Artigos Café Brasil
Quem faz nossa cabeça
Quem faz nossa cabeça
Isca intelectual de Luciano Pires. Imagino uma criança ...

Ver mais

A “Netflix de Conteúdo”
A “Netflix de Conteúdo”
Surge o Café Brasil Premium, uma espécie de "Netflix do ...

Ver mais

OrgulhoDeSerCorrupto
OrgulhoDeSerCorrupto
Isca intelectual de Luciano Pires. Neste Brasil ...

Ver mais

O moço do Uber
O moço do Uber
Isca intelectual de Luciano Pires relatando uma ...

Ver mais

558 – O Café Brasil Premium
558 – O Café Brasil Premium
Podcast Café Brasil 558 - O Café Brasil Premium. No ...

Ver mais

557 – Três princípios para falar de Justiça
557 – Três princípios para falar de Justiça
Podcast Café Brasil 557 - Três princípios para falar de ...

Ver mais

556 – Certos abraços – Revisitado
556 – Certos abraços – Revisitado
Podcast Café Brasil 556 - Certos abraços - Revisitado. ...

Ver mais

555 – Uma proposta para reforma da Previdência
555 – Uma proposta para reforma da Previdência
Podcast Café Brasil 555 - Uma proposta para transformar ...

Ver mais

LíderCast 066 – Alex Bezerra de Menezes
LíderCast 066 – Alex Bezerra de Menezes
Hoje converso com Alex Bezerra de Menezes, que é Clark ...

Ver mais

LíderCast 065 – Antonio Carlos Sartini
LíderCast 065 – Antonio Carlos Sartini
Hoje recebo Antonio Carlos de Moraes Sartini, Bacharel ...

Ver mais

LíderCast 064 – Luiz Henrique Romagnoli
LíderCast 064 – Luiz Henrique Romagnoli
Hoje recebo o Roma, Luiz Henrique Romagnoli, que faz ...

Ver mais

LíderCast 063 – Diogenes Lucca
LíderCast 063 – Diogenes Lucca
Hoje converso com Diogenes Luca, fundador e ex-comando ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Champagne a 21 mil dólares: como funciona a melhor balada de Hollywood
Raiam Santos
Se você tá chegando agora nesse humilde site, bem vindo! Meu nome é Raiam Santos, vivo de escrever livros, não levo minha vida muito a sério e gosto de fazer uns “experimentos ...

Ver mais

Uma nova vida em dois anos
Tom Coelho
Sete Vidas
“Semeia um pensamento, colhe um ato; semeia um ato, colhe um hábito; semeia um hábito, colhe um caráter; semeia um caráter, colhe um destino.” (Marion Lawense)   A vida me tem sido um ...

Ver mais

Quando sucesso e dinheiro não resolvem teu problema
Raiam Santos
Esse aqui é um post que foge um pouco da pegada recente aqui do MundoRaiam.com. Hoje não tem Fiverr, não tem audiolivros, não tem viagem pra Ásia e nem experimento social. Acho que nunca escrevi ...

Ver mais

Duas listas diferentes
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Já assistiu A Lista de Schindler? Não? Assista, é excelente. Já viu? Veja de novo. Uma das cenas mais tocantes é a da elaboração da lista de pessoas que o protagonista pretende “comprar” do ...

Ver mais

Nas Mãos Do Mané

Nas Mãos Do Mané

Luciano Pires -

Segunda metade dos anos setenta, festinha com a turma da faculdade na casa do Waltinho. Com os pais dele viajando. O pai do Waltinho tinha uma adega particular com vinhos de primeira, que decidimos experimentar.
Abrimos a primeira garrafa. Faz tempo demais pra eu lembrar a marca, mas era um tinto italiano maravilhoso. A molecada surtou. Tomar aquele vinho era pra nós – duros – um evento! Que sabor. Que elegância. Nos sentimos os tais e mandamos ver, enquanto fazíamos uma rodinha de som, cantando e bebendo. Foi-se a primeira garrafa. E a segunda. Que vinho! E assim continuamos. Pelas minhas contas, já tínhamos desfalcado a adega do pai do Waltinho em sete garrafas… Como é que ele ia explicar ?
O Waltinho dizia “não se preocupem”, enquanto o Mané trazia outra garrafa. O Mané era uma figura, um japonês chamado Manoel. Era ele quem trazia da cozinha o vinho que tanto nos agradava.

E então eu reparei…

A garrafa vazia nunca ficava na sala. O Mané pegava a bichinha e ia pra cozinha, de onde voltava com outra garrafa cheia… e aberta. Não falei nada pra ninguém, só segui o picareta até a cozinha pra vê-lo entornando um garrafão de “Sangue de Boi”  dentro da garrafa de vinho italiano.. Só a primeira rodada foi do italiano de verdade. Dali em diante, só “Sangue de Boi”, que os “experientes” garotos de vinte anos achavam o máximo…

– Mané, como você é sacana!

E o Mané, sorrindo:

– Vem me ajudar.

Entrei no jogo e também comecei a servir o vinho “ïtaliano”. Mas não servia apenas. Puxava assunto…

– E aí, tá bom?

– Excelente!

– Sentiu o buquê?

– Ah, isto é uva de primeira. Também, né? Italiano…

E assim foi. Todo mundo tomando “Sangue de Boi” e desbundando com a qualidade fantástica do “italiano”.

Lembrei dessa história anos depois, ao viver uma experiência com vinhos junto à turma de meu filho, que tinha seus 20 anos. Os moleques tomavam um vinho de oito reais…

– Ninguém tem grana pra comprar melhor, pai. Vai esse mesmo.

Abri então um vinho de primeira. Um gaúcho daqueles de tomar de joelhos. E servi pra molecada.

– Que tal, moçada?

– Hummmm… Excelente, tio. Muito bom mesmo.

– Tá vendo? Isso é que é vinho, não essa porcaria que vocês tomam!

– É verdade, tio. Mas vamos continuar com nosso vinhozinho de oito reais. Não queremos qualidade. Queremos quantidade…

Pois é… Saber gostar de vinho é uma questão cultural. Entender de onde vem e como é feito, saber das combinações das uvas, muda nossa percepção. O conhecimento faz com que tomemos vinho com os cinco sentidos. E então o milagre acontece: passamos a apreciar a qualidade mais que a quantidade. E o mais importante: aprendemos a encontrar jóias mesmo entre os vinhos baratos!

O mesmo acontece com música. Com literatura. Com cinema. Com artes plásticas. Com poesia. Com…

Se daquilo que consome você só conhece o preço, vai ficar nas mãos dos manés.