Artigos Café Brasil
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

591 – Alfabetização para a mídia
591 – Alfabetização para a mídia
Hoje em dia as informações chegam até você ...

Ver mais

590 – O que aprendi com o câncer
590 – O que aprendi com o câncer
O programa de hoje é uma homenagem a uns amigos ...

Ver mais

589 – A cultura da reclamação
589 – A cultura da reclamação
Crianças mimadas, multiculturalismo, politicamente ...

Ver mais

588 – Escola Sem Partido
588 – Escola Sem Partido
Poucos temas têm despertado tantas paixões como a ...

Ver mais

LíderCast 91 – Saulo Arruda
LíderCast 91 – Saulo Arruda
Saulo Arruda, que teve uma longa carreira como ...

Ver mais

LíderCast 90 – Marcelo Ortega
LíderCast 90 – Marcelo Ortega
Marcelo Ortega, palestrante na área de vendas, outro ...

Ver mais

LíderCast 89 – Bruno Teles
LíderCast 89 – Bruno Teles
Bruno Teles, um educador que sai de Sergipe para se ...

Ver mais

LíderCast 88 – Alfredo Rocha
LíderCast 88 – Alfredo Rocha
Alfredo Rocha, um dos pioneiros no segmento de ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Vale fazer um curso universitário se as profissões vão desaparecer?
Mauro Segura
Transformação
Numa perspectiva de que tudo muda o tempo todo, será que vale a pena sentar num banco de universidade para se formar numa profissão que vai desaparecer ou se transformar nos próximos anos?

Ver mais

Tolerância? Jura?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Engraçada essa tal “tolerância” que pregam por aí, por dois simples motivos: 1) é de mão única e 2) pretende tolher até o pensamento do indivíduo. Exagero? Não mesmo. Antes que algum ...

Ver mais

Ensaio sobre a amizade
Tom Coelho
Sete Vidas
“A gente só conhece bem as coisas que cativou. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm ...

Ver mais

Um reino que sente orgulho de seus líderes
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Um reino que sente orgulho de seus líderes  Victoria e Abdul   Uma vez mais, num curto espaço de tempo, o cinema nos brinda com um filme baseado na história de uma destacada liderança britânica. ...

Ver mais

Cafezinho 28 – No grito
Cafezinho 28 – No grito
Não dá pra construir um país no grito.

Ver mais

Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Tem gente que, em vez de planos, só tem esperança.

Ver mais

Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Não dá para ganhar um jogo sem acreditar no time.

Ver mais

Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
O culto do sentimento destrói a capacidade de pensar e ...

Ver mais

Não passarão.

Não passarão.

Luciano Pires -

“Acabo de completar 40 (quarenta) horas sem luz. Em Moema, bairro nobre da maior cidade da América do Sul.”

O que o autor da frase quis dizer?

 

a) que ele é rico pois mora num bairro nobre

b) que bairros nobres têm prioridade sobre os bairros não nobres no atendimento dos serviços públicos

c) que se um bairro nobre está assim, imagine os não nobres

d) que ele paga um baita imposto e não recebe serviços de qualidade

e) que ele está há 40 horas sem luz no bairro

f) que o autor é superior a quem não mora em bairro nobre

 

Escolha aí a alternativa. Eu espero.

 

Escolheu? Muito bem. Essa frase publiquei como um post em meu Facebook. No momento em que digitei “bairro nobre”, uma voz apareceu sussurrando: “vai dar merda”. E me peguei hesitando.

Qual a razão de dar merda? A palavra “nobre”, que assim como “rico”ou “elite” está no radar do politicamente correto. Dizer que alguém (e agora algo!) é nobre, rico ou elite é relegar todos os que não são a um patamar inferior, como uma casta de sem direitos que ali são jogados exatamente pelo nobres, ricos e elites para serem explorados, humilhados e descartados.

De onde vem isso?

Desconfio que da mesma França do Charlie Hebdo, onde uma revolução em 1789 consolidou a imagem do rico-elite-nobre como mau e o pobre-miserável-proletário como bom. Depois um alemão barbudo elevou esse conceito a ideologia e… bem, escrever “bairro nobre” em 2015 é pedir pra tomar porrada dos patrulheiros.

Aquele momento de hesitação me fez subir o sangue.

Em seguida li que a CNN e o New York Times anunciaram em editoriais que não permitiriam a reprodução da capa do Charlie Hebdo que traz uma imagem de Maomé, pois ela é ofensiva ao Islã. Mas charges ofensivas sobre católicos, budistas e qualquer outra vertente religiosa cujos seguidores não fuzilam e explodem pessoas, continuarão a ser publicadas.

Para aquela voz que me aconselhou a prudentemente não escrever “bairro nobre”, a definição da Wikipedia “No Brasil e em Portugal, chama-se de bairro nobre a área de uma determinada cidade caracterizada pela presença de uma maioria de moradias de alto custo”, não vale. Intimidada pela patrulha, a voz entende “bairro nobre” como uma arrogante forma de dizer “eu sou rico, você é pobre; eu posso mais, você pode menos; eu valho mais, você vale menos”.

Felizmente a razão voltou e escrevi o “bairro nobre”, sim senhor. Publiquei e os patrulheiros apareceram, evidentemente. O post está aqui: http://on.fb.me/158WfyT .

Guardadas as proporções, da mesma forma como os terroristas fizeram com a CNN e o NYT, os patrulheiros do politicamente correto querem me pautar.

Não passarão.

 

Ah, a resposta correta pode ser c), d) ou e). Se você escolheu outra, é bom se tratar. O preconceito está em você.