Artigos Café Brasil
Palestra O Meu Everest
Palestra O Meu Everest
Meu amigo Irineu Toledo criou um projeto chamado ...

Ver mais

Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

691 – Os agilistas
691 – Os agilistas
Conversei com o Marcelo Szuster no LíderCast 175, um ...

Ver mais

690 – Vale quanto?
690 – Vale quanto?
Cara, você aceita pagar pelo ingresso de um show a ...

Ver mais

689 – A Missão
689 – A Missão
De quando em quando publicamos no Café Brasil a íntegra ...

Ver mais

688 – Doar órgãos é doar vida
688 – Doar órgãos é doar vida
A doação de órgãos é um ato de generosidade, é o ...

Ver mais

LíderCast 178 – Tristan Aronovich
LíderCast 178 – Tristan Aronovich
Ator, músico, escritor, diretor e produtor de cinema, ...

Ver mais

LíderCast 177 – Rodrigo Ricco
LíderCast 177 – Rodrigo Ricco
CEO da Octadesk, empresa focada na gestão de ...

Ver mais

LíderCast 176 – Willians Fiori
LíderCast 176 – Willians Fiori
Professor, podcaster e profissional de marketing e ...

Ver mais

LíderCast 175 – Marcelo Szuster
LíderCast 175 – Marcelo Szuster
O cara do “Business Agility", que trata da capacidade ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

A chave de fenda
Chiquinho Rodrigues
Toninho Macedo era um daqueles músicos de fim de semana. Amava música e tocava seu cavaquinho “de brincadeira” (como ele dizia) aos sábados e domingos em uma banda de pagode ali do bairro onde ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 3 – Morfologia Sincategoremática (parte 6)
Alexandre Gomes
A MORFOLOGIA SINCATEGOREMÁTICA se refere a PALAVRAS que só tem significado quando associadas a outras PALAVRAS.   Bom, se tais palavras se referente a outras palavras, então as funções delas ...

Ver mais

Vilmoteca
Chiquinho Rodrigues
Ser músico e ter viajado por esse imenso Brasil são dádivas que agradeço todo dia ao Papai do Céu! Ter colecionado experiências e conhecido os mais variados tipos de malucos acabaram fazendo de ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 3 – Palavras Atributivas: verbos, advérbios e adjetivos (parte 5)
Alexandre Gomes
Continuando a tratar de VERBOS, irei expor agora sobre as classes de verbos:   TRANSITIVOS: aqueles que expressam uma ação que começa no sujeito (agente) e “vai até” (trans + ire) o objeto ...

Ver mais

Cafezinho 229 – Manicômio Legal
Cafezinho 229 – Manicômio Legal
O manicômio legal no qual estamos presos.

Ver mais

Cafezinho 228 – O medo permanente
Cafezinho 228 – O medo permanente
Enquanto destruíam nosso sistema de justiça criminal ...

Ver mais

Cafezinho 227 – Paralisia por análise
Cafezinho 227 – Paralisia por análise
A falta de experiência e repertório dessa moçada ...

Ver mais

Cafezinho 226 – O MCSC
Cafezinho 226 – O MCSC
Um movimento que independe de partidos, de políticos, ...

Ver mais

O princípio de Eisenhower

O princípio de Eisenhower

Luciano Pires -

“Se o país está em coma, não entendo a insistência no autoengano de achar que a cultura pode se safar, sadia, do desconserto geral que nos abateu. Na teoria (linda!) a prática é outra (dolorida). Sou a favor da ideia de manter a cultura internada no hospital da educação. Depois da possibilidade de alta vamos ver o que pode ser melhor pra ela e pra todos nós, brasileiros”.

Essa é a atriz Regina Duarte falando sobre o anúncio de fusão do Ministério da Cultura com o da Educação.

Dá pra ouvir a gritaria?

Em 1954 o ex-presidente dos EUA Dwight Eisenhower lançou durante um discurso aquilo que ficou conhecido como o “princípio Eisenhower”, ao dizer que “eu tenho dois tipos de problemas: o urgente e o importante. O urgente não é importante e o importante nunca é urgente.”

O que me vem à mente é a imagem da moça chamada Brasil, em coma, com os médicos, enfermeiros e familiares no maior conflito discutindo em que canal a TV deve ficar ligada… Ou que filme ou peça ela deve assistir.

Deixa eu dar uma pausa aqui pra você poder gritar à vontade.

Pronto.

Um dos princípios básicos da gestão envolve a eficácia na aplicação dos recursos e a eficiência na obtenção dos resultados, e talvez o atributo principal seja a capacidade de aplicar nosso tempo primeiro nas coisas que são importantes e só depois nas que são urgentes. Mas para isso precisamos compreender a diferença entre importante e urgente.

Importante é aquilo que nos leva a atingir nossos objetivos, pessoais ou profissionais.

Urgente é aquilo que precisa de atenção imediata e que normalmente está associado a atingir os objetivos de outras pessoas. Como normalmente essa outra pessoa é o chefe, as consequências de não dar atenção ao urgente o tornam importante. E aí vem a inversão.

Mas quando se define o que é urgente e importante para nós, como indivíduos, não é difícil compreender e gerenciar escolhas. O bicho pega quando precisamos definir o que é urgente e o que é importante para uma sociedade com mais de 200 milhões de habitantes. É aí que os conflitos começam, com cada grupo tentando que seu importante se imponha como urgente sobre o importante dos outros. E o que se vê é o Brasil que conhecemos hoje: focando nas atividades urgentes impostas por minorias barulhentas e não nas importantes para a sociedade sair do coma.

O momento é atípico, de crise. Não dá para passar por ele como se tudo continuasse como sempre. Agora é hora de priorizar as ações importantes E urgentes, depois as importantes não urgentes. Em seguida as não importantes, mas urgentes e só depois as não importantes e não urgentes.

Dê uma olhada nas pautas em discussão na mídia. Veja o que ocupa espaço nas televisões, rádios, portais, jornais e mídias sociais e você encontrará questões como reforma da previdência, identidade de gênero, operação Lava Jato, aborto, caos na saúde, legalização da maconha, ministério da cultura, terras para índios, caos na educação, reforma agrária, taxa de juros, maioridade penal, mudanças na economia, combate à corrupção… Tente separar esses temas em importantes e urgentes para vencer este momento crucial do Brasil. Não tenho dúvidas que você verá como perdemos tempo, dinheiro e energia com discussões que só acontecem por absoluta falta de capacidade de priorização.

E aí aparece uma atriz dizendo algo como ”para tudo e sai do coma!”. Depois da alta a gente trata do resto.

Regina Duarte está usando o Princípio de Eisenhower.

É tão óbvio que dói.

Mas a voz dela não pode ser ouvida. Tem gente demais gritando.