Artigos Café Brasil
Como decidi em quem votarei para Presidente
Como decidi em quem votarei para Presidente
Não sei se estou certo, não fui pela emoção, não estou ...

Ver mais

Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

635 – De onde surgiu Bolsonaro?
635 – De onde surgiu Bolsonaro?
O pau tá quebrando, a eleição ainda indefinida e nunca ...

Ver mais

634 – Me chama de corrupto, porra!
634 – Me chama de corrupto, porra!
Cara, que doideira é essa onda Bolsonaro que, se você ...

Ver mais

633 – Ballascast
633 – Ballascast
O Marcio Ballas, que é palhaço profissional, me ...

Ver mais

632 – A era da inveja
632 – A era da inveja
Uma pesquisa de 2016 sobre comportamento humano mostrou ...

Ver mais

LíderCast 128 – Leide Jacob
LíderCast 128 – Leide Jacob
Empreendedora cultural e agora cineasta, que ...

Ver mais

LíderCast 127 – Lito Rodriguez
LíderCast 127 – Lito Rodriguez
Empreendedor, criador da DryWash, outro daqueles ...

Ver mais

LíderCast 126 – Alexis Fonteyne
LíderCast 126 – Alexis Fonteyne
Empresário criativo e agora candidato a Deputado ...

Ver mais

LíderCast 125 – João Amoêdo
LíderCast 125 – João Amoêdo
Decidimos antecipar o LíderCast com o João Amoêdo ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Marxistas brasileiros vivem espécie de alucinação coletiva recorrente
Carlos Nepomuceno
O jornal Folha de São Paulo publica um artigo feita por uma petista confessa: Ver aqui: https://www.facebook.com/carlos.nepomuceno/posts/10156853246303631 …sem nenhum fato, baseado em ...

Ver mais

Sempre, sempre Godwin
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
O advogado Mike Godwin criou em 1990 a seguinte “lei” das analogias nazistas: “À medida que uma discussão online se alonga, a probabilidade de surgir uma comparação envolvendo Adolf Hitler ou os ...

Ver mais

É mais fácil seguir o grupo
Jota Fagner
Origens do Brasil
Existe uma crença muito difundida de que a história humana avança em etapas gradativas e que culminará numa revolução transformadora. O tipo de revolução muda conforme o viés ideológico. A ...

Ver mais

Bolsonaro e Transformação Digital
Carlos Nepomuceno
Vivemos o início de Revolução Civilizacional na qual ao se plantar um "pé de cooperativa de táxi" por mais que se tome litros de Design Thinking não nasce nunca um Uber.

Ver mais

Cafezinho 116 – Os demônios brochadores
Cafezinho 116 – Os demônios brochadores
O que vem por aí? Uma mudança ou nova brochada?

Ver mais

Cafezinho 115 – Um voto não vale uma amizade
Cafezinho 115 – Um voto não vale uma amizade
Não gaste sua energia e seu tempo precioso de vida ...

Ver mais

Cafezinho 114 – E se?
Cafezinho 114 – E se?
Mudanças só acontecem quando a crise que sofremos for ...

Ver mais

Cafezinho 113 – Merdades e Ventiras
Cafezinho 113 – Merdades e Ventiras
Conte até dez antes de compartilhar uma merdade

Ver mais

O babaca

O babaca

Luciano Pires -

“Seu podcast fede a auto-ajuda, deixo-nos nos com a nossa melancolia e pena de nós mesmos seu babaca que fica dando lição de moral.” Este é o comentário, reproduzido exatamente da forma como foi escrito, que um certo Lucas Vilanova, que não sei quem é, publicou na área de comentários do Podcast Café Brasil.

Como sempre faço, examinei detidamente a crítica à procura de algo que me ajudasse a melhorar o Podcast. Não achei nada que prestasse. E o sujeito voltou à carga em outro Podcast. Apaguei e bloqueei. Não valia a pena gastar meu tempo com ele.

No dia seguinte (na verdade, minutos atrás), terminei uma palestra num grande evento em São Paulo. Palestra de 20 minutos, em condições técnicas complicadas, que me deixou bastante frustrado. Mas encontrei no evento uns cinco assinantes do Café Brasil que me rodearam e ficaram conversando, o que melhorou meu astral. Boto a mochila nas costas e vou saindo, quando sou interceptado por uma garota:

– Luciano Pires?

– Sim.

– Preciso falar uma coisa pra você.

O nome dela é Lisiane e, entre embargos na voz e soluços, começou a me contar que cerca de 12 anos atrás chegou em São Paulo, vinda do Maranhão, junto com a mãe. As duas arrumam emprego como empregadas domésticas num casarão em Arujá, na grande São Paulo. Ela conta que o salário era uma miséria, mas que para ela representava tudo. Guardava todo o salário e pela manhã ouvia o Primeiro Programa, na rádio Nova Brasil, do qual eu era colunista. Ela conta que adorava meus comentários e que acabou comprando meu livro Brasileiros Pocotó quando do lançamento em 2004. E o livro e os comentários abriram sua cabeça. Ela passou a usar quase todo o salário para pagar a mensalidade de um curso de administração de empresas numa faculdade em Guarulhos. Impressionado com sua força de vontade, o patrão convidou-a a trabalhar na empresa dele, uma confecção, onde ela fazia de tudo um pouco. E assim foi indo. Fez um MBA em Finanças e agora acabara de abrir sua própria empresa.

– Eu tinha que te dizer isso!

Com os olhos marejados e a voz falhando, Lisiane me agradecia pelo bem que fiz à ela, pela motivação e inspiração para sua história de vida.

Dei-lhe um longo e apertado abraço, emocionado, e quase sem poder dizer alguma coisa, a não ser “parabéns”.

A esta altura meu amigo Murilo Gun havia se aproximado e, fascinado, com história, entrevistou-a. Enquanto isso eu me lembrava do comentário do Lucas Vilanova, me chamando de babaca e dizendo que meu programa “fede a auto-ajuda”.

Fui pegar meu carro e permaneci dentro dele por alguns minutos, com os olhos cheios d’água e um nó na garganta, ainda emocionado pela Lisiane.

Qual tipo de reação você acha que levo em consideração para orientar meu trabalho? A da Lisiane ou a do Lucas?

Quanto vale aquele momento com a Lisiane? E aquele com os cinco assinantes do Podcast que me rodearam?

Pois é. Liguei o som do carro e botei pra tocar um CD de Raul Seixas. E ele mandou, na letra de No Fundo do Quintal da Escola:

Não sei onde eu to indo
Mas sei que eu to no meu caminho
Enquanto você me critica, eu to no meu caminho.

Ganhei o dia.

 

liziane