Artigos Café Brasil
Brazilian Rhapsody
Brazilian Rhapsody
O pessoal da Chinchila fez uma paródia de Bohemian ...

Ver mais

O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts
O Guia do Anunciante em Podcasts traz informações ...

Ver mais

Bandidos Na TV
Bandidos Na TV
Assisti Bandidos Na Tv, nova série na NetFlix, que ...

Ver mais

1964 – O Brasil entre armas e livros
1964 – O Brasil entre armas e livros
Um documentário para ser visto como outro ângulo pelo ...

Ver mais

679 – Será que acordamos?
679 – Será que acordamos?
Adalberto Piotto apresenta o programa Cenário Econômico ...

Ver mais

678 – Dominando a Civilidade
678 – Dominando a Civilidade
Vivemos uma epidemia de incivilidade que ...

Ver mais

677 – Teorias da Conspiração
677 – Teorias da Conspiração
Vivemos numa sociedade assolada por grandes ...

Ver mais

676 – Homem na Lua 2
676 – Homem na Lua 2
Cinquenta anos atrás o homem pousou na Lua. Mas parece ...

Ver mais

LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
LíderCast 166 – Juliana e Abbey Alabi
O Abbey é um imigrante africano, que chegou ao Brasil ...

Ver mais

LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
LíderCast 165 – Ícaro de Carvalho
Um dos mais influentes profissionais de comunicação ...

Ver mais

LíderCast 164 – Artur Motta
LíderCast 164 – Artur Motta
Professor que fez transição de carreira e usa podcasts ...

Ver mais

LíderCast 163 – Amanda Sindman
LíderCast 163 – Amanda Sindman
Profissional de comunicação, jornalista e mulher trans. ...

Ver mais

Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Cafezinho Live – Como será o Brasil com Bolsonaro
Um bate papo entre Adalberto Piotto, Carlos Nepomuceno ...

Ver mais

046 – Para quem vai anular o voto
046 – Para quem vai anular o voto
Fiz um vídeo desenhando claramente o que acontece com ...

Ver mais

Confraria Café Brasil
Confraria Café Brasil
A Confraria Café Brasil nasceu para conectar pessoas ...

Ver mais

Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata T02 10
Videocast Nakata Temporada 02 Episódio 10 - Hábitos ...

Ver mais

Resumo da Aula 2 do Curso On-line de Filosofia (COF)
Eduardo Ferrari
Resumos e Artigos
A segunda aula do COF, ministrada em 21 de março de 2009, teve a duração de 3h43min e foi resumida em menos de cinco minutos de leitura, com o objetivo de levar ao conhecimento do leitor uma ...

Ver mais

A quem interessa a divisão da sociedade?
Jota Fagner
Origens do Brasil
O atual estado de intolerância ao pensamento diferente, manifesto nas agressões que começam nas redes sociais e terminam em confrontos físicos no meio da rua, é o resultado de um processo de ...

Ver mais

TRIVIUM: CAPÍTULO 3 – MORFOLOGIA CATEGOREMÁTICA (parte 2)
Alexandre Gomes
Depois de listar todas as CATEGORIAS DE PALAVRAS, de acordo com a Gramática Geral irei tratar com mais calma de cada categoria. Seguindo a lista da lição anterior, vamos começar pelo grupo das ...

Ver mais

Simples assim
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Simples assim Excelência em Educação Dia 10 de agosto, compareci a um evento muitíssimo interessante. Estimulado pela chamada do convite eletrônico – Avanços na educação pública: o que podemos ...

Ver mais

Cafezinho 205 – Agrotóxicos – melhor seria não usar V
Cafezinho 205 – Agrotóxicos – melhor seria não usar V
O problema do agrotóxico no Brasil não é dos ...

Ver mais

Cafezinho 204 – Agrotóxicos – melhor seria não usar IV
Cafezinho 204 – Agrotóxicos – melhor seria não usar IV
Ainda existe hoje uma cultura, muito estimulada por ...

Ver mais

Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Cafezinho 203 – Agrotóxicos – melhor seria não usar III
Quem é o idiota que quer deliberadamente envenenar seus ...

Ver mais

Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Cafezinho 202 – Agrotóxicos – melhor seria não usar II
Se não bastassem as dificuldades para comprar, ...

Ver mais

Mundos morais

Mundos morais

Luciano Pires -

Estes dias de embates políticos têm sido um aprendizado só. As mídias sociais estão se revelando verdadeiros laboratórios do comportamento humano diante de quem pensa diferente. Desde que forcei a mão nas questões político-ideológicas, assumindo a defesa dos ideais liberais-conservadores em minhas páginas e em meu Podcast, tenho experimentado situações inusitadas. Por um lado, aumentei minha audiência dramaticamente, por outro perdi leitores e ouvintes que antes admiravam minha suposta imparcialidade e se decepcionaram quando descobriram que tenho uma visão de mundo diferente da deles.

– Como é que um cara tão legal, tão sensível e aparentemente tão inteligente pode defender uma barbaridade dessas?

Fica difícil conviver com essa questão, não é? Especialmente quando admiramos de verdade uma pessoa. Batizei essa sensação de Síndrome de Chico Buarque.

– Mas, se a pessoa é assim tão admirável… Será que o errado sou eu?

É essa possibilidade de estar do lado errado que nos provoca angústia. Não raro me pego diante de situações assim, e me questiono profundamente. Será que quanto mais estuda, mais idiota a pessoa fica? Ou o idiota sou eu?

Mas o fato de uma pessoa ser inteligente, talentosa, inovadora, não quer dizer que ela comungue os mesmos valores morais que eu. Pode ser que ela viva num mundo moral diferente. Ambos queremos um mundo melhor, mais justo, mais respeitoso, mais abundante, mas divergimos profundamente na forma de chegar lá.

Para mim, esse “chegar lá” significa respeitar a lei, respeitar a autoridade, respeitar a liberdade individual, reconhecer que não sei tudo, que o mundo e o homem são imperfeitos e que é impossível resolver as coisas com uma revolução. O que dá para fazer é consertar o que está errado e conservar o que está certo, dar liberdade para o indivíduo. Se alguém queima a bandeira do Brasil, fico indignado, pois vejo ali valores desrespeitados. Quando erro, primeiro acho que a culpa é minha e devo arcar com as consequências.

Já meu amigo do “outro lado” entende que por um bem maior, a lei pode ser “contornada”. Questiona a autoridade e acha que algo que não prejudica ninguém não deve ser proibido, que queimar a bandeira é só queimar um pedaço de pano, que todos têm o direito de se expressar. Quando erra, culpa fatores externos e não acha justo assumir sozinho a responsabilidade.

Eu e meu amigo somos igualmente inteligentes, temos acesso aos mesmos fatos, mas chegamos a conclusões diferentes, pois partimos de valores morais distintos. Nossas disputas políticas não são resultantes de ignorância ou maldade. Sim, é claro que existem os bandidos contumazes, mas não é a eles que me refiro, e sim ao meu vizinho, com quem tomo chopp, divido o churrasco e falo da vida.

No máximo em alguns momentos compartilharemos alguns valores ou nos toleraremos mutuamente, desde que as concessões não sejam grandes demais. Mas sei que dificilmente conseguirei convencê-lo a compartilhar minha visão de mundo. Nem ele a mim. A menos que mudemos nossos valores.

Em minha palestra Tudo Bem Se Me Convém afirmo que valores morais, e por consequência a ética, dependem do espaço geográfico e temporal que você ocupa. Onde e quando você está. Uma vez adquiridos, esses valores morais resistem a mudar mediante simples argumentos. Mas talvez dependam também do como você está. Onde, quando e como.

Enquanto alguns valores morais têm raízes biológicas, outros são resultado de pressões sociais, condicionamento emocional, imitação ou exposição aos grupos nos quais convivemos. Alguns têm a ver com racionalidade, outros com a natureza humana. Existiriam então múltiplas moralidades?

Talvez vivamos, tal como dimensões paralelas, em mundos morais diferentes e nenhum discurso político nos levará ao consenso.

Quem não entender isso continuará xingando.

Me ajuda a continuar essa reflexão?