Portal Café Brasil
#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Se você se aproximar do Café Brasil, prepare-se para ...

Ver mais

Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Ao longo de 2018 o Café Brasil Premium decolou e ...

Ver mais

#Retrospectiva PodSumários
#Retrospectiva PodSumários
Comece 2019 praticando o Fitness Intelectual. A barriga ...

Ver mais

657 – Brumadinho e a Challenger
657 – Brumadinho e a Challenger
A tragédia da explosão da Challenger em 1986 marcou ...

Ver mais

656 – Rua Ramalhete
656 – Rua Ramalhete
Este programa é uma homenagem ao Tavito, que faleceu em ...

Ver mais

655 – É carnaval
655 – É carnaval
Tem gente boa, muito boa, fazendo a legítima música de ...

Ver mais

654 – Sarau Café Brasil III
654 – Sarau Café Brasil III
Realizamos mais uma edição do Café Brasil Premium, ...

Ver mais

LíderCast 145 – Ana Paula Andrade
LíderCast 145 – Ana Paula Andrade
CEO de uma multinacional de trademarketing, a Marco ...

Ver mais

LíderCast 144 – Daniel Arcoverde e Rafael Belmonte
LíderCast 144 – Daniel Arcoverde e Rafael Belmonte
Os jovens empreendedores que criaram a netshow.me, uma ...

Ver mais

LìderCast 143 – Doug Alvoroçado
LìderCast 143 – Doug Alvoroçado
Esse alvoroçado não é nome não, é adjetivo. Um ...

Ver mais

LíderCast 142 – Marcelo Pimenta
LíderCast 142 – Marcelo Pimenta
O Menta é um facilitador da inovação, um inquieto ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Uma certa ideia de Brasil
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Uma certa ideia de Brasil Excelente retrospectiva de 2003 a 2018 “Precisamos ter uma ideia de como nos vemos como país, de nosso passado, nosso presente e nosso futuro.” Pedro Malan Este não é, ...

Ver mais

CAPÍTULO 2 – LINGUAGEM E SEUS SÍMBOLOS (parte 4)
Alexandre Gomes
O caminho até agora está ficando longo, não é? Por mais que eu use exemplos próximos da realidade; ainda assim, eu e você estamos buscando entender conceitos abstratos. Afinal, estamos falando ...

Ver mais

Só envelhece quem perde a curiosidade
Henrique Szklo
O mundo está muito óbvio. As coisas têm sido analisadas pelos pontos de vista mais superficiais e, em geral, equivocados. Julga-se por aparência, por condição financeira, por orientação sexual, ...

Ver mais

Defendam Douglas também
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Não conhece Douglas Leandro Clizesqui? Sem problemas. Ninguém conhece. Ele é pai de Douglas Murilo, uma das oito vítimas fatais no massacre da escola estadual em Suzano; o caso todos conhecem. ...

Ver mais

Cafezinho 162 – Recado aos presidentes
Cafezinho 162 – Recado aos presidentes
Em negociações complexas, emoções que levam a ...

Ver mais

Cafezinho 161 – A prisão do ex-presidente
Cafezinho 161 – A prisão do ex-presidente
Embora pareça que tudo está dentro da esfera criminal, ...

Ver mais

Cafezinho 160 – Os cinco estágios
Cafezinho 160 – Os cinco estágios
Ajudando a compreender o cenário político brasileiro.

Ver mais

Cafezinho 159 – O bobo da corte
Cafezinho 159 – O bobo da corte
O palhaço, o bobo, o gozador, é o único a perceber a ...

Ver mais

Mirabeau

Mirabeau

Luciano Pires -

Mirabeau (Mirabeau Pinheiro), compositor e instrumentista, nasceu em Alegre/ES em 31/07/1924 e faleceu em Niterói/RJ, em 07/10/1991.

Ainda criança, mudou-se para Niterói, onde aprendeu o ofício de alfaiate. Filho de músico, herdou do pai a vocação artística, logo começando a compor, ao mesmo tempo em que atuava como baterista em conjuntos de boate.

No início da década de 1950, conheceu a cantora Carmen Costa, que gravou 33 músicas de sua autoria. Foi por intermédio da voz dela que se tornou conhecido, alcançando o auge de sua carreira no período de 1953 a 1956.

Milton de Oliveira e Castro

Milton de Oliveira, compositor, nasceu no Rio de Janeiro RJ em 25/1/1916 e faleceu em 12/12/1986. Criado no bairro de São Cristóvão, ande cursou até o terceiro ano ginasial, começou a trabalhar numa papelaria e tipografia aos 12 anos de idade. Aos 16, era auxiliar de revisão no jornal A Nação. Por essa época fez sua primeira composição, o samba Já mandei meu bem. Conhecendo Murilo Caldas, irmão de Sílvio Caldas, entrou por seu intermédio para o meio artístico em 1934, ano em que o cantor Jaime Vogeler gravou na Odeon o samba És louca (com Djalma Esteves).

Em 1937 compôs com Max Bulhões os sambas Sabiá laranjeira e Não tenho lágrimas, ambos gravados por Patrício Teixeira. O segundo foi um de seus maiores êxitos, tendo tido mais de cinqüenta gravações, inclusive no exterior, por Nat King Cole, Xavier Cugat e outros. No ano seguinte, com Haroldo Lobo, seu principal parceiro, obteve o primeiro lugar no concurso da prefeitura carioca com a música Juro, cantada por J. B. de Carvalho.

Em 1940 foi sucesso a marcha O passarinho do relógio, interpretada por Araci de Almeida, que no Carnaval do ano seguinte gravou Passo do canguru (ambas com Haroldo Lobo). No mesmo ano destacou-se ainda O bonde do horário já passou (com Haroldo Lobo), lançada por Patrício Teixeira, e no ano seguinte, A mulher do leiteiro ( com Haroldo Lobo), lançado por Araci de Almeida.

Em 1945, Linda Batista gravou a valsinha Baile na roça, um de seus sucessos fora do Carnaval. Em 1946, Vou sambar em Madureira (com Haroldo Lobo) foi gravado por Jorge Veiga. Foi um dos fundadores da SBACEM, onde foi fiscal até 1957.

Em 1947 Jorge Veiga gravou a marcha antes censurada, Eu quero é rosetar (com Haroldo Lobo), um de seus inúmeros êxitos carnavalescos. Em 1948 obteve, com Haroldo Lobo, o segundo lugar em concurso com Não vou morrer, cantado por Jorge Veiga e, um ano depois, compuseram mais dois sucessos: Quem chorou fui eu, interpretado também por Jorge Veiga, e O passo da girafa, gravação de Araci de Almeida.

Em 1951, foi sucesso da dupla em todo o Brasil Pra seu governo, que obteve o primeiro lugar no concurso carnavalesco carioca em gravação de Gilberto Milfont. Três anos depois, foi lançada por Jorge Veiga a marcha A história da maçã, novo êxito em parceria com Haroldo Lobo. Walter Levita gravou em 1960 A Maria tá e no ano seguinte Índio quer apito (ambos com Haroldo Lobo). Em 1964 Ari Cordovil fez sucesso com Pistoleira (com Haroldo Lobo). É considerado o criador da caitituagem, isto é, da promoção de suas músicas em rádios.

http://cifrantiga3.blogspot.com/2006/04/milton-de-oliveira.html