Artigos Café Brasil
Podpesquisa 2018
Podpesquisa 2018
Em sua quarta edição, a PodPesquisa 2018 recebeu mais ...

Ver mais

Como decidi em quem votarei para Presidente
Como decidi em quem votarei para Presidente
Não sei se estou certo, não fui pela emoção, não estou ...

Ver mais

Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

643 – Dominando a Civilidade
643 – Dominando a Civilidade
Vivemos uma epidemia de incivilidade que ...

Ver mais

642 – A caverna de todos nós
642 – A caverna de todos nós
Olhe em volta, quanta gente precisando de ajuda, quanta ...

Ver mais

641 – O delito de ser livre
641 – O delito de ser livre
Na ofensiva contra a liberdade, fica cada vez mais ...

Ver mais

640 – O monumento à incompetência
640 – O monumento à incompetência
É muito fácil e confortável examinar o passado com os ...

Ver mais

LíderCast 136 – Paulo Farnese
LíderCast 136 – Paulo Farnese
Empreendedor, fundador da agência EAí?, envolvido com ...

Ver mais

LíderCast 135 – Thalis Antunes
LíderCast 135 – Thalis Antunes
Gestor de Conteúdo da Campus Party, que tinha tudo para ...

Ver mais

LíderCast 134 – Diego Porto Perez
LíderCast 134 – Diego Porto Perez
O elétrico Secretário de Esportes do Governo de ...

Ver mais

LíderCast 133 – Dennis Campos e Cláudio Alves
LíderCast 133 – Dennis Campos e Cláudio Alves
Empreendedores que criam no grande ABC uma agência de ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

2018: o ano que o Brasil virou….
Carlos Nepomuceno
Live de terça2018: o ano que o Brasil virou….TENHA VISÃO MAIS SOFISTICADA SOBRE O NOVO SÉCULO!TURMA PERMANENTE, COMECE HOJE!"O curso me ajudou a pensar o digital como meio e não ...

Ver mais

Como ser um Diabo da Tasmânia
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
​​​Como disse certa vez o ex-ministro Pedro Malan, no Brasil até o passado é incerto. Mas o futuro não – ao menos em um caso: Há plena certeza que o tecido social esgarçou e vai rasgar. ...

Ver mais

O mundo platônico e suas consequências
Carlos Nepomuceno
Live de terça O mundo platônico e suas consequências Live de terçaO mundo platônico e suas consequênciasTENHA VISÃO MAIS SOFISTICADA SOBRE O NOVO SÉCULO!TURMA PERMANENTE, COMECE HOJE!"O ...

Ver mais

O Trivium – uma introdução
Alexandre Gomes
As Sete Artes Liberais era a forma que os jovens eram preparados desde a Antiguidade até a alta Idade Média para educação superior. E a introdução nas Sete Artes era pelo Trivium, um método que ...

Ver mais

Cafezinho 134 – A Síndrome de Chico Buarque
Cafezinho 134 – A Síndrome de Chico Buarque
- Como é que um cara tão legal, tão sensível, tão ...

Ver mais

Cafezinho 133 – Rifa de CDs
Cafezinho 133 – Rifa de CDs
Uma forma de fazer uma corrente do bem, capaz de ...

Ver mais

Cafezinho 132 – Os cagonautas
Cafezinho 132 – Os cagonautas
Seu chefe é um cagonauta? Hummmm...tome cuidado, viu?

Ver mais

Cafezinho 131 – Compartilhe!
Cafezinho 131 – Compartilhe!
Seja a mídia que você quer ver no mundo

Ver mais

Passarinhos

Passarinhos

Luciano Pires -



PASSARINHOS 



Ilustração de Eldes -www.eldes.com

São três. Piando o dia todo, num ninho construído na janela do meu escritório. Acho que são sanhaços. “Preciso mostrar pras crianças!”.



Aí lembro que meu filho tem vinte e um anos, não vai se animar a correr pra ver os passarinhos. Mas a outra “criança”, minha filha, ainda tem quinze. Pode dar samba. Lá vou eu… Falo dos passarinhos, esperando uma reação de criança de seis anos, que arregala os olhos, corre pra ver e nos enche de perguntas. Mas ela está ocupada no MSN, trocando mensagens ininteligíveis com outros vinte e quatro amigos e amigas. Ao mesmo tempo.



Solta um grunhido. Parece ser uma expressão de “legal”. Nenhum olho arregalado. Nenhum pedido insistente de “me leva lá…”.



É… Houve um tempo em que eu cuidava ao contar as coisas, para que os pequenos pentelhos não grudassem em mim até que eu lhes mostrasse a novidade. Hoje não dão mais bola. Viraram adultos. Não têm tempo para baboseiras tipo “filhote-de-passarinho-na-janela-do-escritório”. Não há mais graça em contar-lhes as novidades e esperar uma reação. Dá saudade daquela época em que um prosaico besouro, uma borboleta, um cacho de abelhas, era assunto para a semana inteira. Hoje, não mais.



Pois sinto falta.



Sinto falta dos pequeninos detalhes prosaicos. Sinto falta daqueles mini seres curiosos para quem tudo é novidade, tudo é possível, tudo é normal. Como daquela vez em que eu e minha filha, que tinha quatro anos, fomos jogar veneno num formigueiro no jardim. Agachados olhávamos as centenas de saúvas carregando as folhas para dentro do buraco. Expliquei a ela:



– “Gabi, neste saco tem veneno que parece comida. A gente espalha em volta do formigueiro, as formigas pensam que é comida, levam lá pra dentro e morrem todas”.



Espalhei o veneno, sem reparar que estava úmido. Esperamos, esperamos e as formigas, nada. Exclamei:



– “Ué, mas elas não estão levando o veneno pra dentro”. E a Gabi, do alto da genialidade de seus quatro anos soltou a frase inesquecível:



– “Também, né. Você falou alto!”.



Emudeci até entender o que estava claro! Falei em voz alta que a comida era veneno e as formigas ouviram! E não são burras a ponto de comer veneno! Burro era eu!



Pois é disso que sinto falta. De surpreender e ser surpreendido. Mas não por um tsunami, dólares na cueca ou torres gêmeas desabando na televisão de meu quarto.



Sinto falta de ser surpreendido pela singeleza da frase desconcertante de uma criança.



Ou por três passarinhos na janela do escritório.