Artigos Café Brasil
O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

O impacto das mídias sociais nas eleições
O impacto das mídias sociais nas eleições
Baixe a pesquisa da IdeiaBigdata que mostra o impacto ...

Ver mais

Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - ...

Ver mais

618 – No Toca Fitas Do Meu Carro – Scary Pockets
618 – No Toca Fitas Do Meu Carro – Scary Pockets
Mais um programa musical. E daqueles, cara. Você sabe ...

Ver mais

617 – O Clube da Música Autoral
617 – O Clube da Música Autoral
Uma das coisas mais fascinantes de quem se dispõe, como ...

Ver mais

616 – Na média
616 – Na média
Num ambiente construído para que as pessoas fiquem “na ...

Ver mais

615 – Fake News? Procure o viés
615 – Fake News? Procure o viés
Nova Iorque, madrugada de março de 1964. No bairro do ...

Ver mais

LíderCast 112 – Paulo Rabello de Castro
LíderCast 112 – Paulo Rabello de Castro
Professor, consultor, com vasta experiência no setor ...

Ver mais

LíderCast 111 – Tiemi Yamashita
LíderCast 111 – Tiemi Yamashita
LíderCast 111 - Hoje conversamos com Tiemi Yamashita, ...

Ver mais

LíderCast 110 – Rafael Baltresca
LíderCast 110 – Rafael Baltresca
LíderCast 110 - Hoje conversamos com Rafael Baltresca, ...

Ver mais

LíderCast 109 – Romeo Busarello
LíderCast 109 – Romeo Busarello
LíderCast 109 - Hoje conversamos com Romeo Busarello, É ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Lições de viagem 11 – Santa Catarina
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Lições de viagem 11 Santa Catarina e seus diferenciais  Percebi que me encontrava num estado diferenciado na primeira vez que estive em Santa Catarina, em 1980, quando fui ministrar aulas em dois ...

Ver mais

Solidão em rede: estamos cada vez mais solitários
Mauro Segura
Transformação
Vivemos a "cultura do estresse", de não perder tempo e usar cada minuto para sermos mais produtivos. Mas isso tem um preço.

Ver mais

1936, 1984, 1918
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
A guerra civil espanhola (1936-1939) foi assustadora, cruel, mas teve seus lances tragicômicos. Um deles era a eterna bagunça entre as muitas facções que formavam as Forças Republicanas, ...

Ver mais

Região de conflito duplamente em foco
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Região de conflito duplamente em foco “Fronteiras? Nunca vi uma. Mas ouvi dizer que existem na mente de algumas pessoas.” Thor Heyerdahl Não é sempre que alguns dos focos mais controvertidos das ...

Ver mais

Cafezinho 82 – Paciência
Cafezinho 82 – Paciência
O que uma árvore frondosa precisa para se manter firme ...

Ver mais

Cafezinho 81 – A Confederação
Cafezinho 81 – A Confederação
A Confederação mais eficiente do Brasil é a dos bandidos.

Ver mais

Cafezinho 80 – A Copa que era nossa
Cafezinho 80 – A Copa que era nossa
Ao contrário do que acreditam coxinhas e petralhas, o ...

Ver mais

Cafezinho 79 – Desengajados Ativos
Cafezinho 79 – Desengajados Ativos
Engajamento vem do francês engager, que quer dizer “se ...

Ver mais

Sobre erros e concertos

Sobre erros e concertos

Luciano Pires -

Em meus 20 anos de palestras, em duas oportunidades separadas por mais de uma década, cometi um erro daqueles de arrasar o palestrante. Uma foi no ano passado. Fui contratado para mediar um debate num evento de uma grande empresa de serviços brasileira, promovido para os corretores da empresa, tendo na plateia cerca de 40 pessoas. Eu deveria abrir e conduzir um bate papo entre um diretorzão e um dos mais experientes corretores do mercado. Fiz a tarefa de casa, me preparei, me concentrei, tudo certinho. E então abri o evento com toda a simpatia, perspicácia e humor… e percebi que a plateia fez cara de espanto. O pessoal da organização com cara de super espanto. Ninguém disse nada e continuei a conduzir a conversa, mas havia algo de ruim no ar. Minhas intervenções eram recebidas de maneira fria. Só fui saber o que havia ocorrido quando o evento terminou e a representante da empresa veio falar comigo.

Eu havia aberto o evento mais ou menos assim: “Bom dia a todos, é uma satisfação estar reunido com vocês aqui na…” e disse o nome do maior e mais odiado concorrente da empresa. E nem percebi. Continuei normalmente, não me referi mais ao nome do concorrente e jamais me toquei do que havia dito. Por isso o clima ruim. A cada vez que eu fazia uma intervenção ficava todo mundo esperando pra ver se eu ia repetir a besteira e ser assassinado pelo diretor ali no palco. Quando me disseram o que acontecera, não acreditei. Foi um ato falho, provavelmente provocado pela minha familiaridade com o concorrente, de quem eu era cliente. Mas não havia o que fazer, o evento tinha terminado, todos dispersado. Pedi desculpas, mas não adiantava. Era recolher os cacos e cair fora.

Depois mandei uma carta me desculpando, mas só o diretorzão respondeu, educadamente dizendo que não havia problemas, que o evento correu bem. Mas seguramente sou “persona non grata” naquela empresa.

Este ano cometi outra besteira. Comecei o ano com o pé no acelerador no Facebook, com a intenção de triplicar o número de curtidores, obter alto engajamento e transformar minha página num veículo forte de distribuição de conteúdo. Para isso precisei acelerar o número de posts e ampliar o alcance. Mais posts, mais assuntos, menos tempo para checar e checar outra vez. O resultado foi a publicação de um post sobre a tabela de correção do imposto de renda com um erro grosseiro, primário, idiota. Quando fui avisado, a mancada já havia sido compartilhada 64 vezes. Corri arrumar, refiz o post, expliquei o erro, pedi desculpas. Não havia mais o que fazer. Não adiantava correr atrás. O erro na internet vaza por qualquer buraco.

Bem, e aí? O que fazer? Como suportar a sensação do “fiz papel de idiota”?

Não sei como você faz, mas eu começo com um velho dito sobre o fracasso: mais importante que o fracasso é o que você fará com ele.

Eu faço assim: assumo a besteira imediatamente, desfaço o malfeito, conto pra tudo mundo, peço desculpas e toco em frente. O segredo está no “imediatamente” e no “pra todo mundo”. Na hora. Plá-plum! Sem dar voltas, sem mimimi, sem enfeitar o pavão. Reação imediata! E de forma a que as pessoas recebam a explicação de mim mesmo, não de um intermediário que dará o viés que quiser. Infelizmente no evento da empresa de serviços só me contaram da besteira depois de terminado, ou eu teria transformado o limão em limonada. Na hora.

Então é assim: fiz a besteira, reconheço, peço desculpas e sigo em frente. E depois passo um período terrível me cobrando, refletindo sobre o erro para não cometê-lo outra vez.

Errar é humano. Aprender com ele é divino.

Ah, sim, é “consertos”, idiota.

Luciano Pires