Portal Café Brasil
Podpesquisa 2018
Podpesquisa 2018
Em sua quarta edição, a PodPesquisa 2018 recebeu mais ...

Ver mais

Como decidi em quem votarei para Presidente
Como decidi em quem votarei para Presidente
Não sei se estou certo, não fui pela emoção, não estou ...

Ver mais

Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

639 – Chega de falar de política
639 – Chega de falar de política
Diversos ouvintes mandam mensagens pedindo para que eu ...

Ver mais

638 – O efeito Dunning-Kruger
638 – O efeito Dunning-Kruger
Cara, eu fico besta com a quantidade de gente que ...

Ver mais

637 – LíderCast 10
637 – LíderCast 10
Olha só, chegamos na décima temporada do LíderCast. Com ...

Ver mais

636 – As duas éticas da eleição
636 – As duas éticas da eleição
Gravei um LíderCast da Temporada 11, que só vai ao ar ...

Ver mais

LíderCast 132 – Alessandro Loiola
LíderCast 132 – Alessandro Loiola
Médico, escritor, um intelectual inquieto, capaz de ...

Ver mais

LíderCast 131 – Henrique Szklo e Lena Feil
LíderCast 131 – Henrique Szklo e Lena Feil
Henrique Szklo e Lena Feil – Henrique se apresenta como ...

Ver mais

LíderCast 130 – Katia Carvalho
LíderCast 130 – Katia Carvalho
Mudadora de vidas, alguém que em vez de apenas lamentar ...

Ver mais

LíderCast 129 – Guga Weigert
LíderCast 129 – Guga Weigert
DJ e empreendedor, que a partir da experiência com a ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Quem não é capaz de rir de si mesmo será sempre um intolerante em potencial
Henrique Szklo
Humorista de verdade não tem lado, não tem ideologia, não tem bandeira. Independentemente de sua posição pessoal, tem de ser livre o suficiente para atirar em tudo o que se mexe e no que não se ...

Ver mais

Capitalismo Versus Esquerdismo*
Alessandro Loiola
Uma das consequências involuntárias do capitalismo é que ele coloca diferentes culturas e sociedades em contato direto muito mais amplo umas com as outras. Liga as pessoas entre si muito mais ...

Ver mais

A cavalgada de um cowboy
Jota Fagner
Origens do Brasil
Cowboy não havia dormido bem. Tinha feito corridas até às duas da manhã. O trabalho como moto-taxista costumava não render muito, mas em época de alta temporada a demanda era muito grande. ...

Ver mais

O ENEM e a (anti-)educação
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Nos dois últimos fins-de-semana, milhões de candidatos ao ensino superior realizaram as provas do ENEM. O vestibular é o telos do ensino fundamental e médio no Brasil. As escolas privadas assumem ...

Ver mais

Cafezinho 125 – O chute
Cafezinho 125 – O chute
Se o governador mentiu ou se enganou, peço desculpas ...

Ver mais

Cafezinho 124 – À luz do sol
Cafezinho 124 – À luz do sol
É assim, com a luz do sol, que a gente faz a limpeza.

Ver mais

Cafezinho 123 – A zona da indiferença
Cafezinho 123 – A zona da indiferença
Ter consciência sobre o que é certo e errado todo mundo ...

Ver mais

Cafezinho 122 – Vira a chave
Cafezinho 122 – Vira a chave
Mudar de assunto no calor dos acontecimentos é ...

Ver mais

Edmundo Barreto Pinto

Edmundo Barreto Pinto

Luciano Pires -

alt
Edmundo Barreto Pinto

Edmundo Barreto Pinto foi eleito deputado pelo PTB no Rio de Janeiro.

O deputado tentava tornar ainda mais marcante a sua imagem pública, os jornalistas queriam fornecer mais um escândalo ao público

Em 1946, Barreto Pinto, um novo rico recém-eleito deputado (teve pouco mais de 200 votos, assumiu o mandato por ser um dos suplentes de Getúlio Vargas), teria acertado com os jornalistas David Nasser e Jean Manzon, da revista ‘O Cruzeiro’, uma reportagem sobre a sua importante presença na alta sociedade carioca.

A sessão de fotos foi realizada na casa da nova esposa, um palacete em Botafogo. Os jornalistas, devido ao calor, teriam sugerido que ele se dispensasse de vestir as calças, até porque as fotos o mostrariam da cintura para cima. O deputado, ingenuamente, teria concordado.

Correu, no entanto, a versão de que ele teria pago a reportagem, já incluindo a combinação de processar posteriormente os jornalistas, uma vez que todos ganhariam notoriedade com isso177. A publicação da matéria ‘Barreto Pinto sem Máscara’ (que chegou a ser republicada pela revista Time nos EUA), na qual o deputado aparece em várias fotos nestes trajes (tanto posando quanto nos preparativos), provocou grande celeuma, incluindo a questão do suposto acordo entre os repórteres e o fotografado.

A consequ?ência maior do imbróglio foi a cassação do deputado por ‘falta de decoro’, a primeira do Congresso brasileiro.

Quanto à publicação da matéria, não houve maiores conseqüências jurídicas ou legais. Um resultado que não surpreende, pois, como define, na sequ?ência, a própria Silvana Louzada, ‘ambas as versões, a de acordo remunerado entre as partes ou a de exploração da boa fé do parlamentar, remetem a procedimentos jornalísticos éticos espúrios, mas que eram bem absorvidos e mesmo incentivados pela direção da revista’.

Uma história que traz à tona, portanto, o lado ‘mau’ das relações entre fotógrafo e fotografado, a exemplo de muitas outras situações duvidosas e/ou criticáveis na imprensa brasileira, sempre em torno de dinheiro ou poder, relativamente freqüentes na história das empresas jornalísticas. Independente das questões éticas, percebe-se, no caso, a presença, apesar do conflito de versões, de um processo de negociação prévio entre fotógrafo e fotografado, que definiu uma previsão de formato para a matéria (que já incluía as fotos) e o estabelecimento de uma relação de confiança.

Resultou que, feita a reportagem, passamos a ter ou a manutenção do combinado (na versão do conluio entre todos) ou a quebra do acordo (na versão da ingenuidade do deputado, traído pelos jornalistas).

A primeira hipótese é possível, ainda que seja difícil acreditar em uma auto-promoção tão múltipla e radical, embora não se deva esquecer outras muito maiores, em outros níveis de decisão… Não sendo da prática comum do fotojornalismo, deixamos de considerar.

A segunda possibilidade, porém, é altamente característica da reportagem fotográfica. Corresponde ao fato de que o fotografado não tem controle sobre a imagem que vai ser publicada. Por mais que novas leis e decisões da justiça sobre os direitos de imagem tenham surgido e possam até inibir excessos, a decisão da publicação não pertence ao fotografado. Aliás, na maioria das vezes, como sabemos, também não pertence ao fotógrafo…

Esta é, sem dúvida, uma das mais imediatas dificuldades éticas do fotojornalismo e podemos notar que ela perpassa todos os depoimentos recebidos. Praticamente nenhum problema ocorre quando o fotografado é retratado (ou melhor, publicado) de uma forma positiva (do seu ponto de vista), mas tudo muda quando a combinação tácita é transgredida, como em uma das possibilidades desta comparação, ou quando o fotografado desenvolve novos interesses ou reconsidera os antigos.’

Texto de Aguinaldo Ramos, extraído da tese de mestrado A História bem na Foto, apresentada na UFRJ.”

.