Portal Café Brasil
Como decidi em quem votarei para Presidente
Como decidi em quem votarei para Presidente
Não sei se estou certo, não fui pela emoção, não estou ...

Ver mais

Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

635 – De onde surgiu Bolsonaro?
635 – De onde surgiu Bolsonaro?
O pau tá quebrando, a eleição ainda indefinida e nunca ...

Ver mais

634 – Me chama de corrupto, porra!
634 – Me chama de corrupto, porra!
Cara, que doideira é essa onda Bolsonaro que, se você ...

Ver mais

633 – Ballascast
633 – Ballascast
O Marcio Ballas, que é palhaço profissional, me ...

Ver mais

632 – A era da inveja
632 – A era da inveja
Uma pesquisa de 2016 sobre comportamento humano mostrou ...

Ver mais

LíderCast 128 – Leide Jacob
LíderCast 128 – Leide Jacob
Empreendedora cultural e agora cineasta, que ...

Ver mais

LíderCast 127 – Lito Rodriguez
LíderCast 127 – Lito Rodriguez
Empreendedor, criador da DryWash, outro daqueles ...

Ver mais

LíderCast 126 – Alexis Fonteyne
LíderCast 126 – Alexis Fonteyne
Empresário criativo e agora candidato a Deputado ...

Ver mais

LíderCast 125 – João Amoêdo
LíderCast 125 – João Amoêdo
Decidimos antecipar o LíderCast com o João Amoêdo ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Marxistas brasileiros vivem espécie de alucinação coletiva recorrente
Carlos Nepomuceno
O jornal Folha de São Paulo publica um artigo feita por uma petista confessa: Ver aqui: https://www.facebook.com/carlos.nepomuceno/posts/10156853246303631 …sem nenhum fato, baseado em ...

Ver mais

Sempre, sempre Godwin
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
O advogado Mike Godwin criou em 1990 a seguinte “lei” das analogias nazistas: “À medida que uma discussão online se alonga, a probabilidade de surgir uma comparação envolvendo Adolf Hitler ou os ...

Ver mais

É mais fácil seguir o grupo
Jota Fagner
Origens do Brasil
Existe uma crença muito difundida de que a história humana avança em etapas gradativas e que culminará numa revolução transformadora. O tipo de revolução muda conforme o viés ideológico. A ...

Ver mais

Bolsonaro e Transformação Digital
Carlos Nepomuceno
Vivemos o início de Revolução Civilizacional na qual ao se plantar um "pé de cooperativa de táxi" por mais que se tome litros de Design Thinking não nasce nunca um Uber.

Ver mais

Cafezinho 116 – Os demônios brochadores
Cafezinho 116 – Os demônios brochadores
O que vem por aí? Uma mudança ou nova brochada?

Ver mais

Cafezinho 115 – Um voto não vale uma amizade
Cafezinho 115 – Um voto não vale uma amizade
Não gaste sua energia e seu tempo precioso de vida ...

Ver mais

Cafezinho 114 – E se?
Cafezinho 114 – E se?
Mudanças só acontecem quando a crise que sofremos for ...

Ver mais

Cafezinho 113 – Merdades e Ventiras
Cafezinho 113 – Merdades e Ventiras
Conte até dez antes de compartilhar uma merdade

Ver mais

Luiza Dionizio

Luiza Dionizio

Luciano Pires -

alt
Luiza Dionizio

Luiza Dionizio nasceu no dia de Nossa Senhora da Conceição, no subúrbio da Vila da Penha, em um dos seus melhores dias.  Bom, pelo menos pra quem já ouviu Luiza cantar. Devota da santa padroeira da Portela, se sagrou bicampeã  no Festival de Sambas de Terreiro da escola de Oswaldo Cruz. Em 2005 interpretando uma composição de Ratinho e no ano seguinte de Wanderley Monteiro e Luiz Carlos Máximo.

Devoção que a carreira depõe em bares, bailes, noites adentro, noites afora, projetos, estradas, sonhos e ilusões. Noites que temperaram o bonito canto, lhe propiciaram experiência e moldaram com mãos de escultor, o dom que nasceu com ela.

Sua primeira gravação foi no CD independente “Conexão Carioca”, em 1999. Uma coletânea, do baião ao blues, com compositores e intérpretes sem oportunidades nas grandes gravadoras. A faixa ” Da cor do seu batom” de Milton Sivans, na voz de Luiza, teve destaque e rendeu elogiosos comentários na Revista Música Brasileira.

A freqüência nas rodas de samba da década de 80  -“Pagode da Tia Doca” em Oswaldo Cruz e “Pagode do Arlindo” em Cascadura – fez com que conhecesse os tradicionais sambas das Velhas-Guardas, composições de Candeia, Cartola, Nelson Cavaquinho e novos sambas de compositores ainda desconhecidos, como Arlindinho, Zeca Pagodinho, Mauro Diniz e outros, que viriam a ser sucesso. Nas antigas rodas de samba suburbanas ninguém chegava cantando. Pra pegar a senha havia um critério de hierarquia e respeito à ordem de chegada. Mas Luiza somente queria curtir um bom samba. E de um pagode que findava partia para outro que estava iniciando. Assim como a “Rosalina”, personagem do samba de Luizinho To Blow e Serginho Meriti.

Mas ninguém canta samba, verdadeiramente, só porque prefere. Convidada pela cantora Dorina, do bairro vizinho Irajá, integrou o elenco do show “Ginga”, juntamente com João de Aquino, Paulão Sete Cordas e Nadinho da Ilha, nos teatros Rival e Villa-Lobos. Pronto. E o samba em  dia de Mário Quintana encontrou a moedinha perdida Luiza Dionizio.

O canto instintivo e de rara sensibilidade fez com que ministrasse aulas numa oficina musical no Conservatório Brasileiro de Música a convite do instrumentista Carlos Malta. Shows em homenagem a Cartola no teatro do BNDES ao lado de Elton Medeiros e Henrique Cazes, tributo a Clementina de Jesus com Moyseis Marques no Centro de Referência da Música Carioca, no teatro Rival com Dona Ivone Lara e Nilze Carvalho em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, apresentações com Luiz Carlos da Vila, Fátima Guedes, Moacyr Luz, e gravações nos CDs Renascença Samba Clube (Conceição da Praia), de Mário Lago (Devolve), de Délcio Carvalho (Notícias de Jornais), provaram que Luiza Dionizio é hoje uma das maiores intérpretes do samba.

Elegante e carismática, faz com que suas apresentações habitem por muito tempo a memória de quem a assiste. No palco, é uma cantora que coloca sua alma em cada palavra do samba que canta.

Já no seu primeiro cd, Devoção, Luiza conquistou definitivamente o público e a crítica. Prova disto, foram as indicações de melhor cantora de samba e de melhor cantora no voto popular, no XXI Prêmio da música brasileira em 2010. No dia da premiação, ao cantar no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, emocionou o musicólogo e crítico de música Zuza Homem de Mello, que fez questão de procurá-la para dizer “quando você cantou eu pensei, ali está uma cantora de verdade”.

Por sua história, talento e devoção à música, Luiza Dionizio é um presente para ouvidos que saibam ouvir.

http://www.luizadionizio.com.br

http://www.myspace.com/luizadionizio1

[youtube]EHGr8oTsQP4[/youtube]
[yotube]1PlVnKV2vn0[/youtube]