Assine o Café Brasil
Artigos Café Brasil
Por que eu?
Por que eu?
Ela foi a primeira mulher a assumir publicamente que ...

Ver mais

Cobertor de solteiro
Cobertor de solteiro
Cobertor de solteiro. Isca intelectual de Luciano Pires ...

Ver mais

O véinho
O véinho
Isca intelectual de Luciano Pires que pergunta: que ...

Ver mais

Pluralidade narrativa 2
Pluralidade narrativa 2
Revendo uma Isca Intelectual de Luciano Pires que tenta ...

Ver mais

538 – Caçadores da verdade perdida
538 – Caçadores da verdade perdida
Podcast Café Brasil 538 - Caçadores da verdade perdida. ...

Ver mais

537 – VAMO, VAMO CHAPE
537 – VAMO, VAMO CHAPE
Podcast Café Brasil 537 - Vamo,vamo, Chape. Este é um ...

Ver mais

536 – A política da pós-verdade
536 – A política da pós-verdade
Podcast Café Brasil 536 - A política da pós-verdade. ...

Ver mais

535 – Hallelujah
535 – Hallelujah
Podcast Café Brasil 535 - Hallelujah. Poucos dias atrás ...

Ver mais

LíderCast 050 – Bia Pacheco
LíderCast 050 – Bia Pacheco
LiderCast 050 - Hoje vamos conversar com Bia Pacheco, ...

Ver mais

LíderCast 051 – Edu Lyra
LíderCast 051 – Edu Lyra
LiderCast 051 - Hoje conversaremos com Edu Lyra, um ...

Ver mais

LíderCast 049 – Luciano Dias Pires
LíderCast 049 – Luciano Dias Pires
Lídercast 049 - Neste programa Luciano Pires conversa ...

Ver mais

LíderCast 048 – Jonas e Alexandre
LíderCast 048 – Jonas e Alexandre
LiderCast 048 - Hoje recebemos o Jonas e o Alexandre, ...

Ver mais

045 – Recuperando do trauma
045 – Recuperando do trauma
Quando terminar o trauma, quando o Brasil sair deste ...

Ver mais

Vem Pra Rua!
Vem Pra Rua!
Um recado para os reacionários que NÃO vão às ruas dia ...

Ver mais

44 – Tudo bem se me convém – Palestra no Epicentro
44 – Tudo bem se me convém – Palestra no Epicentro
Apresentação de Luciano Pires no Epicentro em Campos de ...

Ver mais

43 – Gloria Alvarez – Sobre República e Populismo
43 – Gloria Alvarez – Sobre República e Populismo
Gloria Alvarez, do Movimento Cívico Nacional da ...

Ver mais

A carta que mudou a minha vida
Mauro Segura
Transformação
Mauro Segura conta em vídeo uma história pessoal, que teve origem numa carta recebida há 30 anos.

Ver mais

Tempo de escolher
Tom Coelho
Sete Vidas
“Um homem não é grande pelo que faz, mas pelo que renuncia.” (Albert Schweitzer)   Muitos amigos leitores têm solicitado minha opinião acerca de qual rumo dar às suas carreiras. Alguns ...

Ver mais

O caso é o caso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Sobre a morte do assassino nojento, tudo já já foi dito; Fidel Castro foi tarde e deve estar devidamente instalado no caldeirão-suíte número 13, com aquecedor forte, decoração vermelha e vista ...

Ver mais

SmartCamp: as startups transformam o mundo
Mauro Segura
Transformação
Vivemos o boom das startups no Brasil e no mundo. O que está por trás disso? Mauro Segura esteve no SmartCamp, que é uma competição global de startups, e fez um vídeo contando a sua experiência.

Ver mais

O Montanhista

O Montanhista

Luciano Pires -

Um amigo está escalando o Everest. Carlos Morey, que conheci quando estava me preparando para a caminhada ao Campo Base da maior montanha do mundo, levou a sério um plano ambicioso: escalar cada uma das montanhas mais altas de cada continente. E só falta o Everest.


Quem nunca foi para a montanha dificilmente entende o que alguém vai fazer lá. Uma coisa que as pessoas sempre me perguntam é se me tornei mais “espiritual”, se algo mudou no meu jeito de ver a vida em função da viagem. Se encontrei Deus.
Explico que não fui para lá com esse objetivo. Deus ou Maomé ou Buda ou Jeová ou qualquer outra referência religiosa ou de valores são coisas pessoais, que têm as mesmas raízes e um só fundamento: o respeito ao semelhante.
Caminhando na trilha do Everest mergulhei em mim e estive muito próximo de um estado religioso. Ao contemplar a natureza selvagem também. Ao observar a energia das pessoas que vivem numa região inóspita e miserável, com alegria e gentileza inigualáveis, idem.


Lembro-me da história de um alto executivo que trabalhava na costa Oeste dos EUA. Um dia, recebeu um convite para transferir-se para outra empresa, em Nova Iorque, a cerca de 4.500 de quilômetros de distância. Quem o convidou passou a seguinte instrução:


– Venha para cá conversar. Mas você deve vir de trem. Numa cabine só sua. Sem livros, TV, rádio, revistas ou jornais.


O executivo estranhou, mas atendeu. Durante horas permaneceu sozinho com seus pensamentos. Nada para distrair a atenção. Apenas refletindo. No trem, teve muito tempo para raciocinar a respeito e entendeu a instrução “absurda” de seu amigo. Foram aquelas horas de concentração que lhe permitiram avaliar profundamente a proposta, as conseqüências e os riscos. Quando chegou a NY, já tinha tomado a decisão que mudaria sua vida: aceitou a proposta.

Sabe aquela parada que a gente dá para um cafezinho? Aquele momento mágico em que relaxamos e que, muitas vezes, é o momento em que surgem as idéias, a inspiração? O Everest foi meu cafezão.
Eram horas de caminhada diária. Concentração nos passos, na respiração. Um ritmo que me colocava num estado mental muito próximo da meditação. Usei aquele tempo para pensar na vida. Questionar a razão de suportar coisas que me desagradavam. Imaginar que eu seria capaz de realizar coisas que achava impossíveis…


A trilha do Everest me deu inclusive a resposta para uma questão que me agoniava. Durante pelo menos oito anos, morei num extremo da cidade de São Paulo e trabalhei noutro. Eram quase 90 quilômetros entre ida e volta, que me tomavam por dia cerca de três horas, num trânsito infernal. Por muito tempo questionei o absurdo de jogar fora três horas diárias de alguns dos anos mais produtivos de minha vida.
Na trilha do Everest percebi que aquela rotina diária no trânsito não era improdutiva. Aquelas eram horas preciosas de reflexão, de criação. Muito do que realizei nasceu dos momentos em que me vi só, no trânsito, quase em estado de meditação. Imagino que essa seja a recompensa dos que vão para o Caminho de Santiago. Dos navegadores solitários. Dos montanhistas. Dos corredores. Dos esportistas de alto desempenho.


Reflexão.


Foi isso que a trilha do Everest me proporcionou. O bastante para mudar minha vida. Por isso vou pras montanhas.


A aventura do Carlos Morey está sendo acompanhada no blog www.omeueverest.com.br/blog . Se você tiver tempo, passe por lá e deixe uma mensagem pra ele.