Portal Café Brasil
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

591 – Alfabetização para a mídia
591 – Alfabetização para a mídia
Hoje em dia as informações chegam até você ...

Ver mais

590 – O que aprendi com o câncer
590 – O que aprendi com o câncer
O programa de hoje é uma homenagem a uns amigos ...

Ver mais

589 – A cultura da reclamação
589 – A cultura da reclamação
Crianças mimadas, multiculturalismo, politicamente ...

Ver mais

588 – Escola Sem Partido
588 – Escola Sem Partido
Poucos temas têm despertado tantas paixões como a ...

Ver mais

LíderCast 91 – Saulo Arruda
LíderCast 91 – Saulo Arruda
Saulo Arruda, que teve uma longa carreira como ...

Ver mais

LíderCast 90 – Marcelo Ortega
LíderCast 90 – Marcelo Ortega
Marcelo Ortega, palestrante na área de vendas, outro ...

Ver mais

LíderCast 89 – Bruno Teles
LíderCast 89 – Bruno Teles
Bruno Teles, um educador que sai de Sergipe para se ...

Ver mais

LíderCast 88 – Alfredo Rocha
LíderCast 88 – Alfredo Rocha
Alfredo Rocha, um dos pioneiros no segmento de ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Vale fazer um curso universitário se as profissões vão desaparecer?
Mauro Segura
Transformação
Numa perspectiva de que tudo muda o tempo todo, será que vale a pena sentar num banco de universidade para se formar numa profissão que vai desaparecer ou se transformar nos próximos anos?

Ver mais

Tolerância? Jura?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Engraçada essa tal “tolerância” que pregam por aí, por dois simples motivos: 1) é de mão única e 2) pretende tolher até o pensamento do indivíduo. Exagero? Não mesmo. Antes que algum ...

Ver mais

Ensaio sobre a amizade
Tom Coelho
Sete Vidas
“A gente só conhece bem as coisas que cativou. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm ...

Ver mais

Um reino que sente orgulho de seus líderes
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Um reino que sente orgulho de seus líderes  Victoria e Abdul   Uma vez mais, num curto espaço de tempo, o cinema nos brinda com um filme baseado na história de uma destacada liderança britânica. ...

Ver mais

Cafezinho 28 – No grito
Cafezinho 28 – No grito
Não dá pra construir um país no grito.

Ver mais

Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Tem gente que, em vez de planos, só tem esperança.

Ver mais

Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Não dá para ganhar um jogo sem acreditar no time.

Ver mais

Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
O culto do sentimento destrói a capacidade de pensar e ...

Ver mais

Vicente Leporace

Vicente Leporace

Luciano Pires -

Muito inteligente e vivo, ainda era quase um menino, quando começou sua carreira na Rádio Clube  Hertz de Franca, a convite do amigo Blota Junior. Entrou na profissão com um apetite voraz pelo trabalho. E fez de tudo.

Começou como varredor de estúdio, mas logo passou a  radioator.   Quis  também ser discotecário e programador.  Em seguida ,Leporace e seu amigo e conterrâneo Xisto Guzzi, quiseram fazer vôo maior. Foram para Santos, pois a cidade praiana tinha movimento de cassinos, e cafés. Era uma época áurea. Lá estava Leporace, que realmente tinha pendor e qualidades para a profissão. Ao mesmo tempo trabalhava na Rádio Atlântica de Santos. E fez uma peça teatral, sob a direção de Armando Rosas .

Em 6 de maio de 1937, numa quinta feira, Leporace   na capital paulista, recebia 200 convidados para a inauguração da Sociedade Brasileira de Rádio-Difusão, PRH9, com  a companhia entusiasmada de José Nicolini, nome importante em São Paulo, no mundo radiofônico. Um lindo palco, todo ornamentado para a festa de inauguração e uma programação elitista, como desejava Nicolini. Leporace, porém, logo quis popularizar a emissora e contratou cantores, para irem fazendo o crescimento da audiência. Assim contratou um grupo musical, a que deu o nome de Demônios da Garôa. Foi um sucesso.

Leporace não parava. Logo já era  o discotecário chefe. Entendia muito de música. E achou tempo também para participar de vários filmes, como ator.  Participou de: “Luar do Sertão”; “Sai da Frente”; “Nadando em Dinheiro”; “Sinha Moça”;”Uma Pulga na Balança”; “É Proibido Beijar”; “Na Senda do Crime”; “Carnaval em Lá Maior”.Fez alguns filmes de Mazzaropi.

Passou por diversas emissoras e percebeu que o que gostava mais era de jornalismo.Em janeiro de 1951 lançou na PRB9-Rádio Record de São, o programa jornalístico “Jornal da Manhã”, um informativo que ele mesmo escrevia  e apresentava. Ali  ficou onze anos. Depois disso passou,para ter melhoria financeira, para a Rádio Bandeirantes.

Foi na Bandeirante que ele lançou o seu “Trabuco”. E estourou. O programa tinha noticias gerais, era um informativo, mas tinha também o comentário de Vicente Leporace. Quando ele “empunhava ” o seu trabuco e censurava alguém, ou algum acontecimento político ou social, todos tremiam. Ele sempre se responsabilizou por suas opiniões, mas nem por isso deixou de ser chamado inúmeras vezes para a Delegacia de Ordem Política e Social, de onde ficou hóspede  muitas vezes.. Tornou-se um símbolo da defesa os oprimidos.

Ele apresentava o “Trabuco” de peito aberto, mesmo que sob a mira de um fuzil.Isso aconteceu principalmente durante o período do regime militar de 1964. Durante 16 anos seguidos Leporace apresentou seu programa, sendo até hoje conhecido como: “o homem do trabuco”.

Vicente Leporace foi também da televisão. Ele esteve por vários anos na TV Bandeirantes. Foi o apresentador do “Gincana Kibon”, ao lado de Clarisse Amaral. Era  um programa para crianças , onde o apresentador se transformava e era muito querido de todos. E que ficou também 16 anos no ar.

Apresentou também, ao lado de nomes importantes, como Maurício Loureiro Gama , José Paulo de Andrade, Murilo Antunes Alves e outros,o jornal: “Titulares da Notícia”.

Vicente Leporace foi um ícone do rádio e da televisão brasileira. Seu nome ainda é citado como referência. Nunca houve, nem há, quem o critique. Só elogios, nos seus 50 anos de profissão.

Vicente Leporace faleceu em 16 de abril de 1978,  na capital  paulista. No bairro de Campo Belo há uma  rua com o nome do radialista Vicente Leporace.


Vicente Leporace