Portal Café Brasil
1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

Os Podcasts Café Brasil Musicais
Os Podcasts Café Brasil Musicais
Música é uma de nossas grandes paixões, por isso de ...

Ver mais

#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Se você se aproximar do Café Brasil, prepare-se para ...

Ver mais

661 – A teoria do valor subjetivo
661 – A teoria do valor subjetivo
O mercado é o resultado da interação entre milhões de ...

Ver mais

660 – Na esquina da sua casa
660 – Na esquina da sua casa
Não espere que o Estado se preocupe com o indivíduo. O ...

Ver mais

659 – Empreendedorismo no Palco
659 – Empreendedorismo no Palco
Muitos anos atrás, acho que uns 20, fui convidado para ...

Ver mais

658 – Chá com a gente
658 – Chá com a gente
Este programa reproduz a edição especial do Podcast Chá ...

Ver mais

LíderCast 149 – Ronaldo Tenório
LíderCast 149 – Ronaldo Tenório
Empreendedor, que vem lá do nordeste para mudar a vida ...

Ver mais

LíderCast 148 – Bruno Busquet
LíderCast 148 – Bruno Busquet
CEO da Tupiniq,In Inside Out Agency e president do ...

Ver mais

LíderCast 147 – Sherlock Gomes
LíderCast 147 – Sherlock Gomes
Músico, um guitarrista e baixista excepcional cuja ...

Ver mais

LíderCast 146 – Cândido Pessoa
LíderCast 146 – Cândido Pessoa
Um intelectual, professor no Paradigma centro de ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Que falta faz Roberto Campos!
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Que falta faz Roberto Campos!  Homenagem em três livros “O bem que o Estado pode fazer é limitado; o mal, infinito. O que ele nos pode dar é sempre menos do que nos pode tirar.” Roberto Campos ...

Ver mais

O copo, a água e o STF
Carlos Nepomuceno
RESUMO DA LIVE: LIVE COMPLETA: https://web.facebook.com/carlos.nepomuceno/videos/10157256876268631 RESUMO DAS LIVES ANTERIORES: https://www.youtube.com/playlist?list=PL7XjPl0uOsj8TxfUISqzcl4YrxYBC0vOw

Ver mais

O Rock, Bruce Springsteen e uma lição sobre liderança!
Jeison Arenhart De Bastiani
Outro dia assisti boquiaberto algo que não sei muito bem como descrever, mas posso afirmar que foi incrível e vou contar para você como um músico (que confesso não acompanhar muito) me deu uma ...

Ver mais

100 dias de Bolsonaro
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
100 dias de Bolsonaro Mais dúvidas e incertezas do que avanços concretos “O discurso liberal, que parece ser o principal pilar da agenda econômica, está sendo obscurecido por dois outros ...

Ver mais

Cafezinho 169 – O silêncio das pedras
Cafezinho 169 – O silêncio das pedras
Há silêncios e silêncios. Há o silêncio das pedras. Há ...

Ver mais

Cafezinho 168 – O que nos define
Cafezinho 168 – O que nos define
O que nos define são os adversários que vencemos.

Ver mais

Cafezinho 167 – Monstros da negatividade
Cafezinho 167 – Monstros da negatividade
“O otimista é o pessimista bem informado”, lembra ...

Ver mais

Cafezinho 166 – O nobre
Cafezinho 166 – O nobre
Este Brasil de 2019 é muito diferente daquele de 2015.

Ver mais

Jeca Mineiro

Jeca Mineiro

Luciano Pires -

alt
Jeca Mineiro

José Silva (Jeca Mineiro) nasceu em Arceburgo/MG no dia 04 de setembro de 1913.

Iniciou sua carreira artística aos 10 anos de idade, quando passou a tocar viola e cantar em reuniões festivas em sua cidade natal. Aos 15 anos, recebeu de seu avô uma viola de presente.

Mudou-se para São José do Rio Pardo e continuou se apresentando em festas. Em 1946, mudou-se para São Paulo. No mesmo ano formou uma dupla com Chico Carretel e os dois passaram a se apresentar na Rádio Cruzeiro do Sul, no programa “Serra da Mantiqueira”. A dupla logo se desfez e, em seguida, formou uma nova parceria com Motinha, com quem atuou no programa “Serra da Mantiqueira”, na Rádio Bandeirantes.

Em 1949, formou dupla com Mineirinha. Em 1953, a dupla gravou o rasqueado “Perfume de Meu Bem”, de sua autoria. Gravou no ano seguinte “Mulher Ciumenta”, rasqueado de Palmeira e Nonô Basílio. Em 1955, foi formado o Trio Jeca Mineiro, Bambuí e Pirajá, que gravou em 1956 a toada “Filho de Ninguém”, de José Fortuna, e a moda de viola “Moda das duplas”, de Piraci.

No início dos anos 1960, formou nova dupla, agora com Nininha. O primeiro disco da dupla incluiu a canção rancheira “Meu Diário” , parceria com Teixeira Filho, e a guarânia “Quem é que não sente”, parceria com José Russo. A dupla faria ainda outras gravações nos quatro anos em que permaneceu atuando. Suas composições foram gravadas e conheceram sucesso na voz de outros intérpretes.

Em 1959, Nonô e Naná gravaram a valsa “Minas Gerais”. Em princípios dos anos 1960, Liu e Léu gravaram o valseado “Amarga Saudade”. Em 1963, Zilo e Zalo gravaram a moda de viola “Alma do Ferreirinha”. No mesmo ano, Paiozinho e Zé Tapera gravaram o bolero “A Dama de Vermelho”, que se tornaria um dos maiores sucessos de sua autoria e um dos clássicos do repertório sertanejo. Na Rádio Cultura, apresentou o programa “Lá no Pé da Serra”.

Na segunda metade dos anos 1960, por recomendações médicas, teve que parar de cantar, continuando, entretanto, a compor.

Em 1976, a dupla Chitãozinho e Xororó gravou em seu LP “Doce Amada”, a composição “Caboclo de Fato”, de sua autoria e Kambukira.

Em 1978, compôs, com o pintor de placas e cartazes Atílio Versuti, a canção “Fuscão Preto”, que se tornou um verdadeiro fenômeno da música sertaneja. Logo após ficar pronta, a música foi gravada pela dupla Giovanti e Mariel, numa prensagem particular.

Em 1980, o trio mineiro Vandeirante, Zé Batista e Darlon gravou-a por um pequeno selo. No fim daquele ano, Zé Tapera e Teodoro gravaram “Fuscão Preto” para a RCA. Estas gravações, entretanto, não obtiveram sucesso e passaram desapercebidas.

Em 1982, foi regravada pelo Trio Os Gladiadores e iniciou sua trajetória de sucesso. Com aquele trio vendeu mais de 100 mil cópias.

No mesmo ano, Almir Rogério a gravou e chegou a vender mais de 700 mil cópias.

A música “Fuscão Preto” recebeu versões nos Estados Unidos, “Black Mustang”, e na Itália, “Fiat Nero”, além de ter virado filme de Jeremias Moreira Filho, com atuação de Xuxa e Almir Rogério, entre outros. Recebeu também mais de 50 regravações. Em 1997, a gravação de “Fuscão Preto” na voz do Duo Ciriema foi relançado pela BMG, no CD da “Luar do Sertão” dedicado à dupla.

http://www.recantocaipira.com.br/jeca_mineiro.html

http://mpbantiga.blogspot.com.br/2011/01/jeca-mineiro.html