Artigos Café Brasil
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

590 – O que aprendi com o câncer
590 – O que aprendi com o câncer
O programa de hoje é uma homenagem a uns amigos ...

Ver mais

589 – A cultura da reclamação
589 – A cultura da reclamação
Crianças mimadas, multiculturalismo, politicamente ...

Ver mais

588 – Escola Sem Partido
588 – Escola Sem Partido
Poucos temas têm despertado tantas paixões como a ...

Ver mais

587 – Podres de Mimados
587 – Podres de Mimados
Você já reparou como estão mudando os padrões morais, ...

Ver mais

LíderCast 90 – Marcelo Ortega
LíderCast 90 – Marcelo Ortega
Marcelo Ortega, palestrante na área de vendas, outro ...

Ver mais

LíderCast 89 – Bruno Teles
LíderCast 89 – Bruno Teles
Bruno Teles, um educador que sai de Sergipe para se ...

Ver mais

LíderCast 88 – Alfredo Rocha
LíderCast 88 – Alfredo Rocha
Alfredo Rocha, um dos pioneiros no segmento de ...

Ver mais

LíderCast 087 – Ricardo Camps
LíderCast 087 – Ricardo Camps
Ricardo Camps, empreendedor e fundador do Tocalivros, ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Tolerância? Jura?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Engraçada essa tal “tolerância” que pregam por aí, por dois simples motivos: 1) é de mão única e 2) pretende tolher até o pensamento do indivíduo. Exagero? Não mesmo. Antes que algum ...

Ver mais

Ensaio sobre a amizade
Tom Coelho
Sete Vidas
“A gente só conhece bem as coisas que cativou. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm ...

Ver mais

Um reino que sente orgulho de seus líderes
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Um reino que sente orgulho de seus líderes  Victoria e Abdul   Uma vez mais, num curto espaço de tempo, o cinema nos brinda com um filme baseado na história de uma destacada liderança britânica. ...

Ver mais

O que aprendi com o câncer
Mauro Segura
Transformação
Esse é o texto mais importante que escrevi na vida. Na ponta da caneta havia um coração batendo forte. Todo o resto perto a importância perto do que vivemos ao longo desse ano.

Ver mais

Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Tem gente que, em vez de planos, só tem esperança.

Ver mais

Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Não dá para ganhar um jogo sem acreditar no time.

Ver mais

Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
O culto do sentimento destrói a capacidade de pensar e ...

Ver mais

Cafezinho 24 – Não brinco mais
Cafezinho 24 – Não brinco mais
Pensei em não assistir mais, até perceber que só quem ...

Ver mais

O Chato Do Chato

O Chato Do Chato

Luciano Pires -


O CHATO DO CHATO


A última coisa que fiz em 2006 foi participar de uma reunião. Daquelas em que você olha para os lados e não vê vida inteligente. Em que você se pega pensando “o que é que eu estou fazendo aqui?”. A reunião durou quatro – eu disse quatro – horas… Era mais uma das mesmas, velhas e cansativas reuniões, conversando com as mesmas velhas e cansadas pessoas sobre as mesmas velhas e cansadas coisas. Novidade? Só quando o Mané derrubou a xícara de café no colo da Miriam. E provavelmente começarei o ano com outra dessas reuniões que saem de lugar nenhum para chegar a nenhum lugar. Conduzindo, alguém que faz pose enquanto não sabe aonde quer chegar. E essas reuniões têm sempre os mesmos personagens, já reparou? Tem uma que concorda com tudo. Tem outro que dorme de olho aberto. Uma outra, quando abre a boca, é um horror de ignorância. Um ali fingindo que anota tudo e que vai fazer acontecer. Aquele ali traz de volta tudo que já tinha sido discutido na reunião anterior. O outro abriu o laptop e está respondendo o mail de sacanagem que recebeu. E aí você se desespera e pensa num jeito de instalar um pouco de desequilíbrio criativo, aquele momento de caos, de quebra de regras, do inusitado, quando a inteligência aparece. Mas, oh! Ninguém quer desequilíbrio! As pessoas querem segurança. Mesmo que tenham de ser chatas, assumindo discursos padronizados e “buscando atender às expectativas dos clientes”, não é?
Pois fazer exatamente aquilo que se espera da gente, é ser previsível! Chato!
É por isso que a reunião se torna insuportável: todos são previsíveis, atendendo às expectativas que se tem com relação a eles. Sem sensibilidade, garra, coração, alma e tesão…Sem entusiasmo. Gente que finge.

Chatos!

E quando os chatos se reúnem, criam um estado de idiotização constante, repleto de rituais e de hipocrisia… Chatos unidos transformam estupidez em religião.
Para escapar, só mudando para um estado de atenção constante, quando fica claro que uma reunião como aquela não funciona. Um papo como aquele é furado. Pessoas como aquelas estão desperdiçando minutos preciosos de suas vidas, sendo… Previsíveis! E é só dar uma olhada em volta: somos dominados por chatos. Fala a verdade, o Lula não é um chato? E o Faustão? Luxemburgo é chato. Aldo Rebelo é chato. O astronauta brasileiro é chato. Galvão Bueno é chato. Ideli Salvati é chata. FHC é chato. O baixinho da Kaiser é um chato. Geraldo Alckmin é chato. Jô Soares é chato. O padre Marcelo Rossi é chato. Aquele pastor cujo nome não me lembro é um chato! A Praça é Nossa está cheia de chatos. Complete e lista com os outros chatos que você conhece! Ah, ficou tentado a me escrever dizendo que eu sou chato? Como você é chato! Chatos, chatos e mais chatos… Que poderiam ser muito interessantes se lutassem pelo desequilíbrio criativo. Mas é difícil. O desequilíbrio criativo exige um grau mínimo de inteligência e máximo de provocação, de inusitado, de desconhecido, de curiosidade. E acima de tudo, exige coragem, pois aquele que brigar pelo desequilíbrio criativo será considerado pelos chatos um alienígena. Alguém fora da realidade. Um indisciplinado. Aquele que manifestar sua indignação, não aceitar as regras envelhecidas, contestar a babaquice explícita e expuser suas idéias será considerado pelos chatos, um… chato.
Pois quer saber?

Meus votos para 2007 são que você se torne o chato do chato.

Feliz ano novo. Felizmente 2006 acabou. Ô ano chato…