Artigos Café Brasil
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
Síntese de indicadores sociais 2016 do IBGE
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - ...

Ver mais

Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

610 – Abre-te Sésamo
610 – Abre-te Sésamo
Abre-te Sésamo é a frase mágica do conto de Ali-Babá e ...

Ver mais

609 – As leis
609 – As leis
No Fórum da Liberdade que aconteceu em abril de 2018 em ...

Ver mais

608 – As 12 Regras
608 – As 12 Regras
Jordan Peterson é psicólogo clínico, crítico cultural e ...

Ver mais

607 – Uma Guerreira
607 – Uma Guerreira
Este programa reproduz na íntegra o LíderCast 100, pois ...

Ver mais

LíderCast 105 – Jeison Arenhardt
LíderCast 105 – Jeison Arenhardt
LíderCast 105 - Hoje conversamos com Jeison Arenhardt, ...

Ver mais

LíderCast 104 – Odayr Baptista
LíderCast 104 – Odayr Baptista
LíderCast 104 - Hoje conversamos com Odayr Baptista, ...

Ver mais

LíderCast 103 – Ivan Witt
LíderCast 103 – Ivan Witt
Hoje conversamos com Ivan Witt, um executivo brasileiro ...

Ver mais

LíderCast 102 – Paulo Cruz
LíderCast 102 – Paulo Cruz
Com Paulo Cruz, professor, pensador, voz dissonante da ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Sensações estranhas no trabalho
Mauro Segura
Transformação
Ironicamente, quanto mais experiência profissional eu acumulo, mais incertezas aparecem. Está difícil em lidar com algumas coisas na minha cabeça.

Ver mais

O Ibope e a caricatura do conservadorismo
Bruno Garschagen
Ciência Política
Essa pesquisa que mede o grau de conservadorismo da sociedade brasileira é das coisas mais estúpidas que o Ibope já fez.

Ver mais

A nova onda
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
A vitrine acima é um quadro de uma animação de Mauricio Ricardo em https://www.youtube.com/watch?v=j7GJT3jALx4 A moda agora é “ter lado” sobre o vídeo de Gleisi Hoffman – que só é senadora ...

Ver mais

A Copa do Mundo Socioeconômica
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A Copa do Mundo Socioeconômica[1] Considerações preliminares No próximo dia 14 de junho terá início a 21ª edição da Copa do Mundo da FIFA (Fedération Internationale de Football Association), um ...

Ver mais

Cafezinho 65 – A burrice
Cafezinho 65 – A burrice
Qualquer semelhança com gente que você conhece é pura ...

Ver mais

Cafezinho 64 – Outra piada
Cafezinho 64 – Outra piada
O caso do triplex no Guarujá começou em setembro de ...

Ver mais

Cafezinho 63 – Sai fora
Cafezinho 63 – Sai fora
As pessoas com as quais você anda, as fontes das quais ...

Ver mais

Cafezinho 62 – Dona Terezinha
Cafezinho 62 – Dona Terezinha
Aos domingos à tarde, a companhia da dona Terezinha de ...

Ver mais

Nossas Ondas

Nossas Ondas

Luciano Pires -

NOSSAS ONDAS

 


Recentemente li sobre os problemas que a Rádio e TV Cultura vinha passando para manter-se. Faltava dinheiro, as produções eram canceladas, muita transmissão de reprises e uma falta de perspectiva brutal diante da escassez de recursos. A maior parte da verba que mantém a RTV Cultura vem do Estado de São Paulo. E na hora do aperto, adivinha onde é o corte…


Parece que TV Cultura saiu do fundo do poço, mas está longe de ser um projeto sustentável. Não tem recursos para produzir programas com a qualidade necessária para transmitir cultura com entretenimento. A TV Cultura, assim como a Educativa e outras rádios e tvs que atuam de forma semelhante, é voltada para uma programação com conteúdo educacional e cultural. Algo que deveria ser imprescindível para um país que ainda não percebeu que sua maior fome é de educação e cultura.


No entanto, patrocinadores preferem colocar dinheiro nos programas que “dão retorno” de audiência. Dinheiro para aquele projeto dos sonhos de Paulo Autran não existe. Mas para o programa de pegadinhas, tem.


Pois sabe de uma coisa? Vou lançar o Projeto Nossas Ondas, que é tão óbvio que já deve existir escondido em algum lugar.


Veja só: TVs e rádios são concessões. Alguém obtém (não me pergunte como) uma concessão do governo para operar em determinada freqüência, produz conteúdo e bota a programação no ar, por ondas eletromagnéticas. Portanto, o dono da emissora é o Zé ou a Maria, mas o dono do espaço, da aerovia por onde transitam as ondas, é o povo. Eu e você. E o Zé e a Maria botam qualquer porcaria no nosso ar, sem pagar por isso!


Pô, eu pago pedágio para trafegar por nossas rodovias. As emissoras deviam pagar pedágio para trafegar por nossas aerovias. Aquelas ondas são nossas!


Taí o Projeto Nossas Ondas: toda emissora comercial deveria pagar um aluguel pela aerovia, sob a forma de um percentual de seu faturamento. E esse dinheiro deveria sustentar as TVs e rádios Cultura do Brasil.


Já pensou? A grana gerada pelo Pocotó servindo para criar um programa para despocotizar? Aquelas pegadinhas imbecis gerando recursos para o “Provocações” do Abujamra? O programa policial grotesco possibilitando um programa sobre saúde? O musical idiota levantando grana para um festival de MPBV – Música Popular Brasileira de Verdade? A novela vazia rendendo um programa sobre livros? O programinha dos sertanejos levantando dinheiro para outro “Castelo Rá-Tim-Bum?” Aquele berreiro insuportável das FMs com enlatados estrangeiros, gerando tutu para um programa que recupere os arquivos da MPB encostados nas rádios?


Já pensou? Dos limões, limonadas?


Vixe. Os Zés e Marias ficarão de cabelos em pé com esta proposta.


Não deveriam.


Só estou fazendo onda.


Mas o que será preciso pra aprovar uma lei assim?