Artigos Café Brasil
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - ...

Ver mais

Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

610 – Abre-te Sésamo
610 – Abre-te Sésamo
Abre-te Sésamo é a frase mágica do conto de Ali-Babá e ...

Ver mais

609 – As leis
609 – As leis
No Fórum da Liberdade que aconteceu em abril de 2018 em ...

Ver mais

608 – As 12 Regras
608 – As 12 Regras
Jordan Peterson é psicólogo clínico, crítico cultural e ...

Ver mais

607 – Uma Guerreira
607 – Uma Guerreira
Este programa reproduz na íntegra o LíderCast 100, pois ...

Ver mais

LíderCast 105 – Jeison Arenhardt
LíderCast 105 – Jeison Arenhardt
LíderCast 105 - Hoje conversamos com Jeison Arenhardt, ...

Ver mais

LíderCast 104 – Odayr Baptista
LíderCast 104 – Odayr Baptista
LíderCast 104 - Hoje conversamos com Odayr Baptista, ...

Ver mais

LíderCast 103 – Ivan Witt
LíderCast 103 – Ivan Witt
Hoje conversamos com Ivan Witt, um executivo brasileiro ...

Ver mais

LíderCast 102 – Paulo Cruz
LíderCast 102 – Paulo Cruz
Com Paulo Cruz, professor, pensador, voz dissonante da ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

O Ibope e a caricatura do conservadorismo
Bruno Garschagen
Ciência Política
Essa pesquisa que mede o grau de conservadorismo da sociedade brasileira é das coisas mais estúpidas que o Ibope já fez.

Ver mais

A nova onda
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
A vitrine acima é um quadro de uma animação de Mauricio Ricardo em https://www.youtube.com/watch?v=j7GJT3jALx4 A moda agora é “ter lado” sobre o vídeo de Gleisi Hoffman – que só é senadora ...

Ver mais

A Copa do Mundo Socioeconômica
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A Copa do Mundo Socioeconômica[1] Considerações preliminares No próximo dia 14 de junho terá início a 21ª edição da Copa do Mundo da FIFA (Fedération Internationale de Football Association), um ...

Ver mais

As 50 empresas mais inovadoras do mundo
Mauro Segura
Transformação
Saiu a edição 2018 do estudo "As 50 empresas mais inovadoras do mundo" do BCG, que apresenta os principais movimentos que grandes organizações estão fazendo para inovar e impactar a sociedade.

Ver mais

Cafezinho 65 – A burrice
Cafezinho 65 – A burrice
Qualquer semelhança com gente que você conhece é pura ...

Ver mais

Cafezinho 64 – Outra piada
Cafezinho 64 – Outra piada
O caso do triplex no Guarujá começou em setembro de ...

Ver mais

Cafezinho 63 – Sai fora
Cafezinho 63 – Sai fora
As pessoas com as quais você anda, as fontes das quais ...

Ver mais

Cafezinho 62 – Dona Terezinha
Cafezinho 62 – Dona Terezinha
Aos domingos à tarde, a companhia da dona Terezinha de ...

Ver mais

Um bosta

Um bosta

Luciano Pires -

Em 2015 palestrei num grande evento onde assisti uma apresentação do BNDES. Não me lembro se era evento do SEBRAE, mas a apresentação foi entusiasmante. Tava tudo lá: o banco criado para fomentar o empreendedorismo, que poderia garantir financiamento barato a quem quisesse se aventurar a construir um negócio. Até então a ideia que eu tinha do BNDES era do banco inacessível, feito para empresas grandes. Mas aquela apresentação me encantou. O BNDES era pra mim!

Estava lá , num dos primeiros slides: “Fundado em 1952, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) é um dos maiores bancos de desenvolvimento do mundo e, hoje, o principal instrumento do Governo Federal para o financiamento de longo prazo e investimento em todos os segmentos da economia brasileira. Para isso, apoia empreendedores de todos os portes, inclusive pessoas físicas, na realização de seus planos de modernização, de expansão e na concretização de novos negócios, tendo sempre em vista o potencial de geração de empregos, renda e de inclusão social para o País.”

Quando voltei a São Paulo fui atrás, perguntei ao gerente do banco com o qual trabalho e ele me disse que poderia arranjar o contato. Não demorou, estavam os dois aqui na minha frente, o gerente do meu banco e o representante do BNDES. Contei a história do Café Brasil, mostrei o estúdio, expliquei que estava buscando meios para expandir o negócio e que o BNDES, pela apresentação que assisti, poderia ser a solução. Mostrei os planos e as ideias de investimento. De quanto eu precisava?

-Ah, uns R$ 500 mil reais dariam para botar o trem andando.

O cara do BNDES então começou a mostrar o que podia ser feito, que tamanho eu devia ter, que só podia ser para compra de equipamentos, que eu podia escolher o cartão BNDES, que a prestação de contas era um inferno burocrático… e no final concluiu:

– No seu caso, é melhor levantar o dinheiro com o seu banco aqui.

O gerente do banco então me mostrou o que podia fazer: talvez (atente para o talvez) um empréstimo garantido por um imóvel meu, igual a tudo que eu já havia visto por aí, com aqueles juros vampirescos, etc e tal.

Mas e o BNDES? E aquelas taxas de juros baixinhas? E aquele monte de dinheiro à minha disposição?

Esqueça. Não é para meu bico. Sou só um empreendedor brasileiro, que tem uma microempresa, que usa o Simples, que tem 2 funcionários. Não importam meus planos, não interessa o que pretendo ou como pretendo ser. Aquele dinheiro barato que o palestrante mostrou naquela apresentação não é para meu bico. Para ter acesso a ele você tem de ser grande. Faturar milhões. Gastar milhões. Ter milhares de empregados. Ser amigo das pessoas certas. E o mais importante: não precisar do empréstimo.

Aos milhares de pequenos empreendedores como eu sobra o quê? O banco, o “meu” banco, louco para me depenar enquanto jura que me ama.

Escrevo estas linhas no momento em que recebo a notícia de que Eike Batista, procurado pela Polícia Federal por suspeita de lavagem de 100 milhões de dólares, foi avisado da batida policial e se mandou para Nova Iorque, onde estaria hospedado no apartamento de um renomado advogado carioca na Trump Tower.

Naquele mesmo 2015 da apresentação sobre o BNDES que me animou, Eike foi convocado para falar na Câmara dos Deputados sobre a situação dos R$ 10 bilhões em financiamentos obtidos por seu Grupo EBX, que faliu em 2013.

O BNDES deu 10 bilhões pra ele.

Parece que estou ouvindo os dois gerentes quando saíram do meu escritório:

– Mas é um bosta mesmo.