Artigos Café Brasil
#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

É tudo soda
É tudo soda
Isca intelectual de Luciano Pires lembrando que ...

Ver mais

583 – A regra dos dois desvios
583 – A regra dos dois desvios
Nunca brigue se o adversário estiver a mais de dois ...

Ver mais

582 – Sobre transgressão
582 – Sobre transgressão
Alguns fatos recentes trouxeram à tona a discussão ...

Ver mais

581 – Carta aos jornalistas
581 – Carta aos jornalistas
Advogados erram. Treinadores erram. Mecânicos erram. ...

Ver mais

580 – O esquecimento do bem
580 – O esquecimento do bem
O Brasil continua de pé, apesar de todos os tropeços e ...

Ver mais

LíderCast 085 William Polis
LíderCast 085 William Polis
William é um daqueles empreendedores que a gente gosta: ...

Ver mais

LíderCast 084 Rodrigo Azevedo
LíderCast 084 Rodrigo Azevedo
LiderCast 084 – Rodrigo Azevedo – Rodrigo Azevedo é ...

Ver mais

LíderCast 083 Itamar Linhares
LíderCast 083 Itamar Linhares
Itamar Linhares é médico-cirurgião na cidade de ...

Ver mais

LíderCast 082 Bruno Soalheiro
LíderCast 082 Bruno Soalheiro
LiderCast 082 – Bruno Soalheiro – Bruno criou a ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Mudança, inovação e o espírito conservador
Bruno Garschagen
Ciência Política
Mudei de casa recentemente. Muito mais do que necessário, mudei porque quis, porque considerei que seria melhor. Mudar é sempre, porém, um tormento. Embalar os pertences, transportá-los para ...

Ver mais

O pior dos pecados
Tom Coelho
Sete Vidas
“A conduta é um espelho no qual todos exibem sua imagem.” (Goethe)   Um renomado palestrante é contratado para fazer uma apresentação em um evento de uma multinacional. Porém, apenas uma ...

Ver mais

Gênese da corrupção
Tom Coelho
Sete Vidas
“(…) que os criminosos fiquem em terra de meus senhorios e vivam e morram nela, especialmente na capitania do Brasil que ora fiz mercê a Vasco Fernandes Coutinho (…) e indo-se para ...

Ver mais

Analfabetismo funcional
Tom Coelho
Sete Vidas
“Só a educação liberta.” (Epicteto)   O índice de reprovação no exame anual da Ordem dos Advogados do Brasil, em São Paulo, tem atingido a impressionante marca de 90%. Realizado em duas ...

Ver mais

Cafezinho 14 – A sala, o piano e a partitura
Cafezinho 14 – A sala, o piano e a partitura
Mesmo uma obra de arte, só tem utilidade de houver uma ...

Ver mais

Cafezinho 13 – A sociedade da confiança
Cafezinho 13 – A sociedade da confiança
Quem confia nas leis não precisa quebrá-las.

Ver mais

Cafezinho 12 – Os tortos e os direitos
Cafezinho 12 – Os tortos e os direitos
Eu sou direito. Quero tratamento diferente dos tortos.

Ver mais

Cafezinho 11 – Vergulho e Orgonha
Cafezinho 11 – Vergulho e Orgonha
Se tenho orgulho de meu país? Sim. Mas também tenho vergonha.

Ver mais

O Papa e o astronauta

O Papa e o astronauta

Luciano Pires -

Ao ser anunciado o novo Papa, fiquei imaginando o que passou pela cabeça das pessoas que conheceram Jorge Mario Bergoglio quando criança em Buenos Aires… Gente que conviveu com ele bem de perto e que agora assiste sua nomeação para um dos cargos de maior visibilidade no planeta.

Me lembrei então de um texto que escrevi há algum tempo e que é pertinente neste momento. O texto começava com uma pergunta que sempre ouvi quando criança:

– O que é que você vai ser quando crescer?

Quantas vezes você ouviu ou fez essa pergunta? A gente se concentra na resposta e esquece de examinar a pergunta. O que é que as pessoas estão querendo que você diga, afinal?

Seus sonhos. Isso mesmo. Elas não estão interessadas na resposta exata, estão interessadas em saber o tamanho de seus sonhos. Quando você respondia que queria ser engenheiro, médico, dentista ou advogado, as pessoas respondiam com um “muito bem”, não é? Afinal de contas, isso era tudo o que elas esperavam ouvir, era um sonho possível de ser alcançado por seu próprio esforço.

Mas quando você dizia que queria ser astronauta, jogador de futebol, papa ou cantor de rock, a reação delas era diferente. De espanto: “nossa!”. E não raro, seguida de uma risadinha e um “que bom” meio falso, debochado até.

Aqueles eram sonhos difíceis, se não impossíveis, de alcançar. Não estamos acostumados a acreditar que as pessoas que nos rodeiam sejam capazes de grandes feitos, esperamos que elas sejam “normais”, tenham sonhos comuns e vivam suas vidinhas parecidas com as nossas.

Em 1963, quando eu era um caipirinha em Bauru, sonhei em ser astronauta quando crescesse. Os adultos que me ouviam, riam da ideia.

-Moleque, deixa de ser burro! Onde já se viu um astronauta nascido em Bauru?

Muito bem. Cerca de quarenta anos depois, em 2006, o major Marcos Cesar Pontes se tornou o primeiro astronauta brasileiro, ao decolar na nave russa Soyuz para a Estação Espacial Internacional. E onde é que você acha que ele nasceu?

Em Bauru.

O primeiro astronauta brasileiro é bauruense… Nasceu na minha cidade, quatro anos depois de mim.

Quando aparece no jornal a notícia que o Zé, aquele cara simples, que você conhece, cheio de defeitinhos, fez algo fora do comum, descobriu a cura de uma doença, lançou um livro de sucesso, inventou um produto revolucionário, foi indicado para um alto cargo numa empresa, foi escolhido Papa, você surta. Os pobres de espírito, por inveja. Os demais, por surpresa.

– Um astronauta? Bauruense? Como é que pode?

Talvez ele tenha acreditado em seus sonhos. Talvez tenha falado sério quando, ainda jovem, decidiu que seria mais do que aquilo que os outros esperavam dele. Igualzinho a Jorge Mario Bergoglio em Buenos Aires…

Quando você perguntar a uma criança o que ela quer ser quando crescer, pense nesta frase que alguém me enviou, atribuída a William Shakespeare:

“Nunca diga a uma criança que sonhos são bobagens. Nada é tão humilhante e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.”

Pois é. Se eu não tivesse acreditado naqueles adultos, o primeiro astronauta poderia ter sido eu.

Luciano Pires