Artigos Café Brasil
Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

682 – LíderCast 13
682 – LíderCast 13
É isso que é o LíderCast. Uma homenagem a quem ...

Ver mais

681 – Agrotóxicos: remédio ou veneno
681 – Agrotóxicos: remédio ou veneno
Agrotóxicos surgiram na Segunda Guerra Mundial, para ...

Ver mais

680 – Nova Previdência 2
680 – Nova Previdência 2
A Nova previdência é o primeiro passo para colocar o ...

Ver mais

679 – Será que acordamos?
679 – Será que acordamos?
Adalberto Piotto apresenta o programa Cenário Econômico ...

Ver mais

LíderCast 169 – Marília Guimarães e Eduardo Dantas
LíderCast 169 – Marília Guimarães e Eduardo Dantas
Marilia Guimarães e Eduardo Dantas – a dupla ...

Ver mais

LíderCast 168 – Pedro Hipólito
LíderCast 168 – Pedro Hipólito
CEO da Five Thousand Miles, empresa portuguesa que se ...

Ver mais

LíderCast 167 – João Kepler
LíderCast 167 – João Kepler
Especialista em empreendedorismo, startups, marketing e ...

Ver mais

LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
O Abbey é um imigrante africano, que chegou ao Brasil ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Por que Bolsonaro exagera?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Como se já não enfrentássemos todos os problemas possíveis – e mais uns imaginados – Bolsonaro parece se esforçar para piorar os reais e parir os imaginários. Por qual razão o ...

Ver mais

TRIVIUM: CAPÍTULO 3 – CARACTERÍSTICAS GRAMATICAIS DOS SUBSTANTIVOS (parte 3)
Alexandre Gomes
Até agora mostrei maneiras um pouco diferentes de se ver um SUBSTANTIVO. Usando um tanto de Lógica e  Filosofia para explicar SUBSTANTIVOS e ADJETIVOS. E só para te lembrar: toda a Realidade é ...

Ver mais

Viva Narciso
Jota Fagner
Origens do Brasil
A nossa vaidade nos impede de construir um ambiente mais tolerável A palavra “insentão”, popularizada nos últimos anos, serve para classificar a pessoa que não se deixa iludir pelo canto da ...

Ver mais

O hábito da leitura e seu impacto no desenvolvimento
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O hábito da leitura e seu impacto no desenvolvimento  “A leitura é a chave para se ter um universo de ideias e uma tempestade de palavras.” Eduarda Taynara Gonçalves Pereira  (ex-aluna da EEEP ...

Ver mais

Cafezinho 211 – O crítico e o criativo
Cafezinho 211 – O crítico e o criativo
Basta uma olhada nos jornais televisivos diários para ...

Ver mais

Cafezinho 210 – Gosto médio
Cafezinho 210 – Gosto médio
Vida em sociedade implica no exercício diário da ...

Ver mais

Cafezinho 209 – Sobre fatos e desejos
Cafezinho 209 – Sobre fatos e desejos
Quem mostra a você o ato, conclui a intenção e sonega a ...

Ver mais

Cafezinho 208 – O Mas
Cafezinho 208 – O Mas
Preste atenção em quem usa o “mas” como desculpa ou ...

Ver mais

O nariz de Pinóquio

O nariz de Pinóquio

Luciano Pires -

Sempre que penso em mentiras, lembro de um personagem famoso da minha infância: o Pinóquio. Criado pelo italiano Carlo Collodi em 1883, o boneco mentiroso, cujo nariz crescia a cada mentira pronunciada, foi imortalizado por Walt Disney num desenho animado inesquecível.

Pois li uma coisa interessante relacionada a mentiras e crianças: o Institute of Child Study da Universidade de Toronto, no Canadá, realizou uma pesquisa com 1200 crianças com idades entre 2 e 16 anos para tentar entender como elas mentem. E a descoberta foi fascinante.

Com dois anos de idade, 20% das crianças mentem. Aos três anos, a taxa sobe para 50%, chegando a quase 90% aos quatro anos. Aos doze anos, praticamente 100% das crianças mentem. E então a taxa começa a cair, chegando a 70% aos dezesseis anos. A partir daí, os jovens adultos aprendem a usar aquelas mentirinhas quotidianas que servem para não magoar os sentimentos dos outros, sabe como é? Aquele “simpática” que a gente diz quando não quer chamar a moça de “feia”?
O mais interessante: os pesquisadores deduziram que a habilidade de mentir está ligada ao processo de lembrar, raciocinar, entender e julgar. Ao desenvolvimento cognitivo. Quanto mais sofisticada e plausível a mentira, mais a criança demonstra ter capacidade de desenvolver pensamentos complexos. E mais chances de sucesso tem na vida. É o Dr. Kang Lee, diretor do Instituto, que conclui:

– Toda criança mente. E as que tem um melhor desenvolvimento cognitivo mentem melhor pois conseguem esconder as pistas…

Escrevo a respeito da pesquisa do Dr. Lee na tentativa de entender o que anda acontecendo com o Brasil. Nunca antes na história deste país se mentiu como hoje. A mentira está institucionalizada, é dita em horário nobre nas televisões, na cara dura, como a do Pinóquio: de pau. E o que é estarrecedor, a mentira jamais é confrontada com a verdade. O sujeito (e a sujeita) chega na televisão, diz uma mentira descarada e fica tudo por isso mesmo. Houve um tempo em que jornalistas ridicularizavam o mentiroso. Hoje não. Mentir é parte do jogo e contestar a mentira é “ser grosso”, “jogo político”, “criar factóides” e “ser de direita”. E neste Brasil onde “nóis invertemo as coisa” os(as) mentirosos(as) são tratados com respeito, pompa e circunstância. É um tal de “senhor candidato” pra cá, “senhora candidata” pra lá que me deixa nervoso!
Pô, quando é que essa gente será tratada como “mentiroso de uma figa”?

Nas últimas semanas assistimos a verdadeiros descalabros, que culminaram (de novo!) com a quebra do sigilo fiscal de adversários políticos para uso como arma de desmoralização – em política isso quer dizer exterminação. O fato é gravíssimo e desde o início o que se vê são mentiras. Mentiras oficiais, ditas por autoridades e defendidas por quem deveria estar defendendo é a verdade. Isso é péssimo. É a moral jogada na sarjeta.

Será este o novo Brasil que “é de todos”? Meu é que não é. Esse aí, não.

A turma envolvida na mentirobras é composta de gente bem sucedida, não são manés fracassados. Ocupam altos cargos em empresas estatais, órgão públicos e partidos políticos. Vieram lá de baixo e hoje recebem salários e benefícios com os quais os trabalhadores comuns nem sonham. Essa gente, para quem a mentira é um método, não faz escolhas morais, mesmo porque nem percebe que essas escolhas precisam ser feitas. Para atingir seus objetivos, mentem. Mentem descaradamente. Chegam a mentir que é seu o dinheiro que na verdade é da gente…

Seguindo o raciocínio do Dr. Lee: são um sucesso, portanto devem ter mentido – e bem – desde que nasceram. Mas quer saber? Se o Dr. Lee está certo, essas pessoas não tiveram o melhor desenvolvimento cognitivo quando crianças, não.

Como Pinóquio e seu nariz, eles não conseguem esconder as pistas.

Luciano Pires