Artigos Café Brasil
Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

O impacto das mídias sociais nas eleições
O impacto das mídias sociais nas eleições
Baixe a pesquisa da IdeiaBigdata que mostra o impacto ...

Ver mais

631 – O valor de seu voto – Revisitado
631 – O valor de seu voto – Revisitado
Mais discussão de ano de eleição: afinal o que é o ...

Ver mais

630 – Outra Guerreira – Simone Mozilli
630 – Outra Guerreira – Simone Mozilli
Este é outro Café Brasil que reproduz na íntegra um ...

Ver mais

629 – Gramsci e os Cadernos do Cárcere
629 – Gramsci e os Cadernos do Cárcere
Essa aparente doideira que aí está não é doideira. É ...

Ver mais

628 – O olhar de pânico
628 – O olhar de pânico
Aí você para, cansado, desmotivado, olha em volta e se ...

Ver mais

LíderCast 125 – João Amoêdo
LíderCast 125 – João Amoêdo
Decidimos antecipar o LíderCast com o João Amoêdo ...

Ver mais

LíderCast 124 – Sidnei Alcântara Oliveira
LíderCast 124 – Sidnei Alcântara Oliveira
Segunda participação no LíderCast, com uma história que ...

Ver mais

LíderCast 123 – Augusto Pinto
LíderCast 123 – Augusto Pinto
Empreendedor com uma história sensacional de quem ...

Ver mais

LíderCast 122 – Simone Mozzilli
LíderCast 122 – Simone Mozzilli
Uma empreendedora da área de comunicação, que descobre ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Júlio de Mesquita Filho e a contrarrevolução cultural
Jota Fagner
Origens do Brasil
A ideia de concentração hegemônica não é exclusividade de Gramsci, outros autores de diferentes espectros ideológicos propuseram caminhos parecidos. Júlio de Mesquita Filho é um deles É preciso ...

Ver mais

Imagine uma facada diferente
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Imagine Fernando Haddad sendo vítima de uma tentativa de assassinato. Por um ex-militante do DEM ou do PSL, no mesmo dia em que Bolsonaro quase morreu pelas mãos de um ex-PSOL. Primeiramente, os ...

Ver mais

Uma discussão sobre inteligência artificial na educação
Mauro Segura
Transformação
Uma discussão sobre os benefícios que as novas tecnologias podem trazer para a educação brasileira. Mas será que estamos preparados para isso?

Ver mais

A burocracia e a Ignorância Artificial
Henrique Szklo
O Estado brasileiro, desde 1500, tem se esmerado em atravancar qualquer mecanismo da administração pública com um emaranhado de processos burocráticos de alta complexidade, difícil interpretação ...

Ver mais

Cafezinho 107 – O voto proporcional
Cafezinho 107 – O voto proporcional
Seu voto, antes de ir para um candidato, vai para um ...

Ver mais

Cafezinho 106 – Sobre fake news
Cafezinho 106 – Sobre fake news
Fake News são como ervas daninhas, não se combate ...

Ver mais

Cafezinho 105 – Quem categoriza?
Cafezinho 105 – Quem categoriza?
Quem define e categoriza o que será medido pode ...

Ver mais

Cafezinho 104 – A greta
Cafezinho 104 – A greta
Dois meio Brasis jamais somarão um Brasil inteiro.

Ver mais

Xerxesando

Xerxesando

Luciano Pires -

XERXESANDO

Estou relendo um livro precioso. Chama-se Ética & Negócios e foi escrito por Julio Lobos. É uma publicação independente, não está à venda em livrarias. Foi publicado em 2003 e nunca esteve tão atual. Julio trata de ética no ambiente empresarial, numa linguagem simples e objetiva. É uma delícia. Lá pelas tantas, encontro uma história saborosa. No ano 480 a.C., o rei persa Xerxes, após ser derrotado pelos gregos, foge em seu navio abarrotado de cortesãos, para a Turquia. No meio do caminho, com o navio açoitado por fortes ventos, o rei ouve o comandante alertar que o peso está excessivo e podem naufragar a qualquer momento. O comandante lança, então, um olhar significativo em direção à comitiva real. O rei entende o recado e faz um discurso:


– Homens da Pérsia, eis o momento de demonstrar o quanto amam o seu rei. Pois é de vocês, ao que tudo indica, que depende a sorte dele.


Um a um, os cortesãos atiram-se ao mar, aliviando o peso do navio, que chega com segurança ao destino. Em terra firme, o rei, satisfeito e já com a cara cheia de vinho, premia o comandante com uma coroa de ouro. Ele salvara a vida do rei! Em seguida Xerxes manda decapitar o comandante, por ter provocado a morte de muitos súditos.


Julio Lobos comenta a história: “Ao sugerir veladamente o sacrifício dos cortesãos, o comandante afasta-se do código ancestral dos humanos, que manda: ´não matarás´. Xerxes é conivente. Mas também é rei – precisa se conservar inocente. Após concordar com a imolação dos cortesãos, joga a culpa no comandante – ´Não falou claramente´; ´Fui usado´; ´Ignorava as conseqüências´… E assim premia-o primeiro por honrar o direito divino – proteger o rei, que é um deus -, e depois o pune por ter induzido a ele, Xerxes, um mero mortal, a desrespeitar o direito humano à vida. Finalmente, deita-se a desfrutar tranqüilamente o sono dos justos.” 


Xerxes, dois mil e quinhentos anos atrás…


Enquanto lia a história, um filme passava na minha cabeça. Nele, eu via personagens muito conhecidos, que freqüentam nossas televisões, jornais e revistas diariamente. Todos vestidos de Xerxes. E outros com a roupa do comandante… Quantas histórias semelhantes você consegue encontrar no nosso Brasil varonil de hoje, hein? Quantos Xerxes conseguiria apontar? E quantos comandantes? Estou me mordendo aqui para não começar a listar os nomes… Se o fizer, as patrulhas e os ideologicamente estressados dirão que sou preconceituoso, que sou de direita ou de esquerda, que sou da elite ou que sou comunista… Então deixo pra você fazê-lo, vamos lá. Releia a historinha e me aponte um Xerxes na política nacional. E outro no futebol. Mais um na justiça. E outro na segurança pública. Um na empresa onde você trabalha! Quem sabe você não é um Xerxes? Talvez não. Pra ser um Xerxes, tem de ter poder, coisa que nem todos têm.


Pois estou tentado a criar o verbo “xerxesar”.


Eu xerxeso, tu xerxesas, ele xerxesa.


Nós xerxesamos, vós xerxesais, eles xerxesam…


Eu xerxesei, tu xerxesaste, ele xerxesou.


Nós xerxesamos, vós xerxesastes, ele xerxesou. 


Que ótimo!



O xerxesador usa seu poder para jogar a responsabilidade nos ombros de um subalterno, que vai arcar com as conseqüências enquanto ele afirma: “eu não sabia de nada”…


Êpa!