Artigos Café Brasil
A fábrica de conteúdo
A fábrica de conteúdo
A Confraria Café Brasil dá um passo adiante e começa a ...

Ver mais

Um jeito de ver o mundo
Um jeito de ver o mundo
Isca Intelectual de Luciano Pires que tenta explicar o ...

Ver mais

LíderCast 5
LíderCast 5
Acabamos de lançar a Temporada 5 do podcast LíderCast, ...

Ver mais

O padrão
O padrão
Isca intelectual de Luciano Pires demonstrando que ...

Ver mais

553 – Exponential Talks
553 – Exponential Talks
Podcast Café Brasil 553 - Exponential Talks - Luciano ...

Ver mais

552 – LíderCast 5
552 – LíderCast 5
Podcast Café Brasil 552 - LíderCast 5 . Este programa ...

Ver mais

999 – Hotel Califórnia
999 – Hotel Califórnia
Podcast Café Brasil - Hotel Califórnia. O programa ...

Ver mais

551 – Todo mundo é deficiente
551 – Todo mundo é deficiente
Podcast Café Brasil 551 - Todo mundo é deficiente. ...

Ver mais

LíderCast 061 – Flavio Azm
LíderCast 061 – Flavio Azm
Hoje recebemos Flavio Azm que é cineasta, mas é muito ...

Ver mais

LíderCast 060 – Raiam Santos
LíderCast 060 – Raiam Santos
Hoje recebo Raiam Santos, um jovem brasileiro que não ...

Ver mais

LíderCast 059 – Geraldo Rufino
LíderCast 059 – Geraldo Rufino
Hoje recebemos Geraldo Rufino um empreendedor ...

Ver mais

LíderCast 058 – Marcelo Wajchenberg
LíderCast 058 – Marcelo Wajchenberg
Hoje recebemos Marcelo Wajchenberg, que é médico ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 07
Videocast Nakata T02 07
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 07 Se a sua ...

Ver mais

Diferentes olhares
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Diferentes olhares Metade cheia e metade vazia do copo “Nós tivemos uma economia no ano passado caindo, e no ano anterior também, uma queda que se acentuou um pouco mais do que se estava ...

Ver mais

Não contrate um comunista
Raiam Santos
Só com esse título, já deve ter gente se coçando para buscar meu CPF e tentar me processar por incitação ao ódio e preconceito. Calma, meus amigos! Sou o tipo do cara que odeia discutir política, ...

Ver mais

Carta aberta aos podcasters
Mauro Segura
Transformação
Por que os podcasts não crescem como negócio no Brasil? A resposta pode estar nessa carta aberta de Mauro Segura para os podcasters.

Ver mais

Somos responsáveis pela beleza que herdamos
Bruno Garschagen
Ciência Política
Isca intelectual de Bruno Garshagen. No Brasil, basta consultar fotos antigas das cidades para verificar que o padrão de beleza urbana tradicional deu lugar a um ambiente novo, às vezes ...

Ver mais

Ô Tédio…

Ô Tédio…

Luciano Pires -



Ô TÉDIO…



E a turma da área de comunicação decidiu inovar e criou uma mensagem de espera telefônica diferente. Aproveitando umas propagandas de rádio bem humoradas, fez com que quem ligasse para a empresa, ouvisse uma mensagem alegre, engraçada e diferente daquela musiquinha de crematório que outras empresas escolhem… Resultado?


Alguns diretores da empresa entraram em pânico. Onde já se viu? Uma mensagem alegre e bem humorada para quem liga para uma empresa séria como a nossa? Depois de muita pressão, a mensagem foi retirada do ar e substituída por algo mais… digamos… normal.


Agora, quem liga para a empresa ouve uma mensagem de gente séria…


Essa história me faz lembrar de como é perigoso atender às expectativas de nossos clientes. No caso da chamada telefônica, os diretores não entenderam que os clientes não eram eles, os diretores, mas sim os clientes externos da empresa. E deram vazão a seus preconceitos.


A mensagem telefônica bem humorada foi feita para superar, quebrar, e não simplesmente atender, as expectativas. Quando atendemos expectativas, somos previsíveis. Fazemos o esperado, o “normal”. Falamos o que os outros querem ouvir… Sabe que estratégia é essa?


É a estratégia do cagaço.


É mais seguro fazer o que as pessoas acham que é normal. Isso evita que elas pensem a respeito. Evita o risco de alguém não gostar. É a estratégia da previsibilidade, da aposta só na segurança, Do tédio…


Ser tedioso é transmitir falta de sensibilidade, de garra, de coração. Falta de alma, de tesão, de entusiasmo: cagaço!


Pense bem, ao botar a cabeça no travesseiro para dormir e repassar o seu dia, do que é que você se lembra? Das coisas rotineiras? Ou das coisas que quebraram a rotina?


Garanto que você só vai se lembrar das quebras da rotina. Afinal, como diz Washington Olivetto, “se ninguém se incomoda, todo mundo acha que está tudo correto, tudo certinho, a chance de não acontecer nada é muito grande”.


Vou mais longe. Além de não acontecer nada, a inteligência é deixada de lado. Tudo fica no automático. Seguem-se as regras e o que temos é:


“Você ligou para a empresa tal. Nossa empresa é o máximo. Sua ligação é muito importante para nós. Aguarde que um de nossos colaboradores vai atendê-lo assim que possível”.


É chato, né? Igual a todos os outros, né? Previsível, né?


É. Mas é seguro.


Ô tédio…