Portal Café Brasil
Como decidi em quem votarei para Presidente
Como decidi em quem votarei para Presidente
Não sei se estou certo, não fui pela emoção, não estou ...

Ver mais

Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

635 – De onde surgiu Bolsonaro?
635 – De onde surgiu Bolsonaro?
O pau tá quebrando, a eleição ainda indefinida e nunca ...

Ver mais

634 – Me chama de corrupto, porra!
634 – Me chama de corrupto, porra!
Cara, que doideira é essa onda Bolsonaro que, se você ...

Ver mais

633 – Ballascast
633 – Ballascast
O Marcio Ballas, que é palhaço profissional, me ...

Ver mais

632 – A era da inveja
632 – A era da inveja
Uma pesquisa de 2016 sobre comportamento humano mostrou ...

Ver mais

LíderCast 128 – Leide Jacob
LíderCast 128 – Leide Jacob
Empreendedora cultural e agora cineasta, que ...

Ver mais

LíderCast 127 – Lito Rodriguez
LíderCast 127 – Lito Rodriguez
Empreendedor, criador da DryWash, outro daqueles ...

Ver mais

LíderCast 126 – Alexis Fonteyne
LíderCast 126 – Alexis Fonteyne
Empresário criativo e agora candidato a Deputado ...

Ver mais

LíderCast 125 – João Amoêdo
LíderCast 125 – João Amoêdo
Decidimos antecipar o LíderCast com o João Amoêdo ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Marxistas brasileiros vivem espécie de alucinação coletiva recorrente
Carlos Nepomuceno
O jornal Folha de São Paulo publica um artigo feita por uma petista confessa: Ver aqui: https://www.facebook.com/carlos.nepomuceno/posts/10156853246303631 …sem nenhum fato, baseado em ...

Ver mais

Sempre, sempre Godwin
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
O advogado Mike Godwin criou em 1990 a seguinte “lei” das analogias nazistas: “À medida que uma discussão online se alonga, a probabilidade de surgir uma comparação envolvendo Adolf Hitler ou os ...

Ver mais

É mais fácil seguir o grupo
Jota Fagner
Origens do Brasil
Existe uma crença muito difundida de que a história humana avança em etapas gradativas e que culminará numa revolução transformadora. O tipo de revolução muda conforme o viés ideológico. A ...

Ver mais

Bolsonaro e Transformação Digital
Carlos Nepomuceno
Vivemos o início de Revolução Civilizacional na qual ao se plantar um "pé de cooperativa de táxi" por mais que se tome litros de Design Thinking não nasce nunca um Uber.

Ver mais

Cafezinho 116 – Os demônios brochadores
Cafezinho 116 – Os demônios brochadores
O que vem por aí? Uma mudança ou nova brochada?

Ver mais

Cafezinho 115 – Um voto não vale uma amizade
Cafezinho 115 – Um voto não vale uma amizade
Não gaste sua energia e seu tempo precioso de vida ...

Ver mais

Cafezinho 114 – E se?
Cafezinho 114 – E se?
Mudanças só acontecem quando a crise que sofremos for ...

Ver mais

Cafezinho 113 – Merdades e Ventiras
Cafezinho 113 – Merdades e Ventiras
Conte até dez antes de compartilhar uma merdade

Ver mais

Conrado Paulino

Conrado Paulino

Luciano Pires -

alt

Nascido em Buenos Aires, Conrado Paulino mudou-se para Campinas em 1980, fugindo da violenta repressão militar que imperava na Argentina. Mas, independente disso, já era fanático pela mpb.

Na adolescência costumava passar horas ouvindo João Gilberto e Vinícius de Moraes e Toquinho, com fone de ouvido e a luz apagada. Em seu fone também tocava muita música espanhola, principalmente Joan Manuel Serrat, e ainda Frank Zappa, Yes e Beatles, assim como John Coltrane, Oscar Peterson, Dave Brubeck, Modern Jazz Quartet e mais tudo de interessante que caísse em sua mão. Não poderia ter ignorado o moderno tango argentino; costumava ouvir o grupo vocal Buenos Aires 8 e principalmente Astor Piazzola, por quem ainda é fanático.

Aos domingos tinha de encontrar alguma outra coisa para fazer, pois naquele dia a vitrola era de sua mãe que botava para rodar discos de bolero e música erudita. Conrado começou a tocar no violão de seu pai, músico diletante, que foi lhe passando as primeiras dicas e mais tarde lhe arrumou um professor.

Estudou com os concertistas Jorge Molinari e Roberto Lara e também aprendeu muito tirando de ouvido os discos de Baden Powell, sua primeira grande influência. Outra grande ajuda foi o método para violão de Paulinho Nogueira.

Antes de mudar-se para São Paulo, Conrado viveu seis anos em Campinas onde começou sua carreira tocando em restaurantes, casas noturnas e bailes. Tinha de tocar de tudo quase sem ensaio, o que lhe deu, além de traquejo musical, um grande e variado repertório. Tocando em bailes conheceu todo o interior do estado e sul de Minas, geralmente começando as dez e indo até as cinco da manhã.

Então surgiu o convite para dar aulas no Clam, a prestigiosa escola de música do Zimbo Trio. Começou como professor de violão e guitarra e passados de dois anos tornou-se Supervisor de Guitarra e dois anos mais tarde era Supervisor do Depto. de Cordas, responsável pelo planejamento e gerenciamento dos cursos de violão, guitarra e contrabaixo. Conrado Paulino é um dos professores mais respeitados de São Paulo, atualmente leciona na ULM e de suas aulas particulares saíram Chico César, Nuno Mindelis, Fernando Corrêa e Tomati, para citar alguns.

Conrado já acompanhou e acompanha muita gente, principalmente cantoras, entre elas Alaíde Costa, Rosa Passos, Johnny Alf, Alzira Espíndola, Claudete Soares e ainda Cláudio Curi, Roberto Luna, João Suplicy e outros.

Fazendo o que mais gosta, tocar mpb com roupagem jazzística, subiu ao palco com grandes nomes da cena instrumental, entre tantos outros: Zimbo Trio, Heraldo do Monte, Vinícius Dorin, Lito Robledo, Itamar Collaço, Nenê, Hector Costita, Luís Chaves e Paulinho Nogueira.

Atualmente sua atenção está principalmente voltada para seu quarteto que conta com Celso de Almeida na bateria (baterista da Rosa Passos, entre outros artistas), Marinho Andreotti no contrabaixo (toca na Orquestra Jazz Sinfônica, entre outros), e a Débora Picarelli Gurgel no piano e sopros. Do quarteto Conrado comenta: “fazemos releituras de classicos da mpb, tocamos Jobim, Caymmi, Edu Lobo, Ivan Lins, Carlos Lyra -entre outros- e também composições minhas, que são bem “brazucas”, samba, choro ou valsa, tudo com linguagem jazzística, no sentido da abertura para a improvisação e da “roupagem” harmônica, muito sofisticada, por sinal.”

http://va.mu/XWQC – Conrado Paulino no Clube de Jazz

http://www.conradopaulino.com.br/

http://www.myspace.com/conradopaulino

[youtube]ukZYabvKpl4[/youtube]
[youtube]ee8triCb6_A[/youtube]
[youtube]c5507Mg7jkA[/youtube]
[youtube]-2WrmV2_spE[/youube]
[youtube]gMI_ZhFmacs[/youtube]