Portal Café Brasil
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

591 – Alfabetização para a mídia
591 – Alfabetização para a mídia
Hoje em dia as informações chegam até você ...

Ver mais

590 – O que aprendi com o câncer
590 – O que aprendi com o câncer
O programa de hoje é uma homenagem a uns amigos ...

Ver mais

589 – A cultura da reclamação
589 – A cultura da reclamação
Crianças mimadas, multiculturalismo, politicamente ...

Ver mais

588 – Escola Sem Partido
588 – Escola Sem Partido
Poucos temas têm despertado tantas paixões como a ...

Ver mais

LíderCast 91 – Saulo Arruda
LíderCast 91 – Saulo Arruda
Saulo Arruda, que teve uma longa carreira como ...

Ver mais

LíderCast 90 – Marcelo Ortega
LíderCast 90 – Marcelo Ortega
Marcelo Ortega, palestrante na área de vendas, outro ...

Ver mais

LíderCast 89 – Bruno Teles
LíderCast 89 – Bruno Teles
Bruno Teles, um educador que sai de Sergipe para se ...

Ver mais

LíderCast 88 – Alfredo Rocha
LíderCast 88 – Alfredo Rocha
Alfredo Rocha, um dos pioneiros no segmento de ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Vale fazer um curso universitário se as profissões vão desaparecer?
Mauro Segura
Transformação
Numa perspectiva de que tudo muda o tempo todo, será que vale a pena sentar num banco de universidade para se formar numa profissão que vai desaparecer ou se transformar nos próximos anos?

Ver mais

Tolerância? Jura?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Engraçada essa tal “tolerância” que pregam por aí, por dois simples motivos: 1) é de mão única e 2) pretende tolher até o pensamento do indivíduo. Exagero? Não mesmo. Antes que algum ...

Ver mais

Ensaio sobre a amizade
Tom Coelho
Sete Vidas
“A gente só conhece bem as coisas que cativou. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm ...

Ver mais

Um reino que sente orgulho de seus líderes
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Um reino que sente orgulho de seus líderes  Victoria e Abdul   Uma vez mais, num curto espaço de tempo, o cinema nos brinda com um filme baseado na história de uma destacada liderança britânica. ...

Ver mais

Cafezinho 29 – O menos ruim
Cafezinho 29 – O menos ruim
Comece a reparar nos discursos que você faz e ouve ...

Ver mais

Cafezinho 28 – No grito
Cafezinho 28 – No grito
Não dá pra construir um país no grito.

Ver mais

Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Tem gente que, em vez de planos, só tem esperança.

Ver mais

Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Não dá para ganhar um jogo sem acreditar no time.

Ver mais

Bob Lind

Bob Lind

Luciano Pires -

alt

Robert Neale Lind, nasceu no dia 25 de novembro de 1942, em Baltimore, Maryland. Mais de 200 artistas – incluindo Cher, Glen Campbell, Aretha Franklin, Dolly Parton, Eric Clapton, Nancy Sinatra, The Four Tops, Richie Havens, Hoyt Axton e Petula Clark – gravaram covers de canções de Bob Lind, mas como cantor, ele permaneceu como artista de um hit só.

Bob cresceu em Denver, Colorado, e era fã dos caubóis cantores Tex Ritter e Gene Autry, antes de conhecer o rhythm and blues. Com o amigo Jerry formou uma dupla, cantando R&B.

Depois da escola, Bob estudou teatro em Gunnison, Colorado, antes de se dedicar exclusivamente à música em cafés de Denver, depois (1964) em San Francisco, até levar uma fita com cinco canções gravadas ao vivo numa Coffee House em Los Angeles.

Contratado pela Metric Music, Bob conheceu o produtor Jack Nitzsche. Os dois tornaram-se amigos e parceiros, dividindo uma moradia. A primeira sessão de gravação, em 1965, incluiu três faixas: You Should Have Seen It, Truly Julies Blues (I’ll Be There), Cheryl’s Goin’ Home e Elusive Butterfly. Em novembro de 1965, Cheryl’s Goin’ Home foi lançada como single, que fez grande sucesso no radio, com Elusive Butterfly no lado B.

Bob voltou ao estúdio para gravar outras músicas para o álbum Don’t Be Concerned. Em maio de 1966, a Verve Folkways lançou outro album, aproveitando o sucesso de Cheryl’s Goin’ Home, tirado de um acetato que Bob gravara quando tinha 17 anos para a Banbox em Denver, chamado The Elusive Bob Lind. O segundo álbum para a Metric Music, Photographs Of Feeling (1966) foi o ultimo com Nitzsche. Na sequencia, Bob Lind começou a beber e usar drogas, retirando-se da música em 1969. Durante esse período, compôs as músicas para o álbum Since there Were Circles (1971), pela Capitol. Colaboraram Gene Clark (ex-Byrds – harmônica), Doug Dillard (banjo) e Sneaky Pete Kleinow (guitarra pedal steel).

A partir de 1977, Lind dedicou-se à composição, incluindo cinco romances e roteiros premiados. Bob Lind retornou ao mundo musical em 2004, cantando Perspective, a composição do momento com a batida das antigas. O álbum Live at the Luna Star Cafe foi lançado em 2006.

http://www.jornalnh.com.br/blogs/hot-club/324497/bob-lind.html

[youtube]v6727qgmRbY[/youtube]
[youtube]OmJzKngKbow[/youtube]
[youtube]r69iv0y1D9w[/youtube]