Artigos Café Brasil
O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

O impacto das mídias sociais nas eleições
O impacto das mídias sociais nas eleições
Baixe a pesquisa da IdeiaBigdata que mostra o impacto ...

Ver mais

Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - ...

Ver mais

622 – O Esfíncter Intelectual
622 – O Esfíncter Intelectual
Existe gente que não controla seu esfíncter intelectual ...

Ver mais

Café Brasil 621 – Orgulho de Ser Brasileiro
Café Brasil 621 – Orgulho de Ser Brasileiro
Em junho de 2018 realizamos o II Sarau Café Brasil, ...

Ver mais

Café Brasil 620 – Democracia, tolerância e censura
Café Brasil 620 – Democracia, tolerância e censura
"Se começarmos a cercar com paredes aquilo que alguns ...

Ver mais

619 – LíderCast 9
619 – LíderCast 9
Neste programa apresentamos os convidados da Temporada ...

Ver mais

LíderCast 115 – Nailor Marques Jr
LíderCast 115 – Nailor Marques Jr
Professor, palestrante, uma das mentes mais divertidas ...

Ver mais

LíderCast 114 -Alexandre Ostrowiecki
LíderCast 114 -Alexandre Ostrowiecki
Empreendedor, com uma história incrível de como o ...

Ver mais

LíderCast 113 – Glaucimar Peticov
LíderCast 113 – Glaucimar Peticov
“Eu não tenho muros, só tenho horizontes” é a frase de ...

Ver mais

LíderCast 112 – Paulo Rabello de Castro
LíderCast 112 – Paulo Rabello de Castro
Professor, consultor, com vasta experiência no setor ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

É milagre, Crivella?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
O Rio de Janeiro continua lindo Gil, e complicado; mais do que isso, espantoso. Não dá pra entender a razão pela qual os fluminenses elegem gente (latu sensu, ófi córsi) como Anthony Garotinho, ...

Ver mais

O despertador intelectual e a origem das ideias
Jota Fagner
Origens do Brasil
Possivelmente você teve uma pessoa que, em determinado momento de sua vida, acendeu a faísca da sua curiosidade sobre determinado assunto ou área do conhecimento. Talvez tenha sido mais de uma ...

Ver mais

Os caminhos para editar um livro
Isqueiro isqueiro
Muitas pessoas investem um tempo considerável colocando suas histórias e lições de forma escrita, para se perpetuarem na forma de livros. Mas, ao concluírem o texto, muitas vezes o guardam em ...

Ver mais

As causas e efeitos das barreiras de comunicação no trabalho
Mauro Segura
Transformação
Uma das maiores barreiras atuais para o sucesso de qualquer empresa é a comunicação no ambiente de trabalho, por mais irônico que isso possa aparecer por conta de todas as facilidades ...

Ver mais

Cafezinho 89 – Manifesto
Cafezinho 89 – Manifesto
Quero um mundo melhor, igualzinho a você. Talvez ...

Ver mais

Cafezinho 88 – A Teoria da Ilusão Fiscal
Cafezinho 88 – A Teoria da Ilusão Fiscal
Não existem soluções novas. O que existe é ignorância velha.

Ver mais

Cafezinho 87 – O que consome seu tempo de vida
Cafezinho 87 – O que consome seu tempo de vida
Se você não avaliar cada processo que consome seu tempo ...

Ver mais

Cafezinho 86 – Ser e parecer
Cafezinho 86 – Ser e parecer
É simples! É só fingir ser perfeito...

Ver mais

Terezinha de Santana

Terezinha de Santana

Luciano Pires -

Então recebo um Whatsapp de meu editor falando de uma senhora de 74 anos de idade que ligou para ele a partir do telefone que encontrou em meu livro ME ENGANA QUE EU GOSTO. Ela queria saber do Programa Café Brasil que desapareceu da Rádio Mundial nos domingos às 16 horas. Tentou ligar para a rádio, sem sucesso, e então se lembrou do livro.

Peguei o telefone e liguei para a dona Terezinha.

Ela mora sozinha no bairro de Santana, não tem computador e nem mesmo celular, e não suporta mais assistir televisão. Então ouve rádio. E aos domingos, era sagrado: 16 horas era hora do Café Brasil. Até a rádio mudar o horário para 21 horas do domingo, provavelmente sem avisar os ouvintes. E muitos ficaram órfãos.

Liguei para ela:

– Dona Terezinha? Bom dia, boa tarde, boa noite!

– Ah! Eu sei quem você é!

E ela se desmancha… diz que adorava o programa, que aprendeu muito, que pediu para a filha comprar meu livro, que ficou sem o programa, que isso e aquilo. Enquanto ela falava eu imaginava a cena. Domingo a tarde, ela sentada sozinha na cozinha, provavelmente com uma xícara de chá, ouvindo atentamente o rádio que toca o Café Brasil.

– Bom dia, boa tarde, boa noite, este é o Café Brasil e eu sou o Luciano Pires…

Provavelmente ela repete mentalmente a introdução tão familiar.

Faço o programa imaginando que alguém com 30 anos de idade, cheio de energia e planos está me ouvindo… Essa imagem da velha senhora jamais passou pela minha cabeça.

Ouvir Dona Terezinha feliz ao telefone, entusiasmada até, com a possibilidade de voltar a ouvir o programa e com a perspectiva de que um dia a filha a visite no final de semana e tenha tempo para ensiná-la a usar o tablet no qual ela joga seus joguinhos, para ouvir o Café Brasil, explodiu minha cabeça. Eu aqui mergulhado em afazeres, produzindo conteúdo, palestrando, agitando… e ela lá esperando. Esperando o programa, esperando a filha, esperando a vida. Ela disse que tem amigas com as quais compartilha o programa, e isso abriu a possibilidade de que seja uma pessoa ativa e vivendo a vida plenamente. Mas a imagem que ficou em minha mente foi outra: aos domingos à tarde, a companhia da dona Terezinha de Santana, sou eu.

– Você não imagina como estou feliz por você me ligar!

Fiquei nove minutos com ela ao telefone. Nove minutos que não me fizeram a menor falta, mas provavelmente iluminaram o dia da Dona Terezinha. E o meu.

Pois é.

Não me custou nada, só um telefonema, assim como deve custar nada para a filha dela ensiná-la a usar o tablet para ouvir podcasts. Enquanto isso não acontece, dona Terezinha espera, afinal, aos 74 anos de idade o que ela mais tem é tempo, não é?

Quem não tem somos nós.

Estou mandando para dona Terezinha uma coleção de meus livros. Guardei seu telefone. Acho que vou precisar ligar para ela novamente.