Artigos Café Brasil
O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

O impacto das mídias sociais nas eleições
O impacto das mídias sociais nas eleições
Baixe a pesquisa da IdeiaBigdata que mostra o impacto ...

Ver mais

Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - ...

Ver mais

626 – AlôTénica – A Podpesquisa
626 – AlôTénica – A Podpesquisa
O programa reproduz a conversa entre Luciano Pires, Leo ...

Ver mais

625 – João Amoêdo
625 – João Amoêdo
Continuando a conversa com candidatos a Presidente nas ...

Ver mais

624 – Paulo Rabello de Castro
624 – Paulo Rabello de Castro
Na medida do possível, estamos conversando com ...

Ver mais

623 – A lógica da adequação
623 – A lógica da adequação
O tema de hoje é negociação, partindo da famosa análise ...

Ver mais

LíderCast 119 – Fabiano Calil
LíderCast 119 – Fabiano Calil
Educação financeira é seu mote, até o dia em que ele ...

Ver mais

LíderCast 118 – Maria Luján Tubio
LíderCast 118 – Maria Luján Tubio
Jovem argentina, com vivência em vários países e que ...

Ver mais

LíderCast 125 – João Amoêdo
LíderCast 125 – João Amoêdo
Decidimos antecipar o LíderCast com o João Amoêdo ...

Ver mais

LíderCast 117 – Alice Quaresma
LíderCast 117 – Alice Quaresma
Artista plástica, uma história sensacional de uma ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Precisamos reaprender a olhar
Mauro Segura
Transformação
Numa era em que o tempo parece escoar pelos dedos, ironicamente precisamos reaprender a "sentar e observar".

Ver mais

Homenagem aos Economistas 2018
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Homenagem aos Economistas 2018 Memoráveis citações  “Aquele que for somente um economista não tem condições de ser um bom economista, pois todos os nossos problemas tocam em questões de ...

Ver mais

Empurrando com a barriga
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Empurrando com a barriga  Cenários da economia brasileira “A arte da previsão consiste em antecipar o que acontecerá e depois explicar o porquê não aconteceu.” Winston Churchill  Considerações ...

Ver mais

Loop
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
A entrevista de Jair Bolsonaro ao programa Roda Viva, na TV Cultura, deu o que falar. Não pelos motivos esperados, por paradoxal que pareça; mas pela inexperiência dos jornalistas, que fizeram um ...

Ver mais

Cafezinho 97 – Os ciclos
Cafezinho 97 – Os ciclos
A vida acontece, em ciclos. E fica a cada dia mais ...

Ver mais

Cafezinho 96 – A cozinha e a lixeira
Cafezinho 96 – A cozinha e a lixeira
O Brasil é uma grande cozinha. Nela existe uma lixeira. ...

Ver mais

Cafezinho 95 – Banco traseiro
Cafezinho 95 – Banco traseiro
A fila anda! A gente muda! O tempo passa! O mundo é ...

Ver mais

Cafezinho 94 – Jornalismo e civilidade
Cafezinho 94 – Jornalismo e civilidade
O povo quer personalidade, opinião consistente e gente ...

Ver mais

UFC no STF

UFC no STF

Luciano Pires -

Escrevi um texto sobre a Ética da Agressão, no qual comentei sobre a situação atual no Brasil quando parece aumentar a quantidade de pessoas que não conseguem argumentar e apelam para o xingamento e desqualificação dos interlocutores. Mas existem momentos em que o confronto, mais que esperado, é necessário.

Na retomada do julgamento do mensalão, em Agosto de 2013, assistimos a mais um confronto entre o Presidente do STF, Ministro Joaquim Barbosa, e seu colega Ricardo Lewandowski. A razão é conhecida por todos: Levandowski age como advogado de defesa dos réus, tentando de qualquer forma encontrar meios de reduzir suas penas, para isso até mesmo revendo votos já dados ou criando interpretações marotas para leis. Joaquim Barbosa, já cansado das malandragens de Lewandowski, o interpelou de forma dura, acusando-o de querer fazer “chicanas”. Aconteceu então uma áspera discussão que se prolongou nos bastidores. Chicana, no mundo Jurídico, quer dizer dificuldade criada pela apresentação de um argumento com base em um detalhe ou ponto irrelevante; abuso dos recursos, sutilezas e formalidades da justiça; trapaça, tramóia. A dura interpelação de Barbosa custou-lhe críticas. Ele foi chamado de intempestivo, descontrolado, mal humorado, desequilibrado, que age em desacordo com a liturgia de seu cargo, etc. E várias entidades vieram a público com desagravos ao pobre Lewandowski, que foi maltratado pelo malvado Joaquim.

Na década de 1990, Rorion Gracie criou nos EUA um campeonato onde lutadores de várias modalidades se enfrentavam praticamente sem limites. Era o Vale Tudo, que tinha por intenção mostrar que o Jiu-Jitsu, especialidade dos Gracies, tinha supremacia sobre qualquer outro estilo de luta. Mais tarde o Vale Tudo se transformou no UFC – Ultimate Fight Championship. Naquela época, os lutadores do UFC eram especialistas. Embora hoje os especialistas estejam em baixa, ainda há lutadores que têm como ponto forte a “trocação”, a porrada. Saem batendo, chutando, dando cotoveladas, e algumas vezes conseguem nocautear o adversário. É sempre um espetáculo violento, não raro com o ringue cheio de sangue, o que leva a platéia ao delírio e choca os que não conseguem engolir tanta violência.

Já o Jiu-Jitsu é uma arte suave. Não tem porrada. É saber aproveitar movimentos leves, sinuosos, que acabam levando à submissão do adversário. Sem sangue, sem violência.

Joaquim Barbosa é um trocador num ambiente do Jiu-Jitsu, faz barulho, tira sangue, nocauteia o adversário. É tudo menos suave. Gosta mesmo é de trocação. É um pugilista, um lutador de Muay-Thai, esse é seu estilo, no qual se sente bem. Quando acerta o ponto, é nocaute. Mas tem gente que fica indignada com a brutalidade, a violência.

O maior campeão de Jiu-Jitsu no UFC foi Royce Gracie, que bateu adversários muito mais fortes, pesados e agressivos, por vários anos. Até encontrar especialistas em trocação que treinaram Jiu-Jitsu. Então a arte suave deixou de ter supremacia. Ganha quem se especializa em várias modalidades, que dá porrada quando precisa e parte para a arte suave quando necessário.

Eu gosto do estilo do Joaquim Barbosa. Acho que falta ao Brasil gente assim, que chama as coisas pelo nome que elas têm, que explode quando se sente tratado como idiota. Que parte para a porrada quando acha que é preciso.

Para ficar no ponto, só falta treinar Jiu-Jitsu.

Só então os confrontos necessários realmente valerão a pena.

Luciano Pires