Portal Café Brasil
1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

Os Podcasts Café Brasil Musicais
Os Podcasts Café Brasil Musicais
Música é uma de nossas grandes paixões, por isso de ...

Ver mais

#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Se você se aproximar do Café Brasil, prepare-se para ...

Ver mais

666 – O diabo é o pai do rock
666 – O diabo é o pai do rock
Existem dezenas de explicações para o 666 ser chamado ...

Ver mais

665 – O Vale
665 – O Vale
A trilha para o sucesso envolve trabalho duro e ...

Ver mais

664 – Sobre lagartas e borboletas
664 – Sobre lagartas e borboletas
Cara, como mudar é difícil... perder peso...manter ...

Ver mais

663 – A crisálida
663 – A crisálida
A maturidade entende que existe a escuridão no mundo, ...

Ver mais

LíderCast 154 – Diógenes e Michelle Cezila
LíderCast 154 – Diógenes e Michelle Cezila
Empreendedores brasileiros, que se mudam para os ...

Ver mais

LíderCast 153 – Rafael Bernardes
LíderCast 153 – Rafael Bernardes
Empreendedor em TI, que capacita outros profissionais ...

Ver mais

LíderCast 152 – Lucia Moyses
LíderCast 152 – Lucia Moyses
Escritora, psicóloga e neuropsicóloga, um papo sobre ...

Ver mais

LíderCast 151 – Irineu Toledo
LíderCast 151 – Irineu Toledo
Radialista, uma das vozes mais marcantes e conhecidas ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Bolsonaro errou, mas nem tanto
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Bolsonaro fala demais, e sem freios. Não faz a necessária reflexão prévia. Ele precisa lembrar, urgentemente, que não é mais deputado nem está no balcão do boteco. O cargo que ocupa merece todo o ...

Ver mais

TRIVIUM: CAPITULO 2 – DIMENSÕES LÓGICA E PSICOLÓGICA DA LINGUAGEM (parte 8)
Alexandre Gomes
  Eu prometo que esse segundo capítulo vai acabar! Acho que terá umas 12 partes… Mas vamos lá! De volta à diversão. É claro que a linguagem tem aspectos LÓGICOS e PSICOLÓGICOS, veja ...

Ver mais

O Brasil da TV Globo, do Whatsapp e as manifestações do dia 26/05
Carlos Nepomuceno
RESUMO DA LIVE: LIVE COMPLETA: https://web.facebook.com/carlos.nepomuceno/videos/10157340715398631 LINKS DAS OUTRAS LIVES: ...

Ver mais

Eu não acredito na democracia moderna
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Eu não acredito na democracia representativa moderna. * * * Concordo com Schumpeter: no modelo de democracia do século XX, os indivíduos comuns são simplesmente consumidores de produtos políticos ...

Ver mais

Cafezinho 178 – O Exorcista
Cafezinho 178 – O Exorcista
O Brasil está sofrendo um imenso exorcismo, e o demônio ...

Ver mais

Cafezinho 177 – Os monstros da negatividade 3
Cafezinho 177 – Os monstros da negatividade 3
A negatividade tem suas raízes no medo de ser ...

Ver mais

Cafezinho 176 – Gostou? Compartilhe.
Cafezinho 176 – Gostou? Compartilhe.
Gostou? Compartilhe! Só assim, fazendo a nossa parte, ...

Ver mais

Cafezinho 175 – Não use sua ignorância
Cafezinho 175 – Não use sua ignorância
Quando você não conhece o objeto de sua análise, será ...

Ver mais

Deng Xiaoping

Deng Xiaoping

Luciano Pires -

alt
Deng Xiaoping

Deng Xiaoping, (22 de agosto de 1904 –  19 de fevereiro de 1997) foi o secretário-geral do Partido Comunista Chinês (PCC), sendo, de fato, o líder político da República Popular da China entre 1978 e 1992. É o criador do chamado socialismo de mercado, regime vigente na China moderna.

Em 1919, Deng formou-se na Escola Preparatória de Chongqing. Ganhou, então, uma bolsa de estudos na França.

Na Franca trabalhou como metalúrgico na fábrica da Renault em Billancourt, bombeiro e assistente de cozinheiro em Paris. Nestes empregos ele ganhava apenas o suficiente para a susbstência. Muito desses empregos tinham condições de trabalho insalubres, com trabalhadores frequentemente se acidentando.
Deng mais tarde afirmaria que foi na França que primeiro experimentou os problemas da sociedade capitalista. Ele estudava em Bayeux e Chantillon. Durante os estudos teve contato com o Marxismo e entrou para a Juventude Comunista Chinesa em 1921. Em 1926, Deng concluiu seus estudos em Moscou e retornou para a China.

Deng colaborou em várias missões políticas e militares durante a guerra civil no Sul (1930-1934) até que os comunistas fossem obrigados a fugir, derrotados por Chiang Kai Shek.

Participou da Longa Marcha até o estabelecimento de uma nova base comunista em Yenan (1934-1936); nessa época, alinhou-se às teses defendidas por Mao Zedong dentro do Partido, que o colocou à cabeça do movimento quando Mao ganhou o controle em 1935.

Durante a guerra contra os japoneses (1937-1945), Deng atuou como comissário político no exército, establecendo estreitas relações com os chefes militares, que se revelariam decisivas para impulsionar sua carreira posterior.

Em 1945 entrou para o Comitê Central do Partido Comunista; em 1954 subiu à vice-presidência do governo e em 1955 tornou-se secretário-geral do Partido e membro do Politburo. Deng logo mostrou-se um líder moderado e pragmático, frente ao radicalismo sustentado por Mao Tsé-Tung nos anos do Grande Salto Adiante (1958-1961). Entre 1962 e 1965 teve de se dedicar a reparar os estragos econômicos causados pelos excessos de Mao.

Caiu em desgraça durante a Revolução cultural, quando era secretário geral do PCC. Em outubro de 1966, torna-se alvo de críticas, assim como Liu Shaoqi. Em dezembro daquele ano, mais de três mil estudantes manifestam-se contra eles em Pequim. Eram acusados de defender uma estatização da economia à moda soviética, e de serem contrários aos ideais do Grande salto adiante. Na retórica da Revolução Cultural, isso equivalia a tachá-los de “revisionistas soviéticos”, “burgueses reacionários” e de “capitalistas”. Deng e Liu lutavam contra a demasiada influência do maoísmo e abriram inquéritos contra funcionários corruptos.

Deng foi submetido a humilhações públicas e obrigado a abandonar suas funções no PCC. Foi obrigado a fazer autocrítica de seus “erros” (1967) e enviado a trabalhar como operário em uma fábrica de tratores no interior do país (1970). Sua família foi perseguída pelas guardas vermelhas, seu filho foi preso, torturado e jogado de uma janela do quarto andar de um prédio e ficou paralítico. Deng resistiu escolhendo viver isolado.

Aproximou-se novamente do poder em meados dos anos 1970. No final de 1975 tornou-se vice-primeiro ministro, voltando a ser o Secretário Geral do partido. Em 1976, com a morte de Mao Tsé-Tung, torna-se, de fato, o novo líder chinês. No ano seguinte, repudia publicamente a Revolução Cultural e lança a Primavera de Pequim, que traz certa abertura na imprensa chinesa e permite críticas e denúncias sobre a Revolução Cultural.