Artigos Café Brasil
Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

Os Podcasts Café Brasil Musicais
Os Podcasts Café Brasil Musicais
Música é uma de nossas grandes paixões, por isso de ...

Ver mais

#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

670 – A nova Previdência
670 – A nova Previdência
No dia 12 de Junho fomos à Brasília e, no Ministério da ...

Ver mais

669 – Fora da Caixa 2
669 – Fora da Caixa 2
Você não precisa inventar a lâmpada para ser original. ...

Ver mais

668 – Fora da caixa
668 – Fora da caixa
Não é fácil hoje em dia ter uma ideia original, ...

Ver mais

667 – Ajuda, por favor
667 – Ajuda, por favor
Toda mudança implica em incomodação. Se não incomoda, ...

Ver mais

LíderCast 157 – Marcel Van Hattem
LíderCast 157 – Marcel Van Hattem
Marcel Van Hattem é um jovem Deputado Federal pelo ...

Ver mais

LíderCast 156 – Karina Oliani e Carlos Morey
LíderCast 156 – Karina Oliani e Carlos Morey
Aproveitando que o Everest está sendo discutido na ...

Ver mais

LíderCast Temporada 12
LíderCast Temporada 12
Vem aí a Temporada 12 do LíderCast, que será lançada na ...

Ver mais

LíderCast 155 – Emilio Dantas Costa
LíderCast 155 – Emilio Dantas Costa
Servidor público de carreira, que a partir das ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

TRIVIUM: CAPITULO 2 – AMBIGUIDADE DA LINGUAGEM (parte 10)
Alexandre Gomes
Já que uma PALAVRA é um SÍMBOLO, um SIGNO ARBITRÁRIO ao qual é imposto um significado por convenção, é natural que esteja sujeita (a palavra) à AMBIGUIDADE. E isso pode surgir de alguns pontos: ...

Ver mais

O salário do professor brasileiro é um dos mais baixos do mundo
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Matéria de ontem no jornal O Globo nos lembra um fato que é amplamente reconhecido: os professores brasileiros estão entre os que recebem os menores salários no mundo inteiro. Em relação aos ...

Ver mais

As cigarras, as formigas e o tal do viés ideológico
Carlos Nepomuceno
RESUMO DA LIVE: LIVE COMPLETA.

Ver mais

Komsomol brasileiro
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Um dos métodos mais eficazes para garantir a lavagem cerebral nos jovens de tenra idade (muitas vezes órfãos, vítimas da guerra ou dos pavorosos assassinatos em massa ordenados por Stalin) na ...

Ver mais

Cafezinho 188 – O coeficiente de trouxidão
Cafezinho 188 – O coeficiente de trouxidão
É seu coeficiente de trouxidão, com a suspensão ...

Ver mais

Cafezinho 187 – Quem merece seu tempo de vida
Cafezinho 187 – Quem merece seu tempo de vida
Meu tempo de vida está sendo enriquecido ou só desperdiçado?

Ver mais

Cafezinho 186 – A disciplina intelectual
Cafezinho 186 – A disciplina intelectual
Na definição dos dicionários, disciplina é o conjunto ...

Ver mais

Cafezinho 185 – O princípio Eisenhower
Cafezinho 185 – O princípio Eisenhower
Dê uma olhada nas pautas em discussão nas mídias. Veja ...

Ver mais

O Diálogo

O Diálogo

Luciano Pires -


O DIÁLOGO 



Trimmm


– Alô.


– Alô. Quem está falando?


– É o Tom.


– Ô Tom, aqui é o Zé. Que voz é essa?


– É uma gripe que me pegou… Tudo bem, Zé?


– Mais ou menos. Fazer interurbano daqui é um horror… Tem que pedir pra telefonista e ela não me entende direito. Mas deixa pra lá. Escuta, eu disse que ia dar merda, não disse?


– Como assim?


– O lance dos caras querendo tomar nossas instalações e investimentos. A gente não pode confiar nessa gentinha que fala essa língua confusa, vive de forma confusa. Tudo aqui é improvisado, pô.


– Mas ganhamos dinheiro, né? Como nunca!


– Eu sei! Mas não gosto de fazer negócio com gente assim. Ô povinho. Eu sempre tive medo que eles metessem a mão nas nossas propriedades. E até  o Chavez se meteu no negócio!


– Latinos, meu caro, latinos e vizinhos… mas quando o presidente assumiu o poder nos braços do povo, fez um monte de promessas. Havia o risco de que ele as cumprisse.


– É. Eu sei. Mas é que essa turma nunca é de cumprir as promessas…


– Risco, meu amigo, risco. Os caras têm apelo popular.


– Pode ser, mas se não fosse por nós, eles não teriam tecnologia nem recursos para explorar toda essa riqueza que eles têm no solo.


– Também acho. Nossos técnicos é que ensinaram os deles. Mas isso só nunca deu segurança para ninguém.


– E os contratos? Tem leis globais que todo mundo tem de respeitar. E eles não respeitam! Agora resolveram pegar tudo pra eles! E o monte de dinheiro que investimos lá? Vão nos ressarcir?


– Ah, eu acho que não.


– Mas tem contratos, pô!


– É. Mas a questão lá não é relacionada a negócios. É ideológica.


– Como assim?


– Os caras vão quebrar os contratos por uma questão de ideologia e não de desrespeito às leis… Eles têm que dar uma satisfação para o povo. Vêm eleições aí.


– É… O que esperar de um presidente que  fica falando bobagens por onde passa? Por onde vai fica colocando aquelas roupas ridículas.. Esta semana recebeu uns índios lá no gabinete. E se vestiu de índio!.


– Isso é típico, meu caro. E o povo adora. É um deles que está lá….


– Pois eu acho que a gente devia era jogar duro.


– Como assim?


– Ah, usar nosso poder econômico e boicotar os caras. Garanto que eles vão ficar mansinhos, mansinhos. Ou então comprar todo mundo lá. Lembra daquele ministro que era “funcionário” nosso?


– Lembro… Mas ainda acho que a maior parte da culpa é nossa.


– Nossa? Mas como?


– A gente não construiu uma rede de relacionamentos forte. Compramos. Só quisemos tirar lucro, lucro, lucro. Não devolvemos para a comunidade parte do que ganhamos com ela. Em volta das nossas instalações é um miserê só… Por isso nos odeiam.


– Como assim, odeiam? Nós somos amados! Somos o grande irmão! Somos quem mais compra deles! Sem nós eles estão quebrados!


– Não nego nossa importância econômica. Mas estamos longe de ser amados. Somos suportados. O tempo todo fomos exploradores e compramos o apoio dos políticos.  Sabíamos do risco de quebrar a cara. Por isso fizemos questão de ganhar tanto! Nenhum acionista reclamou enquanto estivemos lá… Mas fique frio. Logo as eleições passam e voltamos a ficar de bem.


– Você ta certo. Mas a gente tinha que tomar mais cuidado com essa gente. Eu por mim comprava logo a Bolívia inteira e mandava o Evo embora.


– Bolívia?… Evo?


– … É… Bolívia… Evo Morales… O gás da Petrobras.


– Bolívia? Petrobras? Mas eu to falando é do Brasil, do Lula e de nossas patentes de remédios feitos com plantas da Amazônia.


– Brasil? Amazônia? Mas quem é que está falando? Não é o Tom Henrique do Ministério, em Brasília?


– Não. Aqui é o Tom Smith, dos laboratórios Klint Health International em Miami.


– Desculpa. Foi engano..


Click.