Artigos Café Brasil
Podpesquisa 2018
Podpesquisa 2018
Em sua quarta edição, a PodPesquisa 2018 recebeu mais ...

Ver mais

Como decidi em quem votarei para Presidente
Como decidi em quem votarei para Presidente
Não sei se estou certo, não fui pela emoção, não estou ...

Ver mais

Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

640 – O monumento à incompetência
640 – O monumento à incompetência
É muito fácil e confortável examinar o passado com os ...

Ver mais

639 – Chega de falar de política
639 – Chega de falar de política
Diversos ouvintes mandam mensagens pedindo para que eu ...

Ver mais

638 – O efeito Dunning-Kruger
638 – O efeito Dunning-Kruger
Cara, eu fico besta com a quantidade de gente que ...

Ver mais

637 – LíderCast 10
637 – LíderCast 10
Olha só, chegamos na décima temporada do LíderCast. Com ...

Ver mais

LíderCast 132 – Alessandro Loiola
LíderCast 132 – Alessandro Loiola
Médico, escritor, um intelectual inquieto, capaz de ...

Ver mais

LíderCast 131 – Henrique Szklo e Lena Feil
LíderCast 131 – Henrique Szklo e Lena Feil
Henrique Szklo e Lena Feil – Henrique se apresenta como ...

Ver mais

LíderCast 130 – Katia Carvalho
LíderCast 130 – Katia Carvalho
Mudadora de vidas, alguém que em vez de apenas lamentar ...

Ver mais

LíderCast 129 – Guga Weigert
LíderCast 129 – Guga Weigert
DJ e empreendedor, que a partir da experiência com a ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

O MARXISMO É UMA RELIGIÃO POLÍTICA!
Carlos Nepomuceno
Na minha live de hoje fiz uma afirmação que se tornou verdade para mim nos últimos anos, mas hoje ficou evidente. Como lidar com meus amigos marxistas? Publicado por Carlos Nepomuceno em Segunda, ...

Ver mais

Quem não é capaz de rir de si mesmo será sempre um intolerante em potencial
Henrique Szklo
Humorista de verdade não tem lado, não tem ideologia, não tem bandeira. Independentemente de sua posição pessoal, tem de ser livre o suficiente para atirar em tudo o que se mexe e no que não se ...

Ver mais

Capitalismo Versus Esquerdismo*
Alessandro Loiola
Uma das consequências involuntárias do capitalismo é que ele coloca diferentes culturas e sociedades em contato direto muito mais amplo umas com as outras. Liga as pessoas entre si muito mais ...

Ver mais

A cavalgada de um cowboy
Jota Fagner
Origens do Brasil
Cowboy não havia dormido bem. Tinha feito corridas até às duas da manhã. O trabalho como moto-taxista costumava não render muito, mas em época de alta temporada a demanda era muito grande. ...

Ver mais

Cafezinho 126 – Mais Médicos
Cafezinho 126 – Mais Médicos
- Mas eles estavam atendendo os brasileiros necessitados!

Ver mais

Cafezinho 125 – O chute
Cafezinho 125 – O chute
Se o governador mentiu ou se enganou, peço desculpas ...

Ver mais

Cafezinho 124 – À luz do sol
Cafezinho 124 – À luz do sol
É assim, com a luz do sol, que a gente faz a limpeza.

Ver mais

Cafezinho 123 – A zona da indiferença
Cafezinho 123 – A zona da indiferença
Ter consciência sobre o que é certo e errado todo mundo ...

Ver mais

Sobre Unhas

Sobre Unhas

Luciano Pires -

Desde que nasci tenho o hábito de roer unhas. Não sei exatamente quando isso começou, mas a vida toda foi aquela coisa incômoda: nos momentos de tensão levar uma das mãos à boca e roer. Que coisa desagradável… Fico incomodado quando vejo outras pessoas fazendo o mesmo. Passa uma sensação de insegurança. Sem contar os perigos nestes tempos de gripes A, B, C e Z…

O hábito de roer as unhas chama-se onicofagia crônica e muita gente tem o problema. Os Freudianos dizem que tem a ver com a tal “fixação oral”, mas tive medo de me aprofundar no assunto.

Durante anos minha mãe tentou resolver o problema usando as técnicas da sabedoria popular: passando pimenta ou algum produto de gosto amargo em minhas unhas. Colocando um band-aid. E dando uns tapas cada vez que eu levava as mãos à boca. Mas nada funcionou. Naquela época não havia a cultura dos antidepressivos e as terapias de hoje.

Conforme cresci, vi que o hábito permanecia. Pensei em substituí-lo por outro hábito, fumar, por exemplo. Mas jamais entendi a lógica de engolir fumaça. Depois imaginei que se tentasse coibir o roer das unhas era capaz de desenvolver algum tique nervoso muito pior. E fui levando.

A coisa pegou mesmo quando me transferi para São Paulo, capital, aos 19 anos. Meu grupo de amigos adorava tocar em festas e eu entrei no esquema com meu violão sofrível. O som era uma porcaria, pois eu não tinha unhas. Era abafado. E dolorido. Só podia usar cordas de nylon.

Depois me tornei executivo de multinacional, sempre escondendo as mãos. Não fica bem um executivo que precisa demonstrar segurança, viver com o dedo na boca, não é? Mas a coisa era mais forte que eu. Vergonha, vergonha, vergonha….

Pois bem. No início de 2009, aos 52 anos de idade aconteceu uma coisa deliciosa. Decidi experimentar algo que sempre me atraiu: tocar viola caipira. A viola caipira, ou viola de arame, tem o formato de um violão, mas é mais “feminina” e produz um som  incomparável. É praticamente impossível tocar viola caipira sem unhas, pois são dez cordas de aço. E doídas! Mesmo assim, fui em frente. Comprei uma linda viola e me matriculei numa escola. Na primeira aula foi aquele melê: o professor arrasando e eu ali com aqueles dedões sem unha. Broxante mesmo.

Violas caipiras têm alguma coisa mágica, não sei se é a cinturinha fina, a sonoridade, a musicalidade ou o jeito de tocar, mas elas têm alguma coisa que “pega” a gente. É diferente do violão, não sei explicar… Tocar moda de viola dá um prazer que nunca tive com o violão ou a guitarra.

Comprei livros sobre violas e violeiros e mergulhei em minhas raízes caipiras. Tocar viola é mudar o jeito de viver. Cada vez mais fascinado comecei a passar longos períodos com ela, sem tocar uma música em particular, apenas ponteando. É mágico. Na viola caipira basta tocar nas cordas, que sai música. Uma paixão.

E aos poucos aconteceu: a viola me motivou a parar de roer unhas. Pela primeira vez na vida tenho unhas!!! E o som da viola está ficando cada dia mais irresistível.

Que coisa, não? Um instrumento musical teve a força de mudar um hábito de meio século.

Meu prozac é uma viola caipira.