Artigos Café Brasil
Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

É tudo soda
É tudo soda
Isca intelectual de Luciano Pires lembrando que ...

Ver mais

A selhófrica da pleita
A selhófrica da pleita
Isca intelectual de Luciano Pires tratando do nonsense ...

Ver mais

Freestyle
Freestyle
Isca Intelectual de Luciano Pires dizendo que quando ...

Ver mais

575 – As horas
575 – As horas
Quem segue o Café Brasil sabe da fascinação que temos ...

Ver mais

Café Brasil Curto 20 – Acho por acho
Café Brasil Curto 20 – Acho por acho
Não queira ser mestre sem antes ser discípulo.

Ver mais

Café Brasil Curto 19 – Mudar por discurso?
Café Brasil Curto 19 – Mudar por discurso?
Aceitemos a luz. E paremos com essa bobagem do "sempre ...

Ver mais

574 – Os agoristas
574 – Os agoristas
Café Brasil 574 - Os agoristas. Vivemos no presente, ...

Ver mais

LíderCast 077 Waldey Sanchez
LíderCast 077 Waldey Sanchez
LíderCast 077 – Waldey Sanches - Waldey Sanches é um ...

Ver mais

LíderCast 076 Raquel e Leo Spencer
LíderCast 076 Raquel e Leo Spencer
LíderCast 076 – Raquel e Leo Spencer – A Raquel e o ...

Ver mais

LíderCast 075 Renato Seraphin
LíderCast 075 Renato Seraphin
Renato Seraphin é presidente da Albaugh, uma empresa do ...

Ver mais

LíderCast 074 Camila Achutti
LíderCast 074 Camila Achutti
LíderCast 074 – Camila Achutti é uma jovem e muito bem ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

37 não é febre
Tom Coelho
Sete Vidas
“Nada mais comum do que julgar mal as coisas.” (Cícero)   “Filha, leve um agasalho, pois vai esfriar.” “Querido, lembre-se de seu guarda-chuva; parece que vai chover…” “Não vá tomar ...

Ver mais

Lições de viagem 10
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Lições de viagem 10 Itália  Penso che un sogno così non ritorni mai più mi dipingevo le mani e la faccia di blu poi d’improvviso venivo dal vento rapito e incominciavo a volare nel cielo ...

Ver mais

Gente do bem
Tom Coelho
Sete Vidas
“Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem.” (Romanos, 12:21)   Em meio ao trânsito desordenado, um motorista gentilmente cede-me passagem. Visito um ex-professor na faculdade ...

Ver mais

Homenagem aos Economistas 2017
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Homenagem aos Economistas 2017 Memoráveis citações “Quando foi criada a Faculdade de Ciências Econômicas da USP, em 1945, eu decidi fazer Economia. Fiquei muito feliz com a Economia, me ajustei ...

Ver mais

O jornal de ontem

O jornal de ontem

Luciano Pires -

Quando criança, na casa de meu avô Duarte eu invariavelmente me encontrava frente a um exemplar do jornal O Estado de São Paulo de domingo. Imenso, sem ilustrações, chatíssimo. A única coisa que me atraía era a tirinha do Reizinho.

Com o tempo fui aprendendo a apreciar aquele calhamaço, mas uma coisa sempre me incomodou. Os caras faziam um esforço tremendo para produzir aquele jornalzão que, vinte e quatro horas depois, seria o jornal de ontem. Velho, ultrapassado, sem validade, destinado a embrulhar carne ou peixe (sim, naquela época isso era normal), a ser vendido como papel velho. E todo o esforço começava outra vez, pra morrer no dia seguinte.

Quando comecei minha vida profissional essa sensação do “vale por 24 horas” me assombrava. Meu trabalho era o cartum, eu passava horas bolando a idéia e outro tanto passando para o papel. Publicava o resultado no jornal e… deu. Tinha que começar tudo de novo. Aquilo me parecia burro, um desperdício. Para mim era necessário que o esforço inicial de geração de conteúdo fosse multiplicado. O cartum não podia durar apenas 24 horas. O texto não podia “ficar velho” depois de publicado.

Um dia virei executivo do segmento de autopeças. Mesmo que minha área fosse a comunicação, os processos daquela grande indústria me rodeavam, e logo reparei que alguns conceitos seriam úteis, especialmente uma coisa que “eles” chamavam de “assets management” ou “gerenciamento de ativos”. Sendo bastante simplista, o “gerenciamento de ativos” é uma atividade que procura tirar o máximo de cada máquina, de cada processo, de cada propriedade, de cada colaborador. Ele procura eliminar as duplicidades. Por exemplo, se duas fábricas produzem um produto similar, o gerenciamento de ativos é a prática que estuda a possibilidade das duas se transformarem numa só. Assim, duas cozinhas viram uma. Duas seguranças, uma. Dois RHs, um. Dois jardineiros, um. Duas máquinas de café, uma só, etc etc etc.

Apliquei o conceito ao trabalho de gerador de conteúdo e hoje minha maquininha funciona assim: toda sexta-feira produzo um artigo como este, que é distribuído pela internet e transforma-se numa coluna em dezenas de sites, jornais e revistas. Depois ele é resumido e transformado num comentário de rádio. O mesmo artigo também é usado como roteiro do podcast Café Brasil. Eventualmente, inspira um cartum. E ainda pode gerar um bloco para palestra. No final do ano, o artigo é agrupado a outros e transforma-se num livro.

Esse é meu método, o “gerenciamento de ativos” aplicado à geração de conteúdo. Quando sento para escrever este texto, tenho em mente o artigo, o comentário de rádio, o cartum, o roteiro do programa, a palestra e o livro. E o vídeo, o CD, a camiseta, o adesivo, o programa de televisão… Tudo a partir de um pequeno artigo.

Aplicando o conceito de gerenciamento de ativos montei uma pequena linha de produção que já gerou em torno de 500 artigos, dois livros, centenas de cartuns, 200 podcasts (83 horas de programação), doze palestras e muito, muito mais.

Olhe em volta e veja quanto do trabalho que você está executando neste momento vai se transformar no jornal de ontem dentro de algumas horas. Tem que ser assim?

Meu método de gerenciar ativos reciclando, reaproveitando e adaptando, me ajudou a superar a “síndrome do jornal de ontem”.

E acabo de descobrir que o nome disso é sustentabilidade…

Luciano Pires