Portal Café Brasil
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

591 – Alfabetização para a mídia
591 – Alfabetização para a mídia
Hoje em dia as informações chegam até você ...

Ver mais

590 – O que aprendi com o câncer
590 – O que aprendi com o câncer
O programa de hoje é uma homenagem a uns amigos ...

Ver mais

589 – A cultura da reclamação
589 – A cultura da reclamação
Crianças mimadas, multiculturalismo, politicamente ...

Ver mais

588 – Escola Sem Partido
588 – Escola Sem Partido
Poucos temas têm despertado tantas paixões como a ...

Ver mais

LíderCast 91 – Saulo Arruda
LíderCast 91 – Saulo Arruda
Saulo Arruda, que teve uma longa carreira como ...

Ver mais

LíderCast 90 – Marcelo Ortega
LíderCast 90 – Marcelo Ortega
Marcelo Ortega, palestrante na área de vendas, outro ...

Ver mais

LíderCast 89 – Bruno Teles
LíderCast 89 – Bruno Teles
Bruno Teles, um educador que sai de Sergipe para se ...

Ver mais

LíderCast 88 – Alfredo Rocha
LíderCast 88 – Alfredo Rocha
Alfredo Rocha, um dos pioneiros no segmento de ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Vale fazer um curso universitário se as profissões vão desaparecer?
Mauro Segura
Transformação
Numa perspectiva de que tudo muda o tempo todo, será que vale a pena sentar num banco de universidade para se formar numa profissão que vai desaparecer ou se transformar nos próximos anos?

Ver mais

Tolerância? Jura?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Engraçada essa tal “tolerância” que pregam por aí, por dois simples motivos: 1) é de mão única e 2) pretende tolher até o pensamento do indivíduo. Exagero? Não mesmo. Antes que algum ...

Ver mais

Ensaio sobre a amizade
Tom Coelho
Sete Vidas
“A gente só conhece bem as coisas que cativou. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm ...

Ver mais

Um reino que sente orgulho de seus líderes
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Um reino que sente orgulho de seus líderes  Victoria e Abdul   Uma vez mais, num curto espaço de tempo, o cinema nos brinda com um filme baseado na história de uma destacada liderança britânica. ...

Ver mais

Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Tem gente que, em vez de planos, só tem esperança.

Ver mais

Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Não dá para ganhar um jogo sem acreditar no time.

Ver mais

Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
O culto do sentimento destrói a capacidade de pensar e ...

Ver mais

Cafezinho 24 – Não brinco mais
Cafezinho 24 – Não brinco mais
Pensei em não assistir mais, até perceber que só quem ...

Ver mais

Mauro Senise

Mauro Senise

Luciano Pires -

Neto de Alceu Amoroso Lima pelo lado materno e descendente de italianos pelo lado paterno.

Quando adolescente, escutava o rock de Jimmy Hendrix, The Doors e Bob Dylan, até descobrir o som do jazz do apartamento vizinho, freqüentado por Vitor Assis Brasil e Tenório Jr.

Em 1970, entrou para a Faculdade de Jornalismo da PUC -Rio. Cursou o primeiro semestre, desligando-se, em seguida, da universidade, com o objetivo de estudar música. Freqüentou o Instituto Villa-Lobos, onde recebeu as primeiras noções de teoria musical, escolhendo a gaita como instrumento de trabalho. Aprofundou seus estudos na Pró-Arte, assistindo ao curso de flauta transversa ministrado pela professora Odette Ernest Dias, através de quem descobriu a riqueza da música de Pixinguinha e das sonatas de Bach.

Em seguida, começou a estudar saxofone com Paulo Moura, inicialmente no Museu da Imagem e do Som e, depois, em aulas particulares. Através do saxofonista, conheceu Wagner Tiso, Hermeto Pascoal e Luís Eça, aprofundando informalmente seu conhecimento de teoria e harmonia através de sua própria atuação com estes músicos.

Em 2000, participou do “Projeto Bossa Nova”, realizado no Parque Garota de Ipanema (RJ), e do Projeto Aquarius, como solista da Orquestra Sinfônica Brasileira, em concerto para mais de 20 mil pessoas no Forte de Copacabana, também no Rio de Janeiro.

Em 2002, lançou o CD “Vênus”, contendo exclusivamente canções com nomes de mulher: “Marelena” e “Teresa”, ambas de Gilson Peranzzetta, “Marina” e “Dora”, ambas de Dorival Caymmi, “Mira” (Roberto Araújo), “Maria” (Ary Barroso), “A Rita” (Chico Buarque), “Ana Luiza” (Tom Jobim), “Beatriz” (Chico Buarque e Edu Lobo) e “Rosa” (Pixinguinha). O disco contou com a participação de Gilson Peranzetta (piano), Vittor Santos (trombone), Paulo Russo (baixo), Ivan Conti (bateria), Marcelo Martins (sax tenor), Jessé Sadoc (flugelhorn) e Marcos Nimrichter (piano). Também nesse ano, apresentou-se no Lincoln Center, em Nova York, no espetáculo “The Music by Pixinguinha”.

Desde 1999, vem participando, também como solista, do Rio International Cello Encounter, evento que reune instrumentistas nacionais e internacionais.
Em 2005, lançou, com o pianista Jota Moraes, o CD “Tempo caboclo”, indicado para o Grammy Latino 2006, na categoria Música Clássica.

Em 2008, lançou “Êxtase”, quarto CD do duo que mantém com Gilson Peranzzetta, e “Caixa de música”, disco gravado com o pianista Kiko Continentino e o guitarrista Leonardo Amuedo.

Lançou, em 2009, o CD “Lua cheia”, reunindo composições de Dolores Duran e Sueli Costa, com arranjos de Gilson Peranzzetta. Fez show de lançamento do disco na Sala Cecília Meireles (RJ).

Em 2010, lançou, em parceria com Gilson Peranzzetta e Silvia Braga, o CD “Melodia sentimental”, contendo as faixas “Lenda do caboclo” e “Melodia sentimental”, ambas de Villa-Lobos, “Le Petit Berger” e “Doctor Gradus ad Parnassum”, ambas de Claude Debussy, “Siciliano” (J.S. Bach), “Villa Jobim” (Gilson Peranzzetta e Ivan Lins), “Teresa” (Gilson Peranzzetta), “Amparo” (Tom Jobim), “Todo sentimento” (Cristóvão Bastos e Chico Buarque) e “No tabuleiro da baiana” (Ary Barroso).

http://www.maurosenise.com.br/


Mauro Senise

[youtube]_GqIIdUEgFk[/youtube]

[youtube]oxwxZgViVc0[/youtube]

[youtube]G7_ofx5c0M0[/youtube]