Artigos Café Brasil
Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

Os Podcasts Café Brasil Musicais
Os Podcasts Café Brasil Musicais
Música é uma de nossas grandes paixões, por isso de ...

Ver mais

#DicaNetFlix Trotsky
#DicaNetFlix Trotsky
É uma série de terror. Tem assassinos em série, ...

Ver mais

670 – A nova Previdência
670 – A nova Previdência
No dia 12 de Junho fomos à Brasília e, no Ministério da ...

Ver mais

669 – Fora da Caixa 2
669 – Fora da Caixa 2
Você não precisa inventar a lâmpada para ser original. ...

Ver mais

668 – Fora da caixa
668 – Fora da caixa
Não é fácil hoje em dia ter uma ideia original, ...

Ver mais

667 – Ajuda, por favor
667 – Ajuda, por favor
Toda mudança implica em incomodação. Se não incomoda, ...

Ver mais

LíderCast 157 – Marcel Van Hattem
LíderCast 157 – Marcel Van Hattem
Marcel Van Hattem é um jovem Deputado Federal pelo ...

Ver mais

LíderCast 156 – Karina Oliani e Carlos Morey
LíderCast 156 – Karina Oliani e Carlos Morey
Aproveitando que o Everest está sendo discutido na ...

Ver mais

LíderCast Temporada 12
LíderCast Temporada 12
Vem aí a Temporada 12 do LíderCast, que será lançada na ...

Ver mais

LíderCast 155 – Emilio Dantas Costa
LíderCast 155 – Emilio Dantas Costa
Servidor público de carreira, que a partir das ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Por que você afirmar que é de direita ajuda a esquerda?
Carlos Nepomuceno
RESUMO DA LIVE: LIVE COMPLETA.

Ver mais

TRIVIUM: CAPITULO 2 – AMBIGUIDADE DA LINGUAGEM (parte 10)
Alexandre Gomes
Já que uma PALAVRA é um SÍMBOLO, um SIGNO ARBITRÁRIO ao qual é imposto um significado por convenção, é natural que esteja sujeita (a palavra) à AMBIGUIDADE. E isso pode surgir de alguns pontos: ...

Ver mais

O salário do professor brasileiro é um dos mais baixos do mundo
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Matéria de ontem no jornal O Globo nos lembra um fato que é amplamente reconhecido: os professores brasileiros estão entre os que recebem os menores salários no mundo inteiro. Em relação aos ...

Ver mais

As cigarras, as formigas e o tal do viés ideológico
Carlos Nepomuceno
RESUMO DA LIVE: LIVE COMPLETA.

Ver mais

Cafezinho 188 – O coeficiente de trouxidão
Cafezinho 188 – O coeficiente de trouxidão
É seu coeficiente de trouxidão, com a suspensão ...

Ver mais

Cafezinho 187 – Quem merece seu tempo de vida
Cafezinho 187 – Quem merece seu tempo de vida
Meu tempo de vida está sendo enriquecido ou só desperdiçado?

Ver mais

Cafezinho 186 – A disciplina intelectual
Cafezinho 186 – A disciplina intelectual
Na definição dos dicionários, disciplina é o conjunto ...

Ver mais

Cafezinho 185 – O princípio Eisenhower
Cafezinho 185 – O princípio Eisenhower
Dê uma olhada nas pautas em discussão nas mídias. Veja ...

Ver mais

Não É “Pobrema” Meu

Não É “Pobrema” Meu

Luciano Pires -

NÃO É “POBREMA” MEU

 Dias atrás foi inaugurado o Museu da Língua Portuguesa, nas instalações da Estação da Luz, em São Paulo. Imagine só, um museu dedicado à língua portuguesa…


Nossa língua é um patrimônio que a sociedade materialista trata com descaso, pois não tem valor aparente. Qualquer um fala. Não dá pra vender. Não dá pra alugar. Nem dá pra emprestar. E nem é preciso dar muita atenção a ela, pois mesmo falando errado nos fazemos compreender.


Não entendeu? “O pobrema” é seu. O ministro fala errado? Não é “pobrema” meu…


Será que nossa língua merecia um museu? E logo aqui no Brasil, onde coisas importantes são deixadas de lado?


A resposta me parece óbvia: merece e merecia muito antes…


Qualquer investimento focado em educação e cultura é primordial para este país de brucutus, que só consegue investir naquilo que enxerga. Ou que traz resultados imediatos. Mas… Será que o povo merece? Tenho minhas dúvidas.


Acho que, para ter valor, um museu que trata do idioma só tem sentido num país onde o povo tenha um mínimo de educação para entender e respeitar o que está visitando. Coisa que a maioria dos brasileiros não tem. E nessa maioria incluo gente com formação, gente rica, gente pobre, brancos, negros, amarelos, homens, mulheres, gays, heteros e tudo o que você quiser citar. A ignorância não é privilégio de um grupo. Está disseminada por toda a sociedade, com variações de grau. Mas presente.


Pois bem.


Estou indignado. Acabo de ler que o Museu da Língua Portuguesa foi fechado para manutenção, poucos dias após a inauguração. Puxa, será que estourou um cano d´água? Rachou o gesso do teto? Uma pane elétrica? Não.


A manutenção é para consertar o estrago que os visitantes fizeram, pisando onde não deviam. Arrancando partes de algumas obras. Sujando outras…


A manutenção se dá em razão do desleixo. Ou será da depredação?


E então? Será que as pessoas que visitam o museu, merecem o museu? Ah, mas quem depreda é uma minoria, dirão os mais apressados. É verdade… Mas e a maioria que vê a minoria depredando e se finge de morta?


– Não é “pobrema” meu!


Essa é a verdade de nossos dias: perdemos a capacidade de indignação. Ou de expressar nossa indignação. O sujeito fura a fila e eu fico quieto. O outro quebra o orelhão e eu fico quieto. Não é “pobrema” meu… E se eu falar alguma coisa sou capaz de ser vaiado pela maioria dos que preferem não se manifestar. Vão me chamar de estressado, de neurastênico… E se bobear ainda tomo um tiro do vagabundo.


Pois é…


E se fico quieto com as pequenas coisas que me atingem diretamente, você acha que vou gritar por causa de um deputado desonesto? Contra a fila de aposentados? Contra a baixaria na televisão? 


Eu não. Não é “pobrema” meu…


Pois assim que reabrir, vou visitar o museu.


Quero ver se tem lá a palavra “burro”.