Artigos Café Brasil
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 719 – Licença poética
Café Brasil 719 – Licença poética
Quem me acompanha há muitos anos sabe que tive um amigo ...

Ver mais

Café Brasil Especial – Heróis da Saúde 12 – The Dark Side Of The Moon
Café Brasil Especial – Heróis da Saúde 12 – The Dark Side Of The Moon
Olha, este é outro daqueles programas de sonho, ...

Ver mais

Café Brasil Especial – Heróis da Saúde 11 – Qual é seu propósito?
Café Brasil Especial – Heróis da Saúde 11 – Qual é seu propósito?
Eu acho que você já deve ter sido questionado sobre ...

Ver mais

Café Brasil 718 – No lugar do outro
Café Brasil 718 – No lugar do outro
É nos momentos de tempestade, de crise, quando não há ...

Ver mais

LíderCast 201 – Marco Piquini
LíderCast 201 – Marco Piquini
Ex-executivo da Fiat, um profissional de comunicação, ...

Ver mais

LíderCast 200 – Marcio Ballas
LíderCast 200 – Marcio Ballas
Apresentador de televisão, ator e palhaço profissional. ...

Ver mais

LíderCast 199 – Ricardo Corrêa
LíderCast 199 – Ricardo Corrêa
Empreendedor, fundador da Ramper, uma conversa ...

Ver mais

LíderCast 198 – Hélio Contador
LíderCast 198 – Hélio Contador
Ex-executivo de grandes empresas do setor automotivo, ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

Minuto da Produtividade 1 – A arte de dizer não!
Minuto da Produtividade 1 – A arte de dizer não!
Produtividade é a arte de dizer NÃO!

Ver mais

A atualidade de Malthus
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A atualidade de Thomas Malthus “O famoso contraste que Malthus estabeleceu entre as duas espécies de progressões – o aumento geométrico da população e o crescimento aritmético da produção de ...

Ver mais

QI, educação e literatura
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
O QI médio em praticamente todos os países do mundo cresceu muito nos últimos 100 anos.   Na Alemanha e nos EUA, o crescimento do QI médio foi de mais de 30 pontos. No Quênia e na Argentina, foi ...

Ver mais

Perfeccionismo só é defeito quando mal utilizado
Henrique Szklo
Iscas Criativas
Ao ser questionada sobre quais são seus defeitos, muita gente coloca, envergonhadamente, o perfeccionismo como um dos mais tóxicos, como está na moda dizer. Muitos, inclusive, culpam este ...

Ver mais

A economia criativa pode ser essencial para o pós-pandemia?
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A economia criativa pode ser essencial para o pós-pandemia? “… as crises econômicas inevitavelmente dão origem a períodos críticos em que uma economia é refeita para que possa recuperar-se ...

Ver mais

Cafezinho 285 – O Buraco Negro
Cafezinho 285 – O Buraco Negro
A única resposta é: “O senhor tem de aguardar”.

Ver mais

Cafezinho 284 – A polarização de araque
Cafezinho 284 – A polarização de araque
Assistir a rinha de galos diária tem o mesmo efeito que ...

Ver mais

Cafezinho 283 – COVID 20
Cafezinho 283 – COVID 20
Precisamos reconhecer quem fez um bom trabalho e punir, ...

Ver mais

Cafezinho 282 – O cochilo de 50 anos
Cafezinho 282 – O cochilo de 50 anos
Passada a pandemia, teremos de ser ainda mais ...

Ver mais

Pequenos Abnegados

Pequenos Abnegados

Luciano Pires -

Em meu texto anterior, falei dos milhares de pessoas que, praticamente sozinhas, desenvolvem projetos de inclusão social e de mudanças na sociedade. Pequenos abnegados que dedicam parte de sua vida para mudar o futuro dos menos afortunados. E falei também de milhares de entidades que desenvolvem projetos mais ou menos ambiciosos por todo canto.
Como palestrante, viajo este país de cabo a rabo e conheço uma realidade muito distante daquele Brasil inviável que a televisão despeja em nossas salas toda noite.
E terminei o texto dizendo que a grande pauta de discussão no Brasil deveria ser “Conectividade”. Conectividade!
Esse termo entrou na moda com a chegada dos computadores. Normalmente define-se conectividade como a capacidade de comunicação dos dispositivos de hardware ou software com outros hardwares ou softwares. Mas quero sair do mundo dos computadores para entrar no mundo dos sentidos e atitudes. No mundo de carne e osso, de sentimentos e percepções.
Lembram-se do “a união faz a força?”. Ouço esse ditado desde pequenininho e sempre o reconheci como uma receita para fazer acontecer. Sozinho, consigo muito pouco, mas se eu me juntar a outras pessoas na busca de um mesmo objetivo, fico mais forte e aumento minhas chances de chegar lá. Os “príncipes” conhecem muito bem esse jogo. Adotam a política do “dividir para conquistar”. Sabem que grupos ordenados e coordenados são perigosos. E fazem de tudo para que eles não se formem. Mas, espertamente, ajudam a formação dos grupos que são de seu interesse. É assim que o Brasil encontra-se hoje nas mãos de minorias barulhentas mas organizadas, que definem os rumos da maioria silenciosa e… desconectada. Conectividade!
Já pensou se aquela ONG da Bahia se juntar a outra ONG do Rio Grande do Sul? E se o grupo de trainees da Amcham se juntar ao comitê de jovens executivos da Fiesp? Que também se juntaria ao comitê equivalente de Santa Catarina, de Mato Grosso, do Rio Grande do Norte? E se o Fórum Criativo Brasileiro, lá de Aracaju, juntar-se àquele grupo que discute inovação em Joinville?
Mas infelizmente eles não se falam. E quando se falam, raramente conseguem combinar suas idéias e prioridades. Dificilmente conseguem superar os jogos políticos, o sentimento de “minha idéia” e a necessidade de disciplina coletiva. Não conseguem a tal “liga”. E voltam às suas casas onde, mais uma vez sozinhos, tentarão derrubar castelos.
E assim temos milhões de pequenos esforços honestos e válidos sendo devorados pelo sistema que destrói as tentativas de fazer acontecer dos pequenos abnegados. Canso de ver gente com brilho nos olhos, com energia e tesão, dizendo-se cansada. Canso de ver projetos deliciosos consumindo o tempo e os recursos de milhares de pessoas e obtendo um resultado que pouca mudança substancial traz ao país. Projetos que resolvem problemas de umas poucas pessoas, mas jamais atingem a raiz das questões. Para isso, há que se ter força. Poder. Capacidade de mobilização. Voz. Impacto. Um vetor econômico que revele ganhos se a situação mudar.
Mas como conseguir percepção de valor para as questões intangíveis? Isso é praticamente impossível de se obter quando você é apenas um pequeno abnegado – não é parente de autoridade, sobrinho do empresário, não tem trânsito na mídia e nem dinheiro no banco. Como são 99% dos pequenos abnegados.
Conectividade, meus caros. Só assim os milhões de pequenos abnegados se transformarão na grande maré de mudanças capaz de colocar este país nos trilhos.
Mas o desafio é grande demais. Exige generosidade. Senso de comunidade. Disciplina. Capacidade para trabalhar em grupo. Grandeza para aceitar idéias que vêm de outras pessoas. Honestidade de propósito. Ética…
Enfim, os atributos que fazem os grandes abnegados.