Artigos Café Brasil
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

591 – Alfabetização para a mídia
591 – Alfabetização para a mídia
Hoje em dia as informações chegam até você ...

Ver mais

590 – O que aprendi com o câncer
590 – O que aprendi com o câncer
O programa de hoje é uma homenagem a uns amigos ...

Ver mais

589 – A cultura da reclamação
589 – A cultura da reclamação
Crianças mimadas, multiculturalismo, politicamente ...

Ver mais

588 – Escola Sem Partido
588 – Escola Sem Partido
Poucos temas têm despertado tantas paixões como a ...

Ver mais

LíderCast 91 – Saulo Arruda
LíderCast 91 – Saulo Arruda
Saulo Arruda, que teve uma longa carreira como ...

Ver mais

LíderCast 90 – Marcelo Ortega
LíderCast 90 – Marcelo Ortega
Marcelo Ortega, palestrante na área de vendas, outro ...

Ver mais

LíderCast 89 – Bruno Teles
LíderCast 89 – Bruno Teles
Bruno Teles, um educador que sai de Sergipe para se ...

Ver mais

LíderCast 88 – Alfredo Rocha
LíderCast 88 – Alfredo Rocha
Alfredo Rocha, um dos pioneiros no segmento de ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Vale fazer um curso universitário se as profissões vão desaparecer?
Mauro Segura
Transformação
Numa perspectiva de que tudo muda o tempo todo, será que vale a pena sentar num banco de universidade para se formar numa profissão que vai desaparecer ou se transformar nos próximos anos?

Ver mais

Tolerância? Jura?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Engraçada essa tal “tolerância” que pregam por aí, por dois simples motivos: 1) é de mão única e 2) pretende tolher até o pensamento do indivíduo. Exagero? Não mesmo. Antes que algum ...

Ver mais

Ensaio sobre a amizade
Tom Coelho
Sete Vidas
“A gente só conhece bem as coisas que cativou. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm ...

Ver mais

Um reino que sente orgulho de seus líderes
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Um reino que sente orgulho de seus líderes  Victoria e Abdul   Uma vez mais, num curto espaço de tempo, o cinema nos brinda com um filme baseado na história de uma destacada liderança britânica. ...

Ver mais

Cafezinho 28 – No grito
Cafezinho 28 – No grito
Não dá pra construir um país no grito.

Ver mais

Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Tem gente que, em vez de planos, só tem esperança.

Ver mais

Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Não dá para ganhar um jogo sem acreditar no time.

Ver mais

Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
O culto do sentimento destrói a capacidade de pensar e ...

Ver mais

UFA, a União Faz a Força.

UFA, a União Faz a Força.

Luciano Pires -

Como palestrante, viajo o Brasil de cabo a rabo e conheço uma realidade muito distante daquele país inviável que a televisão despeja em nossas salas toda noite. E diante de tantos exemplos de gente que faz acontecer por este país, concluo que a grande pauta de discussão no Brasil deveria ser…

Conectividade!

Normalmente se define “conectividade” como a capacidade de comunicação dos dispositivos de hardware ou software com outros hardwares ou softwares. Mas quero sair do mundo dos computadores para entrar no mundo da carne e do osso, dos sentimentos e percepções.

Lembra-se do “a união faz a força?”. Ouço esse ditado desde pequenininho e sempre o reconheci como uma receita para fazer acontecer. Sozinho, consigo muito pouco, mas se eu me juntar a outras pessoas na busca de um mesmo objetivo, fico mais forte e aumento minhas chances de chegar lá. Os “príncipes” conhecem muito bem esse jogo e adotam a política do “dividir para conquistar”. Sabem que grupos ordenados e coordenados são perigosos, e fazem de tudo para que eles não se formem. Enquanto isso, espertamente, fomentam grupos que defendem seus interesses. É assim que o Brasil se encontra hoje nas mãos de minorias barulhentas, mas organizadas, que definem os rumos da maioria silenciosa e… desconectada.

Conectividade!

Já pensou se aquela ONG da Bahia se juntar a outra do Rio Grande do Sul? E se o grupo de trainees da Câmara de Comércio de Jurubatuba da Serra se juntar ao comitê de jovens executivos da Fiesp? Que também se juntaria ao comitê equivalente de Santa Catarina, de Mato Grosso, do Rio Grande do Norte? Mas infelizmente eles não se falam. Provavelmente nem sabem da existência do outro. E quando se falam, dificilmente conseguem superar os jogos políticos, o sentimento de “minha ideia” e a necessidade de disciplina coletiva. Não conseguem a tal “liga”. E voltam às suas casas onde, mais uma vez, sozinhos, tentarão derrubar castelos.

E assim temos milhões de pequenos esforços honestos e válidos sendo devorados pelo sistema que destrói as tentativas de fazer acontecer dos pequenos abnegados. Canso de ver gente com brilho nos olhos, com energia e tesão, dizendo-se cansada. Canso de ver projetos deliciosos consumindo o tempo e os recursos de milhares de pessoas e obtendo um resultado que pouca mudança substancial traz ao país. Projetos que resolvem problemas de poucas pessoas, sem capacidade de ampliar o alcance. Para isso, há que ter força. Poder. Capacidade de mobilização. Voz. Impacto. Um vetor econômico que revele ganhos se a situação mudar, algo praticamente impossível quando você é apenas um pequeno abnegado, não é parente de autoridade, não tem trânsito na mídia e nem dinheiro no banco.

Como 99% dos pequenos abnegados.

O desafio é grande demais. Exige generosidade, senso de comunidade. disciplina, capacidade para trabalhar em grupo, grandeza para aceitar ideias que vêm de outras pessoas. Honestidade de propósitos. Ética… Enfim, os atributos que fazem os grandes abnegados.

Conectividade, meus caros. Só assim os milhões de pequenos abnegados se transformarão na grande maré de mudanças capaz de colocar este país nos trilhos.

Publiquei  a maior parte deste texto originalmente em 2007. Trago-o de volta hoje, após uma reunião onde fui apresentado para a UFA – União Faz a Força, grupo de abnegados que quer aglutinar os diversos movimentos  e entidades que estão atuando de forma independente para mudar o cenário político-social brasileiro. Eles buscam unidade nas ações. Estão agindo através de reuniões, grupos no Whatsapp, páginas nas mídias sociais, promovendo a conectividade. Ainda estão se organizando, mas em breve darei mais dicas sobre como participar ativamente das ações que prometem mudar o Brasil. Mas tenho certeza que a UFA é só mais uma das iniciativas que estão surgindo pelo Brasil. Você está se conectando a alguma delas?

Se nos juntarmos, haverá uma luz no final do túnel.