Portal Café Brasil
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

591 – Alfabetização para a mídia
591 – Alfabetização para a mídia
Hoje em dia as informações chegam até você ...

Ver mais

590 – O que aprendi com o câncer
590 – O que aprendi com o câncer
O programa de hoje é uma homenagem a uns amigos ...

Ver mais

589 – A cultura da reclamação
589 – A cultura da reclamação
Crianças mimadas, multiculturalismo, politicamente ...

Ver mais

588 – Escola Sem Partido
588 – Escola Sem Partido
Poucos temas têm despertado tantas paixões como a ...

Ver mais

LíderCast 91 – Saulo Arruda
LíderCast 91 – Saulo Arruda
Saulo Arruda, que teve uma longa carreira como ...

Ver mais

LíderCast 90 – Marcelo Ortega
LíderCast 90 – Marcelo Ortega
Marcelo Ortega, palestrante na área de vendas, outro ...

Ver mais

LíderCast 89 – Bruno Teles
LíderCast 89 – Bruno Teles
Bruno Teles, um educador que sai de Sergipe para se ...

Ver mais

LíderCast 88 – Alfredo Rocha
LíderCast 88 – Alfredo Rocha
Alfredo Rocha, um dos pioneiros no segmento de ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Vale fazer um curso universitário se as profissões vão desaparecer?
Mauro Segura
Transformação
Numa perspectiva de que tudo muda o tempo todo, será que vale a pena sentar num banco de universidade para se formar numa profissão que vai desaparecer ou se transformar nos próximos anos?

Ver mais

Tolerância? Jura?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Engraçada essa tal “tolerância” que pregam por aí, por dois simples motivos: 1) é de mão única e 2) pretende tolher até o pensamento do indivíduo. Exagero? Não mesmo. Antes que algum ...

Ver mais

Ensaio sobre a amizade
Tom Coelho
Sete Vidas
“A gente só conhece bem as coisas que cativou. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm ...

Ver mais

Um reino que sente orgulho de seus líderes
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Um reino que sente orgulho de seus líderes  Victoria e Abdul   Uma vez mais, num curto espaço de tempo, o cinema nos brinda com um filme baseado na história de uma destacada liderança britânica. ...

Ver mais

Cafezinho 28 – No grito
Cafezinho 28 – No grito
Não dá pra construir um país no grito.

Ver mais

Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Tem gente que, em vez de planos, só tem esperança.

Ver mais

Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Não dá para ganhar um jogo sem acreditar no time.

Ver mais

Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
O culto do sentimento destrói a capacidade de pensar e ...

Ver mais

Fausto Silva

Fausto Silva

Luciano Pires -

Iniciou sua carreira aos quinze anos, como repórter da rádio Centenário de Araras, no interior de São Paulo. Logo depois, mudou-se para Campinas e trabalhou durante cinco anos na Rádio Cultura, na qual comandou o musical New Pop International.

Em 1970, foi contratado pela Rádio Record, na capital paulista, para apresentar o jornal da noite, do qual era também redator, e se iniciou no mundo do esporte, passando a trabalhar como repórter de campo na Jovem Pan – Rádio Panamericana. Além do rádio, Faustão também se dedicou ao jornalismo tendo sido contratado pelo jornal O Estado de São Paulo, como reporter esportivo. Foi nessa função que foi levado para a Rádio Globo, em 1977, convidado por Osmar Santos.

Nessa época, Osmar Santos estava cursando a faculdade de Administração Pública na Fundação Getúlio Vargas e tinha aulas com nomes destacados da política como Eduardo Suplicy e André Franco Montoro; o momento de abertura política entusiasmava muito o locutor, tanto que ele levava para as transmissões futebolísticas artistas importantes, como Lima Duarte, e políticos, como o então sindicalista Luís Inácio Lula da Silva para comentarem o jogo e a situação do país.

Isso impacientou alguns anunciantes que pediram uma providência para o Sistema Globo de Rádio.

Por obra do diretor da Rádio Globo, Francisco Paes de Barros, e do chefe da equipe de esportes Edison Scatammachia, um horário foi conseguido na Rádio Excelsior para que Osmar Santos extravasasse esse entusiasmo com o programa Balancê, que recebia artistas de teatro e televisão, políticos, contava no humor com a dupla Nelson Tatá Alexandre e Carlos Roberto Escova, na apresentação, além de Osmar Santos, com os locutores Juarez Soares, Jorge de Souza, Braga Júnior, Reynaldo Costa e o repórter Castilho de Andrade, na sonoplastia, com a lenda do rádio brasileiro, João Antônio de Souza, o Johnny Black, e na produção com Paulo Matiussi e Yara Peres.

Fausto participava do programa como repórter ou assumindo a apresentação.

Em 1983, com o maior envolvimento de Osmar Santos em projetos em televisão e a ida de Juarez Soares para a TV Bandeirantes, Fausto se torna o primeiro apresentador do Balancê, acentuando o lado cômico com seu jeito escrachado, junto com a dupla de humoristas. Nessa época, assume a produção do programa a então secretária de Osmar Santos, ex-telefonista da Rádio Globo, Lucimara Parisi, e o jornalista Odir Cunha.

Em outubro desse mesmo ano, o Balancê passa a ser transmitido com auditório, da lendária Palhaçaria Pimpão, no bairro da Santa Cecília, em São Paulo, e o escracho e a diversão tomam conta do programa, que não deixa de receber artistas e políticos.

Em janeiro de 1984, Goulart de Andrade visita o Balancê. Impressionado, propõe a Fausto e toda a equipe a passagem do programa para a TV. Em março desse ano, vai ao ar pela TV Gazeta o Perdidos na Noite (nome em português de um filme com participação de Jon Voight e Dustin Hoffman) em horário comprado por Goulart de Andrade. Em setembro, o programa passa para a Record, e, em pouco tempo, se desvincula de Goulart de Andrade para assumir uma direção própria.

Em 1986, o Perdidos na Noite passa a ser transmitido pela TV Bandeirantes para todo o Brasil, sendo que antes era só transmitido para São Paulo. Na mesma emissora, Fausto chegou a apresentar o programa Safenados e Safadinhos.

Em 26 de março de 1989, estreia na Rede Globo, emissora em que até hoje apresenta o programa de auditório Domingão do Faustão, nas tardes de domingo, com a participação de Caçulinha (até 2008) e Lucimara Parisi (até 2009).

Em maio de 2008, o programa chegou a sua milésima edição, sendo ele um dos programas de maior rendimento para a TV Globo. Na ocasião diversas personalidades do meio artístico e cultural felicitaram o apresentador. A personalidade mais importante a deixar seu depoimento foi o presidente da república do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva, que foi aplaudido pelo auditório.


Fausto Silva

[youtube]V8QQpAXV-B8[/youtube]
[youtube]CfrWnPiTyeE[/youtube]
[youtube]ycW7Ke9d9nM[/youtube]