Artigos Café Brasil
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

591 – Alfabetização para a mídia
591 – Alfabetização para a mídia
Hoje em dia as informações chegam até você ...

Ver mais

590 – O que aprendi com o câncer
590 – O que aprendi com o câncer
O programa de hoje é uma homenagem a uns amigos ...

Ver mais

589 – A cultura da reclamação
589 – A cultura da reclamação
Crianças mimadas, multiculturalismo, politicamente ...

Ver mais

588 – Escola Sem Partido
588 – Escola Sem Partido
Poucos temas têm despertado tantas paixões como a ...

Ver mais

LíderCast 91 – Saulo Arruda
LíderCast 91 – Saulo Arruda
Saulo Arruda, que teve uma longa carreira como ...

Ver mais

LíderCast 90 – Marcelo Ortega
LíderCast 90 – Marcelo Ortega
Marcelo Ortega, palestrante na área de vendas, outro ...

Ver mais

LíderCast 89 – Bruno Teles
LíderCast 89 – Bruno Teles
Bruno Teles, um educador que sai de Sergipe para se ...

Ver mais

LíderCast 88 – Alfredo Rocha
LíderCast 88 – Alfredo Rocha
Alfredo Rocha, um dos pioneiros no segmento de ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Vale fazer um curso universitário se as profissões vão desaparecer?
Mauro Segura
Transformação
Numa perspectiva de que tudo muda o tempo todo, será que vale a pena sentar num banco de universidade para se formar numa profissão que vai desaparecer ou se transformar nos próximos anos?

Ver mais

Tolerância? Jura?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Engraçada essa tal “tolerância” que pregam por aí, por dois simples motivos: 1) é de mão única e 2) pretende tolher até o pensamento do indivíduo. Exagero? Não mesmo. Antes que algum ...

Ver mais

Ensaio sobre a amizade
Tom Coelho
Sete Vidas
“A gente só conhece bem as coisas que cativou. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm ...

Ver mais

Um reino que sente orgulho de seus líderes
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Um reino que sente orgulho de seus líderes  Victoria e Abdul   Uma vez mais, num curto espaço de tempo, o cinema nos brinda com um filme baseado na história de uma destacada liderança britânica. ...

Ver mais

Cafezinho 28 – No grito
Cafezinho 28 – No grito
Não dá pra construir um país no grito.

Ver mais

Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Tem gente que, em vez de planos, só tem esperança.

Ver mais

Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Não dá para ganhar um jogo sem acreditar no time.

Ver mais

Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
O culto do sentimento destrói a capacidade de pensar e ...

Ver mais

Saúde implícita

Saúde implícita

Luciano Pires -

Já escrevi sobre o “problema” dos sistemas formais de informação como livros, sites, emails, CDs, que só transmitem o conhecimento explícito, nunca o implícito. É possível distribuir através de um sistema formal de informações tudo que conseguimos traduzir por meio de letras, fotos, desenhos e descrições. Mas para conhecer o implícito, aquilo que é impossível de se traduzir em palavras, símbolos ou imagens, você tem que colocar as mãos na massa, sentir o calor, ver, respirar o ar. Pois passei por uma experiência recente que demonstra como essa questão é importante.

No meio da loucura dos lulas, gilmares, ratinhos, ronaldinhos, deltas, tiriricas e outras, fui até Salvador fazer a palestra GENTE NUTRITIVA para o pessoal do Hospital Aliança. Como sempre, entrei em contato com antecedência para saber dos objetivos do evento e conhecer o cliente. E o fiz usando os tais sistemas formais: acessando materiais impressos e o site do hospital (http://www.hospitalalianca.com.br), onde obtive as informações explícitas.

Mas meu queixo caiu mesmo foi quando cheguei ao hospital e encontrei uma ilha de excelência que nasceu do sonho de um milionário, Paulo Sergio Tourinho, que nos anos 1990 decidiu deixar um legado para a Bahia. Ele construiu um hospital como imaginou que deveria ser um hospital: elegante, moderno, com luz natural, caloroso, repleto de obras de arte, todo com a cerâmica de Francisco Brennand, além de inovações impensáveis, como uma área de UTI que parece um resort na praia. A explicação implícita é: “Já existe sofrimento suficiente numa UTI para que ela não tenha cores, vibração, vida!”.

A ala infantil é de tirar o chapéu. Toda colorida, com animais de concreto espalhados pelo jardim, quartos coloridos e repletos de imagens de animais. Até mesmo a sinalização interna é feita com um tipo de letra “infantil”, tudo para que as crianças sintam-se num ambiente alegre, “pra cima”, o que ajuda enormemente na recuperação. Você pode ver algumas imagens aqui: http://www.portalcafebrasil.com.br/livre/brasilidade/hospital-alianca.

Não, eu não estava em São Paulo. Estava em Salvador, Bahia, vendo com meus olhos coisas que jamais aparecem na televisão e que me dão certeza que nós é que temos o poder de transformar este país numa potência. Foi o sonho de um milionário que criou tudo aquilo, e talvez existam outros milhares de milionários pelo Brasil que estão fazendo o mesmo em suas comunidades. O que Paulo Tourinho fez foi o explícito, aquilo que o dinheiro compra, mas é no implícito que está a diferença: dentro do hospital Aliança, fazendo a máquina funcionar com amor, carinho e entusiasmo, estão centenas de brasileiros de todas as classes sociais, como faxineiros, enfermeiras, médicos, administradores e seguranças, uma equipe motivada e alegre, discutindo sofisticados processos de qualidade para garantir excelência ao atendimento dos pacientes. Todos orgulhosos por fazer parte de uma ilha de excelência e de saber que estão elevando o padrão da saúde na comunidade onde atuam.

À turma do Hospital Aliança, meus parabéns. Que seu exemplo de iniciativa – independente do poder público – multiplique-se, chegando às classes mais necessitadas. Quem sabe acabamos com o pesadelo que é a Saúde no Brasil.

Ah, sim, o que você acaba de ler é só o explícito.

Luciano Pires