Artigos Café Brasil
A terceirização e os brontossauros
A terceirização e os brontossauros
A terceirização e os brontossauros. Isca intelectual de ...

Ver mais

A fábrica de conteúdo
A fábrica de conteúdo
A Confraria Café Brasil dá um passo adiante e começa a ...

Ver mais

Um jeito de ver o mundo
Um jeito de ver o mundo
Isca Intelectual de Luciano Pires que tenta explicar o ...

Ver mais

LíderCast 5
LíderCast 5
Acabamos de lançar a Temporada 5 do podcast LíderCast, ...

Ver mais

554 – Um jeito de ver o mundo
554 – Um jeito de ver o mundo
Podcast Café Brasil 554 - Um jeito de ver o mundo. ...

Ver mais

553 – Exponential Talks
553 – Exponential Talks
Podcast Café Brasil 553 - Exponential Talks - Luciano ...

Ver mais

552 – LíderCast 5
552 – LíderCast 5
Podcast Café Brasil 552 - LíderCast 5 . Este programa ...

Ver mais

999 – Hotel Califórnia
999 – Hotel Califórnia
Podcast Café Brasil - Hotel Califórnia. O programa ...

Ver mais

LíderCast 061 – Flavio Azm
LíderCast 061 – Flavio Azm
Hoje recebemos Flavio Azm que é cineasta, mas é muito ...

Ver mais

LíderCast 060 – Raiam Santos
LíderCast 060 – Raiam Santos
Hoje recebo Raiam Santos, um jovem brasileiro que não ...

Ver mais

LíderCast 059 – Geraldo Rufino
LíderCast 059 – Geraldo Rufino
Hoje recebemos Geraldo Rufino um empreendedor ...

Ver mais

LíderCast 058 – Marcelo Wajchenberg
LíderCast 058 – Marcelo Wajchenberg
Hoje recebemos Marcelo Wajchenberg, que é médico ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 07
Videocast Nakata T02 07
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 07 Se a sua ...

Ver mais

A economia do puteiro mais high-end de São Paulo
Raiam Santos
Voltei para o blog… e voltei com tudo. Vou confessar que fiquei meio bloqueado para escrever aqui no MundoRaiam por causa da repercussão do último post Por Que Eu Mudei Pra São Paulo… ...

Ver mais

6 passos para uma Liderança Transformadora
Mauro Segura
Transformação
Como ser um líder que viabiliza a transformação? Como se transformar e transformar os outros?

Ver mais

O país da trambicagem: 7 bagulhos doidos sobre a Suíça
Raiam Santos
Vim pra Suíça para completar uma missão pessoal: Conhecer pessoalmente o atual escritor best-seller e ex-maluco hippie doidão Paulo Coelho. Me amarro em escrever, já vivo disso e quero construir ...

Ver mais

Ócio improdutivo
Tom Coelho
Sete Vidas
“A preguiça anda tão devagar que a pobreza facilmente a alcança.” (Confúcio)   O Dia Nacional da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro em homenagem a Zumbi dos Palmares, morto nesta ...

Ver mais

O jornal de ontem

O jornal de ontem

Luciano Pires -

Quando criança, na casa de meu avô Duarte eu invariavelmente me encontrava frente a um exemplar do jornal O Estado de São Paulo de domingo. Imenso, sem ilustrações, chatíssimo. A única coisa que me atraía era a tirinha do Reizinho.

Com o tempo fui aprendendo a apreciar aquele calhamaço, mas uma coisa sempre me incomodou. Os caras faziam um esforço tremendo para produzir aquele jornalzão que, vinte e quatro horas depois, seria o jornal de ontem. Velho, ultrapassado, sem validade, destinado a embrulhar carne ou peixe (sim, naquela época isso era normal), a ser vendido como papel velho. E todo o esforço começava outra vez, pra morrer no dia seguinte.

Quando comecei minha vida profissional essa sensação do “vale por 24 horas” me assombrava. Meu trabalho era o cartum, eu passava horas bolando a idéia e outro tanto passando para o papel. Publicava o resultado no jornal e… deu. Tinha que começar tudo de novo. Aquilo me parecia burro, um desperdício. Para mim era necessário que o esforço inicial de geração de conteúdo fosse multiplicado. O cartum não podia durar apenas 24 horas. O texto não podia “ficar velho” depois de publicado.

Um dia virei executivo do segmento de autopeças. Mesmo que minha área fosse a comunicação, os processos daquela grande indústria me rodeavam, e logo reparei que alguns conceitos seriam úteis, especialmente uma coisa que “eles” chamavam de “assets management” ou “gerenciamento de ativos”. Sendo bastante simplista, o “gerenciamento de ativos” é uma atividade que procura tirar o máximo de cada máquina, de cada processo, de cada propriedade, de cada colaborador. Ele procura eliminar as duplicidades. Por exemplo, se duas fábricas produzem um produto similar, o gerenciamento de ativos é a prática que estuda a possibilidade das duas se transformarem numa só. Assim, duas cozinhas viram uma. Duas seguranças, uma. Dois RHs, um. Dois jardineiros, um. Duas máquinas de café, uma só, etc etc etc.

Apliquei o conceito ao trabalho de gerador de conteúdo e hoje minha maquininha funciona assim: toda sexta-feira produzo um artigo como este, que é distribuído pela internet e transforma-se numa coluna em dezenas de sites, jornais e revistas. Depois ele é resumido e transformado num comentário de rádio. O mesmo artigo também é usado como roteiro do podcast Café Brasil. Eventualmente, inspira um cartum. E ainda pode gerar um bloco para palestra. No final do ano, o artigo é agrupado a outros e transforma-se num livro.

Esse é meu método, o “gerenciamento de ativos” aplicado à geração de conteúdo. Quando sento para escrever este texto, tenho em mente o artigo, o comentário de rádio, o cartum, o roteiro do programa, a palestra e o livro. E o vídeo, o CD, a camiseta, o adesivo, o programa de televisão… Tudo a partir de um pequeno artigo.

Aplicando o conceito de gerenciamento de ativos montei uma pequena linha de produção que já gerou em torno de 500 artigos, dois livros, centenas de cartuns, 200 podcasts (83 horas de programação), doze palestras e muito, muito mais.

Olhe em volta e veja quanto do trabalho que você está executando neste momento vai se transformar no jornal de ontem dentro de algumas horas. Tem que ser assim?

Meu método de gerenciar ativos reciclando, reaproveitando e adaptando, me ajudou a superar a “síndrome do jornal de ontem”.

E acabo de descobrir que o nome disso é sustentabilidade…

Luciano Pires