Portal Café Brasil
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

591 – Alfabetização para a mídia
591 – Alfabetização para a mídia
Hoje em dia as informações chegam até você ...

Ver mais

590 – O que aprendi com o câncer
590 – O que aprendi com o câncer
O programa de hoje é uma homenagem a uns amigos ...

Ver mais

589 – A cultura da reclamação
589 – A cultura da reclamação
Crianças mimadas, multiculturalismo, politicamente ...

Ver mais

588 – Escola Sem Partido
588 – Escola Sem Partido
Poucos temas têm despertado tantas paixões como a ...

Ver mais

LíderCast 91 – Saulo Arruda
LíderCast 91 – Saulo Arruda
Saulo Arruda, que teve uma longa carreira como ...

Ver mais

LíderCast 90 – Marcelo Ortega
LíderCast 90 – Marcelo Ortega
Marcelo Ortega, palestrante na área de vendas, outro ...

Ver mais

LíderCast 89 – Bruno Teles
LíderCast 89 – Bruno Teles
Bruno Teles, um educador que sai de Sergipe para se ...

Ver mais

LíderCast 88 – Alfredo Rocha
LíderCast 88 – Alfredo Rocha
Alfredo Rocha, um dos pioneiros no segmento de ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Vale fazer um curso universitário se as profissões vão desaparecer?
Mauro Segura
Transformação
Numa perspectiva de que tudo muda o tempo todo, será que vale a pena sentar num banco de universidade para se formar numa profissão que vai desaparecer ou se transformar nos próximos anos?

Ver mais

Tolerância? Jura?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Engraçada essa tal “tolerância” que pregam por aí, por dois simples motivos: 1) é de mão única e 2) pretende tolher até o pensamento do indivíduo. Exagero? Não mesmo. Antes que algum ...

Ver mais

Ensaio sobre a amizade
Tom Coelho
Sete Vidas
“A gente só conhece bem as coisas que cativou. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm ...

Ver mais

Um reino que sente orgulho de seus líderes
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Um reino que sente orgulho de seus líderes  Victoria e Abdul   Uma vez mais, num curto espaço de tempo, o cinema nos brinda com um filme baseado na história de uma destacada liderança britânica. ...

Ver mais

Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Tem gente que, em vez de planos, só tem esperança.

Ver mais

Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Não dá para ganhar um jogo sem acreditar no time.

Ver mais

Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
O culto do sentimento destrói a capacidade de pensar e ...

Ver mais

Cafezinho 24 – Não brinco mais
Cafezinho 24 – Não brinco mais
Pensei em não assistir mais, até perceber que só quem ...

Ver mais

Papo de Anjo

Papo de Anjo

Luciano Pires -

Seis músicos tão talentosos quanto experientes e um repertório de clássicos apresentados com nova roupagem é a receita que vem fazendo o sucesso do “Papo de Anjo”, um dos grupos mais importantes do país quando o assunto é choro.

O gênero, redescoberto pelas novas gerações de músicos e admiradores da boa música, é a base do trabalho do sexteto formado em 1998 em São Paulo, com nítida influência de grupos veteranos como o Época de Ouro, formação instrumental clássica – com violão de 7 e 6 cordas, cavaquinho, pandeiro, flauta e clarinete – e uma linguagem própria, atual, que reinterpreta as criações do passado sem jamais descaracterizá-las.

Os integrantes são velhos conhecidos de quem acompanha o cenário instrumental brasileiro: além de trabalhos solo de qualidade, todos têm sólida carreira ao lado de grandes nomes da nossa música.

Edmilson Capelupi é o talento por trás do violão sete cordas, além de criar os arranjos. Lula Gama é responsável pelo violão de seis cordas; Haroldo Capelupi, pelo cavaquinho; Betinho Sodré, pela percussão. Os sopros se dividem entre Daniel Alain, na flauta e no sax tenor, e Zezinho Pitoco, que toca clarinete, sax alto e tenor e também assina parte dos arranjos.

O grupo presta uma homenagem a um dos maiores nomes do choro – o maestro, compositor, arranjador e pianista Radamés Gnattali, que em 2006 completaria cem anos de idade.

É ele o autor de Papo de Anjo, a música que dá nome ao grupo e que faz parte de uma série de composições batizadas com nomes de doces brasileiros, como Bolacha Queimada, Pé-de-moleque e Puxa-Puxa. Do maestro, o grupo apresenta o choro Remexendo e o segundo movimento da suíte Retratos. O primeiro CD do sexteto, Papo de Anjo – Choro, lançado em 2003 pela Paulinas-COMEP reúne choros, polcas, valsas e maxixes de compositores clássicos, além de criações dos próprios integrantes.

Entre os destaques, Nostalgia e Bola Preta, de Jacob do Bandolim, Queira-me Bem, de Waldir Azevedo, Tenebroso, de Ernesto Nazareth e Dominante, do mestre Pixinguinha, o artista que deu forma, estrutura e vida ao gênero.

A proposta do grupo é a mais simples possível: divulgar um dos gêneros mais ricos da música brasileira e tocar o coração de cada vez mais “chorões” e fãs da boa música. Uma tarefa que não exige grandes estruturas ou investimentos – mas que é da maior importância para a cultura brasileira como um todo. Além de ser um grande prazer.

http://www.myspace.com/papodeanjo


Papo de anjo