Artigos Café Brasil
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina
Uma reunião para ser objeto de estudo em qualquer aula ...

Ver mais

#TransgressaoEhIsso
#TransgressaoEhIsso
Transgredir é muito mais que pintar o rosto, urinar na ...

Ver mais

Vem aí o Cafezinho
Vem aí o Cafezinho
Nasce nesta segunda, 4/9 o CAFEZINHO, podcast ...

Ver mais

Educação adulta
Educação adulta
Preocupados demais com a educação de nossos filhos, ...

Ver mais

590 – O que aprendi com o câncer
590 – O que aprendi com o câncer
O programa de hoje é uma homenagem a uns amigos ...

Ver mais

589 – A cultura da reclamação
589 – A cultura da reclamação
Crianças mimadas, multiculturalismo, politicamente ...

Ver mais

588 – Escola Sem Partido
588 – Escola Sem Partido
Poucos temas têm despertado tantas paixões como a ...

Ver mais

587 – Podres de Mimados
587 – Podres de Mimados
Você já reparou como estão mudando os padrões morais, ...

Ver mais

LíderCast 90 – Marcelo Ortega
LíderCast 90 – Marcelo Ortega
Marcelo Ortega, palestrante na área de vendas, outro ...

Ver mais

LíderCast 89 – Bruno Teles
LíderCast 89 – Bruno Teles
Bruno Teles, um educador que sai de Sergipe para se ...

Ver mais

LíderCast 88 – Alfredo Rocha
LíderCast 88 – Alfredo Rocha
Alfredo Rocha, um dos pioneiros no segmento de ...

Ver mais

LíderCast 087 – Ricardo Camps
LíderCast 087 – Ricardo Camps
Ricardo Camps, empreendedor e fundador do Tocalivros, ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata – T02 09
Videocast Nakata - Temporada 02 Episódio 09 Quando ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata T02 08
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 08 Já falei ...

Ver mais

Tolerância? Jura?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Engraçada essa tal “tolerância” que pregam por aí, por dois simples motivos: 1) é de mão única e 2) pretende tolher até o pensamento do indivíduo. Exagero? Não mesmo. Antes que algum ...

Ver mais

Ensaio sobre a amizade
Tom Coelho
Sete Vidas
“A gente só conhece bem as coisas que cativou. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm ...

Ver mais

Um reino que sente orgulho de seus líderes
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Um reino que sente orgulho de seus líderes  Victoria e Abdul   Uma vez mais, num curto espaço de tempo, o cinema nos brinda com um filme baseado na história de uma destacada liderança britânica. ...

Ver mais

O que aprendi com o câncer
Mauro Segura
Transformação
Esse é o texto mais importante que escrevi na vida. Na ponta da caneta havia um coração batendo forte. Todo o resto perto a importância perto do que vivemos ao longo desse ano.

Ver mais

Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Cafezinho 27 – Planos ou esperanças
Tem gente que, em vez de planos, só tem esperança.

Ver mais

Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Cafezinho 26 – Brasil Futebol Clube
Não dá para ganhar um jogo sem acreditar no time.

Ver mais

Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
Cafezinho 25 – Podres de mimados 2
O culto do sentimento destrói a capacidade de pensar e ...

Ver mais

Cafezinho 24 – Não brinco mais
Cafezinho 24 – Não brinco mais
Pensei em não assistir mais, até perceber que só quem ...

Ver mais

Não É “Pobrema” Meu

Não É “Pobrema” Meu

Luciano Pires -

NÃO É “POBREMA” MEU

 Dias atrás foi inaugurado o Museu da Língua Portuguesa, nas instalações da Estação da Luz, em São Paulo. Imagine só, um museu dedicado à língua portuguesa…


Nossa língua é um patrimônio que a sociedade materialista trata com descaso, pois não tem valor aparente. Qualquer um fala. Não dá pra vender. Não dá pra alugar. Nem dá pra emprestar. E nem é preciso dar muita atenção a ela, pois mesmo falando errado nos fazemos compreender.


Não entendeu? “O pobrema” é seu. O ministro fala errado? Não é “pobrema” meu…


Será que nossa língua merecia um museu? E logo aqui no Brasil, onde coisas importantes são deixadas de lado?


A resposta me parece óbvia: merece e merecia muito antes…


Qualquer investimento focado em educação e cultura é primordial para este país de brucutus, que só consegue investir naquilo que enxerga. Ou que traz resultados imediatos. Mas… Será que o povo merece? Tenho minhas dúvidas.


Acho que, para ter valor, um museu que trata do idioma só tem sentido num país onde o povo tenha um mínimo de educação para entender e respeitar o que está visitando. Coisa que a maioria dos brasileiros não tem. E nessa maioria incluo gente com formação, gente rica, gente pobre, brancos, negros, amarelos, homens, mulheres, gays, heteros e tudo o que você quiser citar. A ignorância não é privilégio de um grupo. Está disseminada por toda a sociedade, com variações de grau. Mas presente.


Pois bem.


Estou indignado. Acabo de ler que o Museu da Língua Portuguesa foi fechado para manutenção, poucos dias após a inauguração. Puxa, será que estourou um cano d´água? Rachou o gesso do teto? Uma pane elétrica? Não.


A manutenção é para consertar o estrago que os visitantes fizeram, pisando onde não deviam. Arrancando partes de algumas obras. Sujando outras…


A manutenção se dá em razão do desleixo. Ou será da depredação?


E então? Será que as pessoas que visitam o museu, merecem o museu? Ah, mas quem depreda é uma minoria, dirão os mais apressados. É verdade… Mas e a maioria que vê a minoria depredando e se finge de morta?


– Não é “pobrema” meu!


Essa é a verdade de nossos dias: perdemos a capacidade de indignação. Ou de expressar nossa indignação. O sujeito fura a fila e eu fico quieto. O outro quebra o orelhão e eu fico quieto. Não é “pobrema” meu… E se eu falar alguma coisa sou capaz de ser vaiado pela maioria dos que preferem não se manifestar. Vão me chamar de estressado, de neurastênico… E se bobear ainda tomo um tiro do vagabundo.


Pois é…


E se fico quieto com as pequenas coisas que me atingem diretamente, você acha que vou gritar por causa de um deputado desonesto? Contra a fila de aposentados? Contra a baixaria na televisão? 


Eu não. Não é “pobrema” meu…


Pois assim que reabrir, vou visitar o museu.


Quero ver se tem lá a palavra “burro”.