Artigos Café Brasil
A terceirização e os brontossauros
A terceirização e os brontossauros
A terceirização e os brontossauros. Isca intelectual de ...

Ver mais

A fábrica de conteúdo
A fábrica de conteúdo
A Confraria Café Brasil dá um passo adiante e começa a ...

Ver mais

Um jeito de ver o mundo
Um jeito de ver o mundo
Isca Intelectual de Luciano Pires que tenta explicar o ...

Ver mais

LíderCast 5
LíderCast 5
Acabamos de lançar a Temporada 5 do podcast LíderCast, ...

Ver mais

554 – Um jeito de ver o mundo
554 – Um jeito de ver o mundo
Podcast Café Brasil 554 - Um jeito de ver o mundo. ...

Ver mais

553 – Exponential Talks
553 – Exponential Talks
Podcast Café Brasil 553 - Exponential Talks - Luciano ...

Ver mais

552 – LíderCast 5
552 – LíderCast 5
Podcast Café Brasil 552 - LíderCast 5 . Este programa ...

Ver mais

999 – Hotel Califórnia
999 – Hotel Califórnia
Podcast Café Brasil - Hotel Califórnia. O programa ...

Ver mais

LíderCast 061 – Flavio Azm
LíderCast 061 – Flavio Azm
Hoje recebemos Flavio Azm que é cineasta, mas é muito ...

Ver mais

LíderCast 060 – Raiam Santos
LíderCast 060 – Raiam Santos
Hoje recebo Raiam Santos, um jovem brasileiro que não ...

Ver mais

LíderCast 059 – Geraldo Rufino
LíderCast 059 – Geraldo Rufino
Hoje recebemos Geraldo Rufino um empreendedor ...

Ver mais

LíderCast 058 – Marcelo Wajchenberg
LíderCast 058 – Marcelo Wajchenberg
Hoje recebemos Marcelo Wajchenberg, que é médico ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 07
Videocast Nakata T02 07
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 07 Se a sua ...

Ver mais

A economia do puteiro mais high-end de São Paulo
Raiam Santos
Voltei para o blog… e voltei com tudo. Vou confessar que fiquei meio bloqueado para escrever aqui no MundoRaiam por causa da repercussão do último post Por Que Eu Mudei Pra São Paulo… ...

Ver mais

6 passos para uma Liderança Transformadora
Mauro Segura
Transformação
Como ser um líder que viabiliza a transformação? Como se transformar e transformar os outros?

Ver mais

O país da trambicagem: 7 bagulhos doidos sobre a Suíça
Raiam Santos
Vim pra Suíça para completar uma missão pessoal: Conhecer pessoalmente o atual escritor best-seller e ex-maluco hippie doidão Paulo Coelho. Me amarro em escrever, já vivo disso e quero construir ...

Ver mais

Ócio improdutivo
Tom Coelho
Sete Vidas
“A preguiça anda tão devagar que a pobreza facilmente a alcança.” (Confúcio)   O Dia Nacional da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro em homenagem a Zumbi dos Palmares, morto nesta ...

Ver mais

Pré conceitos

Pré conceitos

Luciano Pires -

De quando em quando lanço uma promoção no Facebook do Café Brasil (facebook.com/portalcafebrasil) oferecendo como brinde um livro que esteja em destaque. Dias atrás lançamos a promoção com o livro A QUEDA, escrito por Diogo Mainardi, ex-colunista de revista Veja. O livro é um relato da relação de um pai com seu filho que, em razão de um erro médico na maternidade, fica com paralisia cerebral. Diogo conta como esse evento influenciou sua vida, e o relato é emocionante, humano e profundamente sensível, revelando um lado do polêmico escritor que pouca gente conhece. O livro é uma aula de Literatura, de História, de Arquitetura, de Arte, de Música, de Sociologia e, principalmente, de amor incondicional de um pai por seu filho.

Imediatamente após a publicação da promoção começamos a receber comentários dizendo que o livro é um lixo, que é jogada de marketing, que o autor é um imbecil, que deixariam de acessar o nosso portal, pois estamos divulgando o Mainardi, etc. É claro que esses comentários vieram de quem não concorda com o posicionamento político/ideológico de Diogo Mainardi e – especialmente – com a forma incisiva com que ele se expressa. A esses críticos, não interessa o conteúdo do livro, o fato de ter sido escrito pelo Diogo Mainardi invalida a obra.

Dá para compreender essas reações, dada a virulência do escritor, que ou é amado ou odiado. Mas dá para justificar?

Sou absolutamente contra o posicionamento político de Chico Buarque de Hollanda e por isso não quero saber de “Bastidores” e “Com açúcar, com afeto”? O compositor Richard Wagner é constantemente ligado ao nazismo e por isso ignoro “Cavalgada das Valquírias”? Oliver Stone é o perfeito idiota norte americano e por isso jamais assistirei a “Platoon” ou “Nascido em 4 de Julho”? Sou contra o posicionamento ideológico de Mario Lago, portanto a partir de hoje não gosto mais de “Ai, que saudades da Amélia”?

O leitor Marco Túlio Camillo fez uma reflexão interessante a respeito: “Acho que falta Sun Tzu (conheça seu oponente melhor que ele mesmo) para a iniciação literária desse povo que criticou dessa forma.(…) A opinião é subjetiva e precisa ser consolidada. Se faltam peças para opinar, simplesmente não diga nada para não parecer idiota… É o que eu acho. Também não gosto do Mainardi, mas preciso (PRECISO) ler esse livro…”.

Duas coisas me ocorreram.

Primeiro a lembrança de Ezra Pound, que escreveu uma vez que: “Podeis reconhecer um mau crítico porque ele começa por falar do poeta e não do poema.”

Depois uma pergunta. Como é mesmo o nome daquela atitude que envolve o pré-julgamento negativo de uma pessoa?

Luciano Pires