Artigos Café Brasil
#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Visualizando as estruturas do discurso do Portal Café Brasil
Se você se aproximar do Café Brasil, prepare-se para ...

Ver mais

Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Café Brasil Premium – Retrospectiva 2018
Ao longo de 2018 o Café Brasil Premium decolou e ...

Ver mais

#Retrospectiva PodSumários
#Retrospectiva PodSumários
Comece 2019 praticando o Fitness Intelectual. A barriga ...

Ver mais

657 – Brumadinho e a Challenger
657 – Brumadinho e a Challenger
A tragédia da explosão da Challenger em 1986 marcou ...

Ver mais

656 – Rua Ramalhete
656 – Rua Ramalhete
Este programa é uma homenagem ao Tavito, que faleceu em ...

Ver mais

655 – É carnaval
655 – É carnaval
Tem gente boa, muito boa, fazendo a legítima música de ...

Ver mais

654 – Sarau Café Brasil III
654 – Sarau Café Brasil III
Realizamos mais uma edição do Café Brasil Premium, ...

Ver mais

LíderCast 145 – Ana Paula Andrade
LíderCast 145 – Ana Paula Andrade
CEO de uma multinacional de trademarketing, a Marco ...

Ver mais

LíderCast 144 – Daniel Arcoverde e Rafael Belmonte
LíderCast 144 – Daniel Arcoverde e Rafael Belmonte
Os jovens empreendedores que criaram a netshow.me, uma ...

Ver mais

LìderCast 143 – Doug Alvoroçado
LìderCast 143 – Doug Alvoroçado
Esse alvoroçado não é nome não, é adjetivo. Um ...

Ver mais

LíderCast 142 – Marcelo Pimenta
LíderCast 142 – Marcelo Pimenta
O Menta é um facilitador da inovação, um inquieto ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Uma certa ideia de Brasil
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Uma certa ideia de Brasil Excelente retrospectiva de 2003 a 2018 “Precisamos ter uma ideia de como nos vemos como país, de nosso passado, nosso presente e nosso futuro.” Pedro Malan Este não é, ...

Ver mais

CAPÍTULO 2 – LINGUAGEM E SEUS SÍMBOLOS (parte 4)
Alexandre Gomes
O caminho até agora está ficando longo, não é? Por mais que eu use exemplos próximos da realidade; ainda assim, eu e você estamos buscando entender conceitos abstratos. Afinal, estamos falando ...

Ver mais

Só envelhece quem perde a curiosidade
Henrique Szklo
O mundo está muito óbvio. As coisas têm sido analisadas pelos pontos de vista mais superficiais e, em geral, equivocados. Julga-se por aparência, por condição financeira, por orientação sexual, ...

Ver mais

Defendam Douglas também
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Não conhece Douglas Leandro Clizesqui? Sem problemas. Ninguém conhece. Ele é pai de Douglas Murilo, uma das oito vítimas fatais no massacre da escola estadual em Suzano; o caso todos conhecem. ...

Ver mais

Cafezinho 161 – A prisão do ex-presidente
Cafezinho 161 – A prisão do ex-presidente
Embora pareça que tudo está dentro da esfera criminal, ...

Ver mais

Cafezinho 160 – Os cinco estágios
Cafezinho 160 – Os cinco estágios
Ajudando a compreender o cenário político brasileiro.

Ver mais

Cafezinho 159 – O bobo da corte
Cafezinho 159 – O bobo da corte
O palhaço, o bobo, o gozador, é o único a perceber a ...

Ver mais

Cafezinho 158 – O tempo que lhe resta
Cafezinho 158 – O tempo que lhe resta
Dê o primeiro passo para fazer com que o tempo de vida ...

Ver mais

O Champinha

O Champinha

Luciano Pires -

O CHAMPINHA


Champinha é o apelido de Roberto Aparecido Alves Cardoso, que em meados de 2005 chocou o Brasil ao liderar o assassinato do casal de namorados Liana e Felipe, que acampavam na região do Embu, em São Paulo. A descrição da tortura e do assassinato de Liana é uma das peças mais aterradoras que já li. Felipe foi morto às 8h de um domingo. Liana foi degolada na quarta-feira, às 3h. Preso, Champinha confessou os crimes e afirmou, sem remorso: “Matei porque senti vontade de matar.” Pobre e filho de pai alcoólatra, Champinha estudou até a terceira série do ensino básico. Aos 14 anos, principalmente pela falta de medicamentos, começou a sofrer convulsões. E saiu de casa, passando a viver nas ruas de Embu-Guaçu, prestando serviços a quadrilhas especializadas no desmanche de automóveis roubados. Sempre com um facão na cintura, transmitia medo aos vizinhos. Aterrorizava as vítimas fazendo roleta-russa: apontava a arma contra a cabeça da pessoa, girava o tambor com apenas uma bala e apertava o gatilho. Chegou a cortar parte do dedo de um comerciante que se recusou a entregar dinheiro durante um assalto. Também é acusado de ter matado um caseiro antes do assassinato de Liana e Felipe.
Champinha tinha 16 anos quando praticou a barbaridade contra o casal de namorados. Foi preso e recolhido à Febem onde se submeteu a uma bateria de exames psicológicos que determinariam seu destino. O psiquiatra forense Bruno Montari Ramos emitiu o primeiro laudo. Lê-lo é também um exercício aterrador, que demonstra como a frieza do técnico transforma um fato absurdo numa planilha insensível. Bruno Ramos escreveu que: “Se ele vive com pessoas bêbadas, vai virar um bêbado. Mas, se for para um mosteiro, será um monge”.”… ele é treinável e educável. Mas é capaz de chegar, no máximo, até a terceira série do Ensino Fundamental”. “A moça foi assassinada no primeiro golpe, que atingiu a jugular. Pelos testes, ele deu as demais facadas porque ficou inseguro, queria ter certeza que ela estava morta. Não estava dando as facadas por prazer, mas por dúvida”. A conclusão de que Champinha é “treinável e educável” e sentiria culpa pelo crime praticamente elimina a chance de mantê-lo longe do convívio social. Ele tem que ficar em liberdade…
Esse laudo deixou indignado outro psiquiatra forense, Guido Palomba, que concluiu que Champinha sofre de encefalopatia, apresentando diminuição da inteligência, o chamado retardo mental, distúrbios de comportamento, e sintomas e sinais ligados a epilepsia.
Segundo ele, é provável que essa patologia tenha origem em partos difíceis, quando há falta de oxigênio no cérebro. Guido afirma que Champinha é uma pessoa perigosa, provavelmente irrecuperável, porque apresenta uma deformidade orgânica e, por isso, não pode voltar a conviver em sociedade. Por conta da polêmica, o Conselho Regional de Medicina abriu uma sindicância. O caso está na Câmara Técnica de Psiquiatria Forense e ainda não tem conclusão. E em 9 de dezembro de 2006, ao completar 18 anos, Champinha pode voltar às ruas. Com a ficha limpa.
Pô, não parecem engenheiros discutindo cálculo estrutural? Ou economistas debatendo a melhor forma de calcular a inflação? Ou padeiros tratando da melhor receita para fazer pão?
Não entendo nada de psicologia, gostaria sinceramente de receber emails de conhecedores do assunto comentando essa situação. Por enquanto, o que fiz foi conversar com outras pessoas sobre o tema. Falei com o vigilante de um estacionamento, o Zé. Ele disse que o que tem é medo.
Perguntei se era medo por saber que a burocracia e a tecnicidade estão decidindo o futuro de um assassino. Ele disse que não.
Perguntei se era medo de que a justiça estivesse amarrada. Ele disse que não.
Perguntei se era medo de que o crime estivesse tomando conta da sociedade. Ele disse que não.
– Medo de quê então, Zé?
– Tenho medo de encontrar com ele.