Artigos Café Brasil
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

590 – O que aprendi com o câncer
590 – O que aprendi com o câncer
O programa de hoje é uma homenagem a uns amigos ...

Ver mais

589 – A cultura da reclamação
589 – A cultura da reclamação
Crianças mimadas, multiculturalismo, politicamente ...

Ver mais

588 – Escola Sem Partido
588 – Escola Sem Partido
Poucos temas têm despertado tantas paixões como a ...

Ver mais

587 – Podres de Mimados
587 – Podres de Mimados
Você já reparou como estão mudando os padrões morais, ...

Ver mais

LíderCast 90 – Marcelo Ortega
LíderCast 90 – Marcelo Ortega
Marcelo Ortega, palestrante na área de vendas, outro ...

Ver mais

LíderCast 89 – Bruno Teles
LíderCast 89 – Bruno Teles
Bruno Teles, um educador que sai de Sergipe para se ...

Ver mais

LíderCast 88 – Alfredo Rocha
LíderCast 88 – Alfredo Rocha
Alfredo Rocha, um dos pioneiros no segmento de ...

Ver mais

LíderCast 087 – Ricardo Camps
LíderCast 087 – Ricardo Camps
Ricardo Camps, empreendedor e fundador do Tocalivros, ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Tolerância? Jura?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Engraçada essa tal “tolerância” que pregam por aí, por dois simples motivos: 1) é de mão única e 2) pretende tolher até o pensamento do indivíduo. Exagero? Não mesmo. Antes que algum ...

Ver mais

Ensaio sobre a amizade
Tom Coelho
Sete Vidas
“A gente só conhece bem as coisas que cativou. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm ...

Ver mais

Um reino que sente orgulho de seus líderes
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Um reino que sente orgulho de seus líderes  Victoria e Abdul   Uma vez mais, num curto espaço de tempo, o cinema nos brinda com um filme baseado na história de uma destacada liderança britânica. ...

Ver mais

O que aprendi com o câncer
Mauro Segura
Transformação
Esse é o texto mais importante que escrevi na vida. Na ponta da caneta havia um coração batendo forte. Todo o resto perto a importância perto do que vivemos ao longo desse ano.

Ver mais

Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Tem gente que, em vez de planos, só tem esperança.

Ver mais

Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Não dá para ganhar um jogo sem acreditar no time.

Ver mais

Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
O culto do sentimento destrói a capacidade de pensar e ...

Ver mais

Cafezinho 24 – Não brinco mais
Cafezinho 24 – Não brinco mais
Pensei em não assistir mais, até perceber que só quem ...

Ver mais

Poder e responsabilidade

Poder e responsabilidade

Luciano Pires -

Patrick Snay, 69, era diretor da Gulliver Preparatory School em Miami, Florida. Quando seu contrato de trabalho não foi renovado para o período 2010/11, processou a escola por discriminação etária. Acharam que ele estava velho demais para o cargo. Em Novembro de 2011 ele e a escola entraram em acordo. Snay receberia US$10.000 em salários atrasados, uma indenização de US$80.000 e mais US$60.000 para seus advogados.?Mas antes que a tinta do acordo secasse, a filha de Snay postou para seus 1.200 amigos no Facebook o seguinte: “Mamãe e papai ganharam a causa contra a Gulliver. A Gulliver agora está oficialmente pagando minhas férias de verão na Europa. SUCK IT.”?”Suck it” é nosso popular “chupa”. O post foi visto por dezenas de estudantes da Gulliver, chegando à diretoria da escola que alegou quebra da cláusula de confidencialidade. E o Sr. Snay perdeu os 80 mil dólares…

A filha de Snay tinha 1.200 amigos no Facebook. Você consegue imaginar alguém em contato com 1.200 amigos em 1990? 1980? 1970? Impossível. Não havia como fazê-lo, estávamos limitados a quem conseguíamos alcançar por carta, telegrama, telefone e email. Ninguém conseguia se comunicar diretamente com 1.200 pessoas com um simples toque numa tecla. Essa capacidade surgiu quando os Facebooks tornaram-se acessíveis. E isso é uma maravilha.

Com 100 curtidores, amigos ou seguidores, você já é um potencial formador de opinião, alguém capaz de contribuir positivamente compartilhando opiniões e conhecimento, coisa que só jornalistas e escritores podiam fazer, indiretamente, pouco tempo atrás. Mas com essa capacidade vem uma coisinha chamada responsabilidade, que muita gente relega para segundo plano. Especialmente os mais jovens.

Em minha palestra O Meu Everest falo de duas palavrinhas que tem tudo a ver com essa questão da responsabilidade: impacto e influência. Que impacto causo nas pessoas com as quais tenho contato? Que influência exerço sobre elas? Se eu fizer isto, o que é que vai acontecer na sequência? E se eu fizer aquilo, que reação terão as pessoas afetadas? O que aconteceu antes da minha tomada de decisão? O que acontecerá depois? Impacto e influência.

Não sei como você faz, eu ajo assim: sempre que vou tocar no botão “enter” para enviar um email, publicar um post, terminar um texto, releio tudo que escrevi e presto atenção no meu estômago. Se ele gelar, eu leio de novo e mais uma vez. Imagino que sou outra pessoa lendo aquilo. Se me sentir incomodado, deixo de lado para reler mais tarde, suavizando alguma passagem mais dura, complementando uma informação, revendo algum conceito ou simplesmente desistindo da postagem. O exercício é de responsabilidade moral: estou tratando as outras pessoas da forma como gostaria de ser tratado por elas? A filha do Sr. Snay não tomou esse cuidado. Ela tripudiou sobre a escola, achando que estava falando com um grupo de amigos. E estava mesmo, mas num ambiente onde sua falta de responsabilidade moral virou falta de responsabilidade legal. E deu no que deu.

Com os “Facebooks” à mão, você é muito mais poderoso do que pensa. Mas poder traz responsabilidades.

Você tem a força. Cuidado com ela.

Luciano Pires