Assine o Café Brasil
Artigos Café Brasil
A rã e o escorpião
A rã e o escorpião
Isca intelectual de Luciano Pires, dizendo que é como ...

Ver mais

Fake News
Fake News
Isca intelectual lembrando da teoria dos Quatro Rês, ...

Ver mais

Matrizes da Violência
Matrizes da Violência
Isca intelectual lembrando que os presídios brasileiros ...

Ver mais

Mudei de ideia
Mudei de ideia
Isca intelectual de Luciano Pires incentivando que você ...

Ver mais

544 – Persuadível
544 – Persuadível
Podcast Café Brasil 544 - Persuadível. Vivemos numa ...

Ver mais

543 – Desengajamento moral
543 – Desengajamento moral
Podcast Café Brasil 543 - Desengajamento moral. Como é ...

Ver mais

542 – Tapestry
542 – Tapestry
Podcast Café Brasil 542 - Tapestry. Em 1971 uma cantora ...

Ver mais

541 – A festa do podcast
541 – A festa do podcast
Podcast Café Brasil 541 - A festa do Podcast. ...

Ver mais

LíderCast 056 – Paula Miraglia
LíderCast 056 – Paula Miraglia
LiderCast 056 - Hoje conversaremos com Paula Miraglia, ...

Ver mais

LíderCast 055 – Julia e Karine
LíderCast 055 – Julia e Karine
LiderCast 055 - Hoje vamos conversar com duas jovens ...

Ver mais

LíderCast 054 – Rodrigo Dantas
LíderCast 054 – Rodrigo Dantas
LiderCast 054 - Hoje vamos falar com o empreendedor ...

Ver mais

LíderCast 053 – Adalberto Piotto
LíderCast 053 – Adalberto Piotto
LiderCast 053 - Hoje vamos entrevistar Adalberto ...

Ver mais

045 – Recuperando do trauma
045 – Recuperando do trauma
Quando terminar o trauma, quando o Brasil sair deste ...

Ver mais

Vem Pra Rua!
Vem Pra Rua!
Um recado para os reacionários que NÃO vão às ruas dia ...

Ver mais

44 – Tudo bem se me convém – Palestra no Epicentro
44 – Tudo bem se me convém – Palestra no Epicentro
Apresentação de Luciano Pires no Epicentro em Campos de ...

Ver mais

43 – Gloria Alvarez – Sobre República e Populismo
43 – Gloria Alvarez – Sobre República e Populismo
Gloria Alvarez, do Movimento Cívico Nacional da ...

Ver mais

A verdade inconveniente da política atual
Bruno Garschagen
Ciência Política
Isca Intelectual de Bruno Garschagen, lembrando que o risco imediato para o futuro do mundo não é a desgraça do populismo: é o casamento incestuoso entre a degradação da política de hoje com a ...

Ver mais

A força da vocação
Tom Coelho
Sete Vidas
“Eu nunca quis ser o maior ou o melhor. Queria apenas desenhar.” (Mauricio de Sousa)   Mônica, Cebolinha, Cascão, Magali. É quase impossível que estes personagens de histórias em quadrinhos ...

Ver mais

O caos no Rio de Janeiro tem muitos culpados. E uma explicação
Bruno Garschagen
Ciência Política
Isca intelectual de Bruno Garschagen, lembrando que o que está acontecendo neste momento no Rio de Janeiro revela que a relação do carioca com a política não mudou muito desde o final do século 19.

Ver mais

Que grandeza…
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Ah… nada como o amor sincero à Pátria, o dar-se pelo povo… Nada como ver políticos desprendidos, servindo à nação uma verdadeira aula de civismo, espalhando sabedoria e exemplo de ...

Ver mais

O marisco

O marisco

Luciano Pires -

Nos últimos 12 anos, os assassinatos no Estado de São Paulo recuaram 72%! De 35,27 a cada 100 mil habitantes em 1999, para 9,9 a cada 100 mil, em 2011. A cidade de São Paulo terminará 2012 com pouco mais de 10 mortos a cada 100 mil habitantes. Enquanto isso o Rio de Janeiro tem 24,3 mortos por 100 mil, mas ninguém fala em caos na segurança pública. Salvador tem mais de 55 mortos por 100 mil, mas não aparece nas primeiras páginas dos jornais. João Pessoa tem 80 mortos por 100 mil, mas o Ministro da Justiça não vai lá insinuar que o governo do estado é incompetente.

É um escândalo.

Em 2010 no auditório de um dos CEUS na cidade de São Paulo, diante de cerca de 300 policiais militares, preparei-me para fazer minha palestra GENTE NUTRITIVA, num evento de um dos comandos regionais da PM. Vários policiais foram condecorados por atos de bravura, e cada um deles tinha na plateia sua família. Era evidente o orgulho com que recebiam as condecorações. E então o Comandante, emocionado, fez uma homenagem póstuma a uma policial que, aos 30 anos de idade, perdeu a vida num enfrentamento com bandidos. Senti um misto de angústia e perplexidade ao imaginar como será estar ao lado da esposa e filhos, ouvindo a história de um colega seu que morreu numa situação como aquelas que você vivencia diariamente.

Comecei minha apresentação comentando o nome da palestra. O que é que “Gente Nutritiva” tinha a ver com 350 policiais fardados e armados? Bem, sem as fardas e armas, aquelas pessoas eram gente igual à gente, que sente frio e fome, calor e medo, amor e ódio. Gente normal que, por sua função, recebe da sociedade a autoridade sobre outras pessoas normais. Gente que pode ser, sim, nutritiva mesmo de arma na mão. Conversei com eles e seus familiares e saí de lá feliz por ter conhecido um lado da polícia que eu desconhecia: o lado dos seres humanos, que a gente não vê na imprensa, onde a polícia aparece quase que exclusivamente como a corporação que congrega gente perigosa que abusa da autoridade e mata.

É inevitável lembrar aquela experiência nestes dias violentos em que bandidos decretaram a caça a policiais em São Paulo. Morreram quantos já? 90? 100? E onde é que esses mortos foram chorados? Não vi choro na imprensa e nem político fazendo discurso para as famílias. Não vi videoclipes na televisão com o pianinho ao fundo enquanto aparecem as lágrimas da viúva do policial. Não vi representantes de entidades de defesa dos direitos humanos preocupados com os filhos dos que foram mortos pela bandidagem. Por que para esses corajosos defensores dos oprimidos, policiais mortos não merecem lágrimas? Porque são eles os criminosos?

Dentro de uma corporação com mais de 90 mil homens e mulheres é normal que existam desonestos, aproveitadores e até bandidos. Mas imaginar que esses são a maioria é abusar da estupidez.

Aquelas pessoas comuns debaixo das fardas, assim como você, estão sendo usadas – mais uma vez – como peças de um jogo político que tem por objetivo único a conquista do governo do Estado de São Paulo. Não importa se estão morrendo, não importa se São Paulo tem a política de segurança pública mais bem sucedida do país. Não importa o que acontece de fato. Só importa a versão do fato.

Na briga do rochedo com o mar, quem se ferra é o marisco, lembra?

O marisco é você.

Luciano Pires