Artigos Café Brasil
Como decidi em quem votarei para Presidente
Como decidi em quem votarei para Presidente
Não sei se estou certo, não fui pela emoção, não estou ...

Ver mais

Democracia, Tolerância e Censura
Democracia, Tolerância e Censura
O que distingue uma democracia de uma ditadura é a ...

Ver mais

O dia seguinte
O dia seguinte
Com o aumento considerável do mercado de palestrantes ...

Ver mais

Fact Check? Procure o viés.
Fact Check? Procure o viés.
Investigar o que é verdade e o que é mentira - com base ...

Ver mais

635 – De onde surgiu Bolsonaro?
635 – De onde surgiu Bolsonaro?
O pau tá quebrando, a eleição ainda indefinida e nunca ...

Ver mais

634 – Me chama de corrupto, porra!
634 – Me chama de corrupto, porra!
Cara, que doideira é essa onda Bolsonaro que, se você ...

Ver mais

633 – Ballascast
633 – Ballascast
O Marcio Ballas, que é palhaço profissional, me ...

Ver mais

632 – A era da inveja
632 – A era da inveja
Uma pesquisa de 2016 sobre comportamento humano mostrou ...

Ver mais

LíderCast 128 – Leide Jacob
LíderCast 128 – Leide Jacob
Empreendedora cultural e agora cineasta, que ...

Ver mais

LíderCast 127 – Lito Rodriguez
LíderCast 127 – Lito Rodriguez
Empreendedor, criador da DryWash, outro daqueles ...

Ver mais

LíderCast 126 – Alexis Fonteyne
LíderCast 126 – Alexis Fonteyne
Empresário criativo e agora candidato a Deputado ...

Ver mais

LíderCast 125 – João Amoêdo
LíderCast 125 – João Amoêdo
Decidimos antecipar o LíderCast com o João Amoêdo ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Marxistas brasileiros vivem espécie de alucinação coletiva recorrente
Carlos Nepomuceno
O jornal Folha de São Paulo publica um artigo feita por uma petista confessa: Ver aqui: https://www.facebook.com/carlos.nepomuceno/posts/10156853246303631 …sem nenhum fato, baseado em ...

Ver mais

Sempre, sempre Godwin
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
O advogado Mike Godwin criou em 1990 a seguinte “lei” das analogias nazistas: “À medida que uma discussão online se alonga, a probabilidade de surgir uma comparação envolvendo Adolf Hitler ou os ...

Ver mais

É mais fácil seguir o grupo
Jota Fagner
Origens do Brasil
Existe uma crença muito difundida de que a história humana avança em etapas gradativas e que culminará numa revolução transformadora. O tipo de revolução muda conforme o viés ideológico. A ...

Ver mais

Bolsonaro e Transformação Digital
Carlos Nepomuceno
Vivemos o início de Revolução Civilizacional na qual ao se plantar um "pé de cooperativa de táxi" por mais que se tome litros de Design Thinking não nasce nunca um Uber.

Ver mais

Cafezinho 116 – Os demônios brochadores
Cafezinho 116 – Os demônios brochadores
O que vem por aí? Uma mudança ou nova brochada?

Ver mais

Cafezinho 115 – Um voto não vale uma amizade
Cafezinho 115 – Um voto não vale uma amizade
Não gaste sua energia e seu tempo precioso de vida ...

Ver mais

Cafezinho 114 – E se?
Cafezinho 114 – E se?
Mudanças só acontecem quando a crise que sofremos for ...

Ver mais

Cafezinho 113 – Merdades e Ventiras
Cafezinho 113 – Merdades e Ventiras
Conte até dez antes de compartilhar uma merdade

Ver mais

Neocid

Neocid

Luciano Pires -

Esta semana fiz aniversário e publiquei no Facebook uma foto minha aos seis anos de idade. O ano era 1962, ainda havia no Brasil um problema sério com piolhos e era comum que as mães cortassem o cabelo das crianças num penteado que, lá em Bauru, a gente chamava de “bodinho”. Veja como era na foto que ilustra este post: toda a cabeça raspada, exceto a parte frontal.

Piolho é um inseto parasita, uma praga que ainda existe. Em 1962, para acabar com piolhos era preciso lavar com vinagre, passar pente fino ou raspar a cabeça. Ou usar inseticidas! Quem lembra da latinha de Neocid que fascinava as crianças por causa do barulhinho que fazia quando apertávamos a tampa? Pois é, o Neocid era um inseticida à base de organofosforados, grupo de compostos químicos utilizados em agropecuária como inseticidas, ocasionando intoxicações acidentais em animais e humanos e sendo utilizados até em tentativas de suicídio. Insuficiência cardio-respiratória por comprometimento do sistema nervoso autônomo pela degeneração de células musculares é uma das consequências daquele Neocid, que hoje já usa outra fórmula.

Você consegue imaginar uma mãe passando inseticida na cabeça do filho?

Pois é.

O corte “bodinho” ficou famoso na Copa do Mundo de 2002, quando Ronaldo Fenômeno o usou para desviar a atenção da imprensa dos problemas físicos contra os quais ele lutava. Os piolhos do Ronaldo eram os jornalistas.

Poucos dias atrás, Alberto Cantalice, vice presidente do PT, assim como Ronaldo, também resolveu combater seus piolhos. Mas o fez publicando um artigo no site do partido, listando nomes de nove personalidades do jornalismo ou da mídia: “Profetas do apocalipse político eles são contra as cotas sociais e raciais; as reservas de vagas para negros nos serviços públicos; as demarcações de terras indígenas; o Bolsa Família, o Prouni e tudo o mais. Divulgadores de uma democracia sem povo apontaram suas armas agora contra o decreto da presidência da república que amplia a interlocução e a participação da população nos conselhos para melhor direcionamento das políticas públicas.(…) suas pregações nas páginas dos veículos conservadores estimulam setores reacionários e exclusivistas da sociedade brasileira a maldizer os pobres e sua presença cada vez maior, nos aeroportos, nos shoppings e nos restaurantes. Seus paroxismos odientos revelaram-se com maior clarividência na Copa do Mundo.”

Os nove são Reinaldo Azevedo, Arnaldo Jabor, Augusto Nunes, Demétrio Magnoli, Guilherme Fiúza, Diogo Mainardi, Lobão, Danilo Gentili e Marcelo Madureira, que têm em comum o fato de defender ideias muito diferentes das de Cantalice e do PT.

Acho justo que o partido se utilize de um pente fino para isolar os piolhos que o incomodam, que os combata com contra argumentos, que diga que não gosta deles, que estimule seus militantes a não lê-los. Mas quando o vice presidente do partido publica um artigo no site oficial da entidade acusando-os de “propagadores do ódio, arautos do caos” e, nas entrelinhas, “inimigos dos pobres”, a coisa começa a fugir do controle. Isso é a institucionalização do ódio.

Vinagre, pente fino e cabeça raspada a gente entende.

Mas Neocid é demais.

Luciano Pires