Artigos Café Brasil
Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

O impacto das mídias sociais nas eleições
O impacto das mídias sociais nas eleições
Baixe a pesquisa da IdeiaBigdata que mostra o impacto ...

Ver mais

631 – O valor de seu voto – Revisitado
631 – O valor de seu voto – Revisitado
Mais discussão de ano de eleição: afinal o que é o ...

Ver mais

630 – Outra Guerreira – Simone Mozilli
630 – Outra Guerreira – Simone Mozilli
Este é outro Café Brasil que reproduz na íntegra um ...

Ver mais

629 – Gramsci e os Cadernos do Cárcere
629 – Gramsci e os Cadernos do Cárcere
Essa aparente doideira que aí está não é doideira. É ...

Ver mais

628 – O olhar de pânico
628 – O olhar de pânico
Aí você para, cansado, desmotivado, olha em volta e se ...

Ver mais

LíderCast 125 – João Amoêdo
LíderCast 125 – João Amoêdo
Decidimos antecipar o LíderCast com o João Amoêdo ...

Ver mais

LíderCast 124 – Sidnei Alcântara Oliveira
LíderCast 124 – Sidnei Alcântara Oliveira
Segunda participação no LíderCast, com uma história que ...

Ver mais

LíderCast 123 – Augusto Pinto
LíderCast 123 – Augusto Pinto
Empreendedor com uma história sensacional de quem ...

Ver mais

LíderCast 122 – Simone Mozzilli
LíderCast 122 – Simone Mozzilli
Uma empreendedora da área de comunicação, que descobre ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Júlio de Mesquita Filho e a contrarrevolução cultural
Jota Fagner
Origens do Brasil
A ideia de concentração hegemônica não é exclusividade de Gramsci, outros autores de diferentes espectros ideológicos propuseram caminhos parecidos. Júlio de Mesquita Filho é um deles É preciso ...

Ver mais

Imagine uma facada diferente
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Imagine Fernando Haddad sendo vítima de uma tentativa de assassinato. Por um ex-militante do DEM ou do PSL, no mesmo dia em que Bolsonaro quase morreu pelas mãos de um ex-PSOL. Primeiramente, os ...

Ver mais

Uma discussão sobre inteligência artificial na educação
Mauro Segura
Transformação
Uma discussão sobre os benefícios que as novas tecnologias podem trazer para a educação brasileira. Mas será que estamos preparados para isso?

Ver mais

A burocracia e a Ignorância Artificial
Henrique Szklo
O Estado brasileiro, desde 1500, tem se esmerado em atravancar qualquer mecanismo da administração pública com um emaranhado de processos burocráticos de alta complexidade, difícil interpretação ...

Ver mais

Cafezinho 108 – O Ismo Quântico
Cafezinho 108 – O Ismo Quântico
O Ismo Quântico é o fenômeno que acontece quando o ...

Ver mais

Cafezinho 107 – O voto proporcional
Cafezinho 107 – O voto proporcional
Seu voto, antes de ir para um candidato, vai para um ...

Ver mais

Cafezinho 106 – Sobre fake news
Cafezinho 106 – Sobre fake news
Fake News são como ervas daninhas, não se combate ...

Ver mais

Cafezinho 105 – Quem categoriza?
Cafezinho 105 – Quem categoriza?
Quem define e categoriza o que será medido pode ...

Ver mais

O Balonista

O Balonista

Luciano Pires -

Ele nasceu numa pequena cidade, era inteligente e articulado. Um dia, já maduro, decidiu colocar em prática um sonho: subiria aos céus num tipo de balão e ao sabor dos ventos faria uma viagem inédita, como nunca antes havia sido feita. Muitos acharam que havia perigo, que a aeronave não era segura, que não havia condições de dirigibilidade e que as conseqüências podiam ser ruins. Mas ele tinha fé em sua competência para lidar com o imprevisto. Quando confrontado com argumentos contrários, respondia com a certeza dos obcecados. Algumas experiências prévias com balões deram-lhe ainda mais certeza de que seu sonho era viável. Levantou os recursos com gente que nele acreditou e construiu o balão conforme suas necessidades. Quando entrou na aeronave foi saudado por uma multidão que torcia por ele. E acenando entusiasmado subiu em direção ao céu. Para nunca mais ser visto. Muitas buscas foram feitas, sem sucesso. O balonista sonhador desapareceu com o vento…


Estou falando do padre Adelir Antônio de Carli que na manhã do dia 20 de abril de 2008 partiu de Paranaguá, no Paraná, a bordo de uma espécie de balão feito de centenas de balões de festa gigantes, não é? O padre desapareceu algumas horas depois sobre o oceano no litoral de Santa Catarina e ninguém mais soube dele. Esta história podia ser sobre o padre sim, mas é a de Salomon August Andrée, um engenheiro e aeronauta sueco que no dia 11 de julho de 1897, com dois companheiros, decolou de uma ilha no círculo polar para cruzar o Ártico num balão que batizou como “Águia”. Andrée desenvolveu um sistema rudimentar de dirigibilidade por meio de cordas que, tocando o solo, fariam com que o balão corrigisse a rota conforme necessário. Seu plano era frágil, repleto de falhas, mas quem o confrontou foi repelido pela teimosia do aventureiro.
O “Águia” voou até que, após dois dias e 475 quilômetros, vazamentos de hidrogênio provocaram um pouso em meio à desolação do gelo ártico. Mal equipados para caminhar no gelo e alimentando-se basicamente de ursos polares abatidos a tiros, os três exploradores chegaram quatro meses depois à ilha de Kvitoya onde morreram nas semanas seguintes. Seus corpos foram encontrados trinta e três anos depois.


Andrée e o padre Adelir eram loucos, irresponsáveis, megalomaníacos ou simplesmente teimosos? Talvez tenham sido presas de seu próprio sucesso. Tiveram um sonho, contaram para o mundo, conseguiram os recursos, a mídia deu-lhes destaque e eles não tiveram outra opção a não ser ir em frente. Admitir que pudessem estar errados não fazia parte de seus repertórios. Deu no que deu.
No entanto, não há como negar que ambos eram corajosos. E aqui cabe a pergunta: o que é coragem? É ausência de medo? Não. Ausência de medo é estupidez. Coragem é a capacidade de agir apesar do medo. Vem da segurança que temos quando sabemos do que estamos falando. As melhores e mais importantes  decisões de minha vida eu tomei com o estômago gelado. Essa sensação, misto de medo com ansiedade, indicava que eu estava no limite e que assim saía do “normal”, fazendo a diferença.
Usei o medo a meu favor.


Pois bem. No próximo dia 20 de Junho é minha vez. Embarco para a Rússia onde, a bordo de um quebra-gelos nuclear do exército russo, farei minha viagem para o Pólo Norte. Diferente do padre e de Andrée, cerquei-me de todas as garantias. Existem riscos? Sempre. Mas a vida me ensinou a diferenciar coragem de estupidez. Por isso, vou pro meu Pólo Norte. Com o estômago gelado. Que Delícia!
 
Volto dia 8 de julho com histórias pra contar.