Artigos Café Brasil
#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

É tudo soda
É tudo soda
Isca intelectual de Luciano Pires lembrando que ...

Ver mais

582 – Sobre transgressão
582 – Sobre transgressão
Alguns fatos recentes trouxeram à tona a discussão ...

Ver mais

581 – Carta aos jornalistas
581 – Carta aos jornalistas
Advogados erram. Treinadores erram. Mecânicos erram. ...

Ver mais

580 – O esquecimento do bem
580 – O esquecimento do bem
O Brasil continua de pé, apesar de todos os tropeços e ...

Ver mais

579 – A arte de falar merda
579 – A arte de falar merda
Tenha um filtro, meu caro, minha cara. Para o bem do ...

Ver mais

LíderCast 085 William Polis
LíderCast 085 William Polis
William é um daqueles empreendedores que a gente gosta: ...

Ver mais

LíderCast 084 Rodrigo Azevedo
LíderCast 084 Rodrigo Azevedo
LiderCast 084 – Rodrigo Azevedo – Rodrigo Azevedo é ...

Ver mais

LíderCast 083 Itamar Linhares
LíderCast 083 Itamar Linhares
Itamar Linhares é médico-cirurgião na cidade de ...

Ver mais

LíderCast 082 Bruno Soalheiro
LíderCast 082 Bruno Soalheiro
LiderCast 082 – Bruno Soalheiro – Bruno criou a ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

O pior dos pecados
Tom Coelho
Sete Vidas
“A conduta é um espelho no qual todos exibem sua imagem.” (Goethe)   Um renomado palestrante é contratado para fazer uma apresentação em um evento de uma multinacional. Porém, apenas uma ...

Ver mais

Gênese da corrupção
Tom Coelho
Sete Vidas
“(…) que os criminosos fiquem em terra de meus senhorios e vivam e morram nela, especialmente na capitania do Brasil que ora fiz mercê a Vasco Fernandes Coutinho (…) e indo-se para ...

Ver mais

Analfabetismo funcional
Tom Coelho
Sete Vidas
“Só a educação liberta.” (Epicteto)   O índice de reprovação no exame anual da Ordem dos Advogados do Brasil, em São Paulo, tem atingido a impressionante marca de 90%. Realizado em duas ...

Ver mais

De Marceline para o mundo
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
De Marceline para o mundo  Encantamento como objetivo   “Gosto do impossível porque lá a concorrência é menor”. Walt Disney O título deste artigo integra o título completo de um livro lançado em ...

Ver mais

Cafezinho 13 – A sociedade da confiança
Cafezinho 13 – A sociedade da confiança
Quem confia nas leis não precisa quebrá-las.

Ver mais

Cafezinho 12 – Os tortos e os direitos
Cafezinho 12 – Os tortos e os direitos
Eu sou direito. Quero tratamento diferente dos tortos.

Ver mais

Cafezinho 11 – Vergulho e Orgonha
Cafezinho 11 – Vergulho e Orgonha
Se tenho orgulho de meu país? Sim. Mas também tenho vergonha.

Ver mais

Cafezinho 10 – Legítima defesa
Cafezinho 10 – Legítima defesa
Quatro anos e 240 mil assassinatos depois, a única ...

Ver mais

O Quarto Do Poeta

O Quarto Do Poeta

Luciano Pires -

– Eu amo o mundo! Eu detesto o mundo! Eu creio em Deus! Deus é um absurdo! Eu vou me matar! Eu quero viver!
– Você é louco?
– Não, sou poeta.


Esse é o poema “Simultaneidade” de Mario Quintana, poeta gaúcho cuja obra é reverenciada por todos os que têm sensibilidade para perceber as sutilezas da alma. Escrevi este texto na Casa de Cultura Mario Quintana, em Porto Alegre, enquanto preparava-me para realizar uma palestra.
Originalmente um hotel construído no início do século passado, a Casa de Cultura Mario Quintana transformou-se num grande centro voltado à preservação e incentivo das artes. Localizada no centro de Porto Alegre, conta com dezenas de salas de leitura, teatros, ateliês e auditórios. E promove eventos diariamente. É um banho de cultura, num país que precisa desesperadamente de cultura.
Mas lá existe um lugar mágico. Um quarto do antigo hotel, onde viveu Mario Quintana por vários anos, está preservado. É o “quarto do poeta”.
Numa pequena sala, por uma parede de vidro, pode-se ver o quarto simples, com os pertences do poeta que faleceu em 1994 aos 88 anos.
Fascinado, me atrevi a perguntar se era possível entrar no quarto. Como eu era o palestrante do dia, a resposta foi “sim”. O diretor foi buscar a chave e meu estômago foi ficando gelado… Pedi para entrar sozinho e para que o diretor fechasse a porta.
Pronto. Eu estava dentro de um santuário.
Em silêncio, caminhei pelo quarto minúsculo.
Ali, uma velha máquina de escrever. Toquei nas teclas. Do lado, alguns livros. Toquei na bengala encostada na cadeira. Não me atrevi a sentar na poltrona. Na parede, fotos de Greta Garbo, Cecília Meirelles, Charles Chaplin… A cama, pequenina, com o lençol bordado… Um cinzeiro cheio de bitucas. Uma garrafa de água mineral. Sobre uma mesa, uma velha TV destoando do ambiente. Emocionei-me ao tocar nas folhas de caderno onde, com sua letra, estavam escritos alguns poemas.
Simples. Admiravelmente simples. Assim era o poeta. Para causar impacto sobre nossas vidas precisou apenas de poucos pertences e um tímido quarto de hotel.
O poeta não fez planos de marketing.
O poeta fez arte. E tornou-se eterno.
Saí do quarto emocionado. Em silêncio, lembrando do “Poeminha do Contra”, do grande, simples e solitário Mario Quintana:


Todos estes que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão…
Eu passarinho!