Portal Café Brasil
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

590 – O que aprendi com o câncer
590 – O que aprendi com o câncer
O programa de hoje é uma homenagem a uns amigos ...

Ver mais

589 – A cultura da reclamação
589 – A cultura da reclamação
Crianças mimadas, multiculturalismo, politicamente ...

Ver mais

588 – Escola Sem Partido
588 – Escola Sem Partido
Poucos temas têm despertado tantas paixões como a ...

Ver mais

587 – Podres de Mimados
587 – Podres de Mimados
Você já reparou como estão mudando os padrões morais, ...

Ver mais

LíderCast 90 – Marcelo Ortega
LíderCast 90 – Marcelo Ortega
Marcelo Ortega, palestrante na área de vendas, outro ...

Ver mais

LíderCast 89 – Bruno Teles
LíderCast 89 – Bruno Teles
Bruno Teles, um educador que sai de Sergipe para se ...

Ver mais

LíderCast 88 – Alfredo Rocha
LíderCast 88 – Alfredo Rocha
Alfredo Rocha, um dos pioneiros no segmento de ...

Ver mais

LíderCast 087 – Ricardo Camps
LíderCast 087 – Ricardo Camps
Ricardo Camps, empreendedor e fundador do Tocalivros, ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Tolerância? Jura?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Engraçada essa tal “tolerância” que pregam por aí, por dois simples motivos: 1) é de mão única e 2) pretende tolher até o pensamento do indivíduo. Exagero? Não mesmo. Antes que algum ...

Ver mais

Ensaio sobre a amizade
Tom Coelho
Sete Vidas
“A gente só conhece bem as coisas que cativou. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm ...

Ver mais

Um reino que sente orgulho de seus líderes
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Um reino que sente orgulho de seus líderes  Victoria e Abdul   Uma vez mais, num curto espaço de tempo, o cinema nos brinda com um filme baseado na história de uma destacada liderança britânica. ...

Ver mais

O que aprendi com o câncer
Mauro Segura
Transformação
Esse é o texto mais importante que escrevi na vida. Na ponta da caneta havia um coração batendo forte. Todo o resto perto a importância perto do que vivemos ao longo desse ano.

Ver mais

Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Tem gente que, em vez de planos, só tem esperança.

Ver mais

Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Não dá para ganhar um jogo sem acreditar no time.

Ver mais

Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
O culto do sentimento destrói a capacidade de pensar e ...

Ver mais

Cafezinho 24 – Não brinco mais
Cafezinho 24 – Não brinco mais
Pensei em não assistir mais, até perceber que só quem ...

Ver mais

Luciana Rabello

Luciana Rabello

Luciano Pires -

Nascida em uma família do nordeste do Brasil, teve como seu primeiro e único professor, aos seis anos de idade, seu avô, José de Queiroz Baptista, professor de música, violonista e chorão.

Mais tarde, aos 13 anos, começou a compor. Aos 16 anos já tinha gravado o seu primeiro disco no grupo Os Carioquinhas. Abriu espaço, assim, a uma viagem ao Japão para tocar na comemoração dos setenta anos de imigração japonesa no Brasil.

Em 1979, já desfeito o grupo Os Carioquinhas, foi convidada por Joel Nascimento para tocar no grupo Camerata Carioca, com regência de Radamés Gnattali. Gravou no mesmo ano o LP Tributo a Jacob do Bandolim. Ainda neste ano, Luciana Rabello foi contratada para trabalhar na catalogação e pesquisa do acervo do renomado pesquisador e respeitado musicólogo Mozart de Araújo, acervo hoje considerado um dos mais importantes do país, abrigado no Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro.

Primeira mulher a tocar cavaquinho musicalmente, em 1981 Luciana Rabello viaja pela Europa fazendo participação especial como solista de choro em shows do violonista Toquinho. Em 1982, após ser aclamada pela crítica daqueles países, é convidada a retornar como solista. A partir de então, passa a ser a cavaquinista preferida de vários maestros do primeiro time da música brasileira.

Em 1999 fundou, com Maurício Carrilho, a primeira gravadora a se dedicar exclusivamente ao choro, a Acari Records. Desde 2000 administra esta, hoje com mais de 60 títulos em seu catálogo.

Em 2000 lançou seu primeiro disco solo, com composições inéditas de sua autoria e outras músicas que lhe foram dedicadas. No mesmo ano, participou de turnês na Dinamarca e workshops, a convite do quarteto Arranca-Toco e fundou, com Maurício Carrilho, a Oficina de Choro, hoje com mais de 800 alunos e com o nome de Escola Portátil de Música.

Em 2001 foi produtora executiva da coleção Princípios do Choro. Em 2002 foi produtora executiva da série Joaquim Callado- Pai dos Chorões. Em 2006 produziu a coleção Choro Carioca-Música do Brasil. Em 2007 foi responsável pela direção musical da peça Besouro Cordão de Ouro, de Paulo César Pinheiro.

http://www.dicionariompb.com.br/luciana-rabello

http://www.samba-choro.com.br/artistas/lucianarabello


Luciana Rabello

[youtube]MfIdOfeWK2A[/youtube]
[youtube]MfIdOfeWK2A[/youtube]
[youtube]P08lK8ozbpM[/youtube]