparecer. Chocar é a regra. Garante mais de um milhão de curtidas nas redes sociais. Visibilidade garante público, anúncios e uma ampla receita pela publicidade. Seja criativo e choque, quebre tabus, regras, tratados. Aparecer é mais importante que ter conteúdo. Neste cenário é natural falar besteira, mostrar ignorância, evidenciar asneiras. Quem faz isto vira pólvora de fogo de artifício, tem sucesso mas é pulverizado nas cinzas. Sobreviver neste paradigma é buscar o bom senso e evitar os escândalos.

Em 2015 torna se naturalizado ser ansioso, urgente, apático, egoísta. As altas tecnologias do cotidiano tornam tudo para ontem. Muita informação e pouca digestão. Tudo é rápido e a vida lenta. Psicopatologias viram epidemias no desajuste da temporalidade psíquica e afetiva. Correr sem destino o slogan. 2 bilhões de indivíduos no planeta com algum tipo de transtorno de ansiedade.

Em 2015 é evidente  o centramento das experiências do individuo. Compartilhar não é dividir. Cada um por si é regra geral. Pensar no outro careta, coisa do passado. Grupos falam de eu não de nós. O que sinto jargão e os outros… Este paradigma é complexo e confuso. Novamente o errado é certo e o volátil presente. Na instabilidade o centramento é regra de subsistência. Salve sua vida depois olhe para os lados. Sobreviver em 2015 exige aprender a dividir, a reencontrar o respeito ao próximo, ou sucumbir.

A vida familiar e afetiva de 2015 reproduz os efeitos acima. Amor virou produto de consumo, e como o sexo,   está na prateleira. Tem peso, prazo de validade, e ofertas… quem dá mais? A identidade de gênero entre os jovens é maleável. Rompimento familiar e afetivo frequente é associado ao caráter utilitário dos relacionamentos. Em 2015 o  egoísmo e o interesse falam mais alto. Pessoas têm preço e se vendem. Sobreviver implica em restituir seu valor real e não se vender.

2015 evidencia uma profunda transformação em nossa civilização que vive em decadência. Acredito que teremos profundas mudanças e transformações a curto e médio prazo. Porém isto custa caro a todos nós. As máscaras cairam e não conseguimos mais as colocar no mesmo lugar. A lei do retorno é imediata… como  sobreviver nestes tempos?

Ver Todos os artigos de Jorge De Lima