Portal Café Brasil
#EnquantoIsso
#EnquantoIsso
Isca intelectual de Luciano Pires sobre celebrar ...

Ver mais

O desengajamento moral
O desengajamento moral
Isca intelectual de Luciano Pires sobre o ...

Ver mais

O ridículo
O ridículo
Isca intelectual de Luciano Pires pra incomodar: será ...

Ver mais

Quando um não quer.
Quando um não quer.
Isca intelectual de Luciano Pires com um exemplo de ...

Ver mais

550 – Carnaval revisitado
550 – Carnaval revisitado
Podcast Café Brasil 550 - Carnaval Revisitado. Mais um ...

Ver mais

549 – Os quatro compromissos
549 – Os quatro compromissos
Podcast Café Brasil 549 - Os quatro compromissos. Cara, ...

Ver mais

548 – O efeito borboleta
548 – O efeito borboleta
Podcast Café Brasil 548 - O efeito borboleta. Você já ...

Ver mais

547 – Sobre desigualdade
547 – Sobre desigualdade
Podcast Café Brasil 547 - Sobre desigualdade. O tema da ...

Ver mais

LíderCast 056 – Paula Miraglia
LíderCast 056 – Paula Miraglia
LiderCast 056 - Hoje conversaremos com Paula Miraglia, ...

Ver mais

LíderCast 055 – Julia e Karine
LíderCast 055 – Julia e Karine
LiderCast 055 - Hoje vamos conversar com duas jovens ...

Ver mais

LíderCast 054 – Rodrigo Dantas
LíderCast 054 – Rodrigo Dantas
LiderCast 054 - Hoje vamos falar com o empreendedor ...

Ver mais

LíderCast 053 – Adalberto Piotto
LíderCast 053 – Adalberto Piotto
LiderCast 053 - Hoje vamos entrevistar Adalberto ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 07
Videocast Nakata T02 07
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 07 Se a sua ...

Ver mais

Como não saber pela imprensa o que acontece na política
Bruno Garschagen
Ciência Política
Isca intelectual de Bruno Garschagen, afirmando que basta que um político não seja a expressão daquele ideal de mundo acalentado por certos jornalistas para que eles abram mão do compromisso de ...

Ver mais

A arte de empreender
Tom Coelho
Sete Vidas
“É melhor aproximadamente agora do que exatamente nunca. Quem espera permanentemente pelo melhor momento jamais vai empreender.” (Aleksandar Mandic)   O Brasil é o 7º colocado mundial entre ...

Ver mais

Kenneth Arrow
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Kenneth Arrow   1921 – 2017 “Kenneth Arrow foi o mais importante economista teórico do século XX.” Paul Samuelson Kenneth Arrow nasceu em Nova York, EUA, em 1921. Estudou sempre em sua ...

Ver mais

Desafiando a Zona de Conforto
Mauro Segura
Transformação
Como podemos superar os nossos receios de tomar riscos? Como podemos mudar o curso da nossa história? A decisão de mudar é meramente individual. Aqui Mauro Segura conta algumas histórias e dá ...

Ver mais

Jô de Souza

Jô de Souza

Luciano Pires -

alt

Jô de Souza por ela mesma

Nasci no dia 5 de dezembro de 1965.

Meu berço não era muito musical, mas eu nasci com alma de músico, com uma percepção musical das coisas.

Sou do interior de São Paulo (Araraquara), e pude exercer essa musicalidade natural, no tempo mais “aproveitado” que a gente tem fora das grandes cidades.

Tempo de ouvir música com os primeiros amigos músicos e de gostar de jazz lentamente, deixando o sopro de Coltrane, George Adams, Billie Holiday, Miles Davis entrar na minha alma junto com Orlando Silva (que meu pai adorava), Elis Regina, Milton Nascimento e tantos outros.

O piano chegou em casa quando eu tinha uns dois anos, portanto a minha primeira memória do instrumento é de um encantamento que permanece até hoje. Tive minhas primeiras lições musicais com uma professora aos 7 anos e depois entrei no Conservatório Musical Maestro José Tescari, em Araraquara, onde concluí o curso de 9 anos.

Naquele tempo a música já era a coisa mais importante da minha vida e tudo que eu queria era ser cantora. Antes de terminar o colegial, eu já vinha pra São Paulo uma vez por semana pra ter aulas de técnica vocal com o tenor Luiz Tenaglia. Participei de vários festivais no interior, sempre cantando.

Quando chegou a hora de fazer faculdade, já queria mais gente, outras histórias. Deixei o piano um pouco de lado e fui pra São Paulo cursar cinema na FAAP, mas sempre com a cabeça no canto. Tive outros professores de voz: Nancy Miranda, Madalena Bernardes e Maúde Salazar. Acabando a faculdade, fui trabalhar como vocalista. Então cantei com cantor espanhol (Manolo Otero), cantor sertanejo (Leandro e Leonardo, Zezé di Camargo e Luciano), cantor de samba, rock, funk e soul e assim foi.

Quando o piano me chamou de volta, tive aulas do instrumento e de harmonia com o mestre Gogô, que me apresentou um universo harmônico, e com Armando Ferrante, que me deu muita lição de casa pra ficar com os dedos em dia. Hoje eu penso que mixando isso tudo ficou um grande interesse pela palavra cantada, pela importância do discurso e como ele vem apresentado; do cinema eu trouxe a preocupação em contar histórias, em roteirizar.

Com o Tuco, já há muito tempo, vou construindo nossa história musical, mesclando as nossas influências, procurando nos bastar em todos os sentidos, achando no outro o complemento – eu sou fogo e terra, e ele é ar e água, então eu acendo e ele espalha. Juntos temos um filho lindo, que se chama Tom.

http://www.joetuco.com.br/pt/biografia.php

[youtube]JIDBjS2c2y4[/youtube]