Artigos Café Brasil
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 719 – Licença poética
Café Brasil 719 – Licença poética
Quem me acompanha há muitos anos sabe que tive um amigo ...

Ver mais

Café Brasil Especial – Heróis da Saúde 12 – The Dark Side Of The Moon
Café Brasil Especial – Heróis da Saúde 12 – The Dark Side Of The Moon
Olha, este é outro daqueles programas de sonho, ...

Ver mais

Café Brasil Especial – Heróis da Saúde 11 – Qual é seu propósito?
Café Brasil Especial – Heróis da Saúde 11 – Qual é seu propósito?
Eu acho que você já deve ter sido questionado sobre ...

Ver mais

Café Brasil 718 – No lugar do outro
Café Brasil 718 – No lugar do outro
É nos momentos de tempestade, de crise, quando não há ...

Ver mais

LíderCast 201 – Marco Piquini
LíderCast 201 – Marco Piquini
Ex-executivo da Fiat, um profissional de comunicação, ...

Ver mais

LíderCast 200 – Marcio Ballas
LíderCast 200 – Marcio Ballas
Apresentador de televisão, ator e palhaço profissional. ...

Ver mais

LíderCast 199 – Ricardo Corrêa
LíderCast 199 – Ricardo Corrêa
Empreendedor, fundador da Ramper, uma conversa ...

Ver mais

LíderCast 198 – Hélio Contador
LíderCast 198 – Hélio Contador
Ex-executivo de grandes empresas do setor automotivo, ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

Minuto da Produtividade 1 – A arte de dizer não!
Minuto da Produtividade 1 – A arte de dizer não!
Produtividade é a arte de dizer NÃO!

Ver mais

A atualidade de Malthus
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A atualidade de Thomas Malthus “O famoso contraste que Malthus estabeleceu entre as duas espécies de progressões – o aumento geométrico da população e o crescimento aritmético da produção de ...

Ver mais

QI, educação e literatura
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
O QI médio em praticamente todos os países do mundo cresceu muito nos últimos 100 anos.   Na Alemanha e nos EUA, o crescimento do QI médio foi de mais de 30 pontos. No Quênia e na Argentina, foi ...

Ver mais

Perfeccionismo só é defeito quando mal utilizado
Henrique Szklo
Iscas Criativas
Ao ser questionada sobre quais são seus defeitos, muita gente coloca, envergonhadamente, o perfeccionismo como um dos mais tóxicos, como está na moda dizer. Muitos, inclusive, culpam este ...

Ver mais

A economia criativa pode ser essencial para o pós-pandemia?
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A economia criativa pode ser essencial para o pós-pandemia? “… as crises econômicas inevitavelmente dão origem a períodos críticos em que uma economia é refeita para que possa recuperar-se ...

Ver mais

Cafezinho 285 – O Buraco Negro
Cafezinho 285 – O Buraco Negro
A única resposta é: “O senhor tem de aguardar”.

Ver mais

Cafezinho 284 – A polarização de araque
Cafezinho 284 – A polarização de araque
Assistir a rinha de galos diária tem o mesmo efeito que ...

Ver mais

Cafezinho 283 – COVID 20
Cafezinho 283 – COVID 20
Precisamos reconhecer quem fez um bom trabalho e punir, ...

Ver mais

Cafezinho 282 – O cochilo de 50 anos
Cafezinho 282 – O cochilo de 50 anos
Passada a pandemia, teremos de ser ainda mais ...

Ver mais

Os vivos e os mais vivos

Os vivos e os mais vivos

Luciano Pires -

Já se passaram 21 anos desde que eu – aos 32 anos de idade – pude exercer meu voto para Presidente pela primeira vez. Pra quem tem memória curta, a história do Brasil foi assim: Fernando Collor em 1989, FHC em 1994 e 1998 e Lula em 2002 e 2006. Só tivemos cinco oportunidades para praticar o exercício do voto. Parece muito pouco, não é? Por isso temos que estar antenados.

Quero repetir a seguir algumas pequenas reflexões e idéias de textos que já publiquei antes, mas que são necessários para o que vem pela frente neste ano de eleições:

– Não existe voto de branco, voto de negro, voto de pobre ou voto de rico. Diante da urna, todo mundo é igual. Esse é o exercício maior da democracia, que deve ser festejado e defendido dos que tentam manipulá-lo.

– O voto nulo é uma opção válida, democrática e que deve ser respeitada como um direito de cada um. Mas se 70% dos eleitores votarem nulo, será eleito o presidente que os 30% que votaram válido quiserem. Pense nisso.

– Os profissionais esfregarão em nossa cara as alianças mais esdrúxulas, apresentadas como tiradas estratégicas. Desfilarão realizações de um lado e desmentidos de outro. Novos malandros vão aparecer. Velhos malandros vão reaparecer. E desfilarão mentiras em horário nobre. Tudo convenientemente “dudificado”. “Dudificar”: seguir a cartilha do Duda, criando embalagens irresistíveis para produtos envelhecidos, desonestos, perigosos…

– Enfrentaremos poderosas máquinas de criação de mentiras simbólicas. Ouviremos que as privatizações foram ruins, que “nunca antes neste país” se fez isto e aquilo, que o PAC existe, que fulano ou cicrano nunca foram condenados, que o chefe “não sabia” e todas aquelas armações da linguagem que transformam “sins” em “nãos”.

Este é o momento em que você será guiado por seus valores e convicções. Lembre-se: você tem vontade própria, não é uma máquina a serviço de um partido ou de uma ideologia. Você tem o direito de escolher o que julgar melhor para você e para o país. Portanto, faça essa escolha de maneira consciente. Examine todos os lados. Cuidado com as unanimidades e com as certezas absolutas. Cuidado com teses que prometem o céu no futuro provocando o inferno no presente. Cuidado com quem reescreve o passado. Cuidado com quem transforma convicções políticas em fervor religioso.

Minha sugestão é que, diante do bombardeio de notícias e opiniões, você faça cinco perguntas:

1. Quem criou essa mensagem?

2. Que técnicas criativas foram usadas para chamar minha atenção?

3. Se eu não fosse quem sou, não morasse onde moro, não tivesse a educação que tive, como é que eu entenderia essa mensagem?

4. Que valores, estilos de vida e pontos de vista estão representados ou foram omitidos dessa mensagem?

5. Por que essa mensagem está sendo enviada?

Essas cinco perguntinhas não garantem nada, mas criam um estado de alerta para as armadilhas marqueteiras postas à nossa frente diariamente pelos profissionais de comunicação a serviço dos partidos e candidatos.

E, para finalizar, lembre-se sempre de Aparício Torelly, nosso Barão do Itararé:

Os vivos serão sempre, e cada vez mais, governados pelos mais vivos.